Doomsday Hymn: Pronta a trilhar caminhos altos

Resenha - Mene Tequel Ufarsim - Doomsday Hymn

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Carol Mariana
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


DOOMSDAY HYMN, como costumo dizer, é o tipo de banda que possui a peculiaridade de pôr em ordem o caos. Com integrantes oriundos de estilos aparentemente distintos, o grupo mostra em seu novo álbum que a diversidade contribui bastante para o enriquecimento da música - desde que empregada na medida certa. E esses paranaenses souberam utilizar muito bem dela.
5000 acessosVamos admitir sem hipocrisia: não há banda nova que preste5000 acessosGuns N' Roses: os 10 melhores não-clássicos da banda

"Mene Tequel Ufarsim" é um álbum completo, bem cadenciado e de excelente qualidade de gravação. Podemos notar aqui um panorama Thrash Metal anos 80, mas que remete também ao Deathcore e ao Power Metal (a exemplo da faixa "Guerreiro"), com um groove bem marcante. A faixa-título, que abre o material, já mostra que o álbum traz um peso soberbo em graves, sem saturar os ouvidos de quem o aprecia.

As frases do contrabaixo mostram a destreza com que o Allan Pavani faz do mesmo não apenas uma base sólida para as faixas, mas também evidencia o instrumento dentro de todo o álbum, dada a sua timbragem bem regulada. Bom volume e ótima definição; nem é preciso fazer esforço para ouvir e sentir o peso do baixo.

O Jarlisson Jaty, que já demonstrava sua muito boa habilidade no SURVIVE, traz um dinamismo único ao álbum. Sem frescura em explorar todo o seu drum set, demonstra com efeito a sua pegada, agilidade e técnica nas muitas variações rítmicas, a exemplos das faixas "Liberdade", "Destruidor" e "O Gigante".

As afinações baixas das guitarras de Karim Serri (ex SEVEN ANGELS, CROSSKILL) e Angelo Torquetto (ex DESERTOR) acrescentam brutalidade ao trabalho. Estão muito bem colocadas harmonicamente, são executadas com exímia técnica e em cada música elas (pretensiosamente ou não) conferem uma atmosfera única, como que construídas para encaixarem com a temática de cada letra. Destaque para os solos nas faixas "Recomeçar" , "Medos" e a faixa de encerramento, "Resposta".

"Last, but not least", temos os vocais do Gil Lopes (ex DELOHIM, MENAHEM) que arrematam a agressividade e pujança do trabalho. Vocais rasgados, brutos; porém, compreensíveis - coisa que nem todo vocalista consegue realizar. Os vocais limpos também são bem executados, como nas faixas "Poderoso" e "Resposta", abrilhantando ainda mais o material.

Aliando ao instrumental letras fortes, de refrão grudento (como a faixa "Levante e viva"), a banda mostra que, mais do que fazer um trabalho de excelente qualidade, veio para deixar de vez a sua marca no cenário nacional e na cabeça de todo aquele que a ouve - sem perder em coisa alguma para bandas internacionais bem conhecidas. Em suma: a DOOMSDAY HYMN não só tem postura de banda grande, mas tem tudo para continuar a trilhar caminhos cada vez mais altos.

Tracklist:
1. Mene Tequel Ufarsim - 3:42
2. Poderoso - 3:51
3. Levante e Viva - 3:11
4. Guerreiro - 3:25
5. Liberdade - 3:32
6. Medos - 2:35
7. Recomeçar - 2:57
8. Destruidor - 3:25
9. Gigante - 3:06
10. A Resposta - 4:11

Band line-up:
Karim Serri (G); Angelo Torquetto (G); Gil Lopes (V); Jarlisson Jaty (D); Allan Pavani (B)

Gravado no Silent Music Studio em Curitiba, Paraná.

Site Oficial:
http://www.doomsdayhymn.com/

5000 acessosQuer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Outras resenhas de Mene Tequel Ufarsim - Doomsday Hymn

353 acessosDoomsday Hymn: Mensagem em português e som universal

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Doomsday Hymn"

Vamos admitir sem hipocrisiaVamos admitir sem hipocrisia
Não há banda nova que preste

Guns N RosesGuns N' Roses
Os 10 melhores não-clássicos da banda

Os TrapalhõesOs Trapalhões
Uma homenagem ao Heavy Metal em 1985

5000 acessosHeavy Metal: as trinta maiores bandas de países diferentes5000 acessosMetallica: Ulrich comenta sobre seu maior erro5000 acessosMetallica: "Tocar para 80.000 fãs no Brasil é inimaginável"5000 acessosPaul Di Anno: "Bruce Dickinson é prata e eu sou ouro!"4779 acessosKiss: Gene Simmons comenta raízes inglesas da banda4937 acessosAC/DC: "seria uma banda muito melhor se Bon Scott não tivesse morrido", diz biógrafo

Sobre Carol Mariana

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online