Republica: O lado Rock in Rio que deu certo...

Resenha - Point of no Return - Republica

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Vicente Reckziegel
Enviar Correções  

8


Participar de um evento da grandiosidade de um Rock in Rio pode ser ótimo para uma banda, ou jogar no lixo seu nome, como em alguns casos (não vou citar nomes, até por que todo mundo já conhece os grupos arrasados pelas críticas). No caso do Republica, o festival foi uma bela divulgação do seu trabalho, e a banda passou com louvor pelo teste.

Não que a banda seja uma iniciante no cenário, pelo contrário, pois está na ativa desde 1991, ou seja, merecia seu lugar nos holofotes, e não caiu de pára-quedas em meio a grandes nomes da música mundial.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Eis que surge então seu terceiro disco, "Point of No Return", mostrando que a banda continua em alta voltagem. Com grande produção de Luis Paulo Serafim (ganhador de três Grammys) e masterização de Stephen Marcussen, feita nos Eua, o álbum demonstra todo o potencial da banda. Vale citar também o belo encarte e a própria embalagem do disco, de primeiro mundo, mesmo em um terceiro mundo que cada vez mais não dá o devido valor a isso.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

As 10 faixas, totalizando 46 minutos, mostram uma sonoridade Rock n’ Roll com boas doses de Metal, algo próximo ao que o Metallica fazia na década de 90 (mas sem maquiagem), sendo que todas as músicas demonstram a preocupação da banda em fazer um som profissional e de qualidade ímpar.

Isso fica claro em músicas como "Time to Pay", com riffs que lembram Black Sabbath/Black Label Society, na mais animada "Why?". "Life Goes On" virou vídeo, e é fácil entender essa escolha, visto que é uma música forte, que intercala momentos pesados com outros bem melódicos, um dos pontos altos do disco. Já faixas como "Goodbye Asshole" (com participação de Roy Z) e "No Mercy" tem aquela sonoridade voltada ao Metallica época Load/Reload (como descrito anteriormente). "The Land of the King" tem um quê de Horror Show, inclusive em sua letra. Temos aqui também a Motorheadiana "Dark Road", com ótimos solos de guitarra, a agitada "Fuck Liars" e encerra com "El Diablo".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Point of No Return" é um disco que solidifica de vez o nome do Republica no cenário nacional, um daqueles grupos que tem a chance de mostrar seu trabalho ao grande público, e é aprovado com louvor no teste...

Republica:
Leo Belling – Vocal
Luiz Fernando Vieira – Guitarra Solo
Jorge Marinhas – Guitarra rítmica e Vocais
Marco Vieira – Baixo
Gabriel Triani - Bateria

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Tracklist:
01. Time To Pay
02. Why?
03. Life Goes On
04.Change My Way
05. Goodbye Asshole (feat. Roy Z)
06. The Land of The King
07. No Mercy
08. Dark Road
09. Fuck Liars
10. El Diablo


Outras resenhas de Point of no Return - Republica

Republica: Música pesada de gente grande




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Uruca: Os 9 mais azarados da história do RockUruca
Os 9 mais azarados da história do Rock

Megadeth: a canção que Dave Mustaine menos gostaMegadeth
A canção que Dave Mustaine menos gosta


Sobre Vicente Reckziegel

Servidor público, escritor, mas principalmente um apaixonado pelo Rock e Metal há pelo menos duas décadas. Mantêm o Blog Witheverytearadream desde Dezembro de 2007. Natural e ainda morador de uma pequena cidade no interior do Rio Grande do Sul, chamada Estrela. Há muitos anos atrás tentou ser músico, mas notou que faltava algo simples: habilidade para tocar qualquer instrumento. Acredita na música feita no Brasil, e gosta de todos os gêneros, desde Rock clássico até Black Metal.

Mais matérias de Vicente Reckziegel no Whiplash.Net.

Goo336 Goo336 Cli336 Goo336