The German Panzer: Uma boa pedida para os fãs de música pesada

Resenha - Send Them All To Hell - German Panzer

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Felipe Holanda
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


O CD gravado pela Nuclear Blast gerou certa polêmica aqui no Brasil pelo fato do nome já ser utilizado por outra banda, o Panzer, na ativa desde 1991. Todavia, o projeto dos lendários Schmier (voz e baixo, "Destruction"), Herman Frank (guitarra, "Accept") e Stefan Schwarzmann (bateria, "Accept") mudou de nome para "The German Panzer" e tem muita qualidade.

U.D.O.: turnê pela América Latina em 2020Fotos de Infância: Avril Lavigne

Claramente, os músicos alemães trouxeram vertentes de suas bandas para o projeto. Os timbres tradicionais do "Accept" e os riffs rasgados do "Destruction". Porém, são apenas semelhanças. O som é menos veloz e melódico que os trabalhos de outrora. A maioria das composições são da autoria de Herman Frank.

Logo no início, "Death Kneel" é um verdadeiro petardo, que podia abrir qualquer grande álbum de Heavy Metal. Solos chamativos de guitarra e uma boa letra narrada por Schimier. Destaque para o refrão, muito bem construído e daqueles que grudam na cabeça.

A música homônima ao projeto tem uma levada que flerta com o metal industrial. Riffs e dedilhados revezando entre arranjos e melodias. Um refrão bem arrastado e nítido para não deixar uma dúvida sequer. Mesmo cadenciada, "Panzer" é uma grande faixa e está à altura do projeto.

"Freakshow" já começa a mais de mil por hora. Com uma bateria bastante rápida de Stefan somada a solos nas seis cordas de Herman. Bastante peso do começo ao fim, uma faixa daquelas para balançar a cabeça sem parar. Na minha opinião, uma das melhores de todo o álbum.

"Mr. Nobrain" é , sem sombra de dúvidas, aquela que mais se destaca. Seja pela letra muito bem escrita, ou pelas levadas precisas de guitarra, baixo e bateria. Na sequência, um belíssimo refrão que não sai da cabeça nem por decreto. Uma grande música e pesada até o cérebro!

As vezes, as músicas têm alguma semelhança com o som do Judas Priest. A influência é clara logo no começo de "Roll The Dice", que parece bastante com as linhas de guitarra de "The Hellion/Eletric Eye". Mesmo assim, trata-se de uma música de qualidade, com um belo riff e boas estrofes.

Na última track, muito Thrash Metal, mas um pouco cadenciado. "Bleed for your Sins" traz a tona uma grande virtude da banda: misturar as influências de cada e ir de encontro à perfeição. A canção é boa o suficiente para integrar qualquer grande álbum de Heavy Metal, novamente com Frank se destacando nas guitarras. Que solo!

Destaque para as seis cordas seja nas bases ou nos solos, com timbres realmente bons. Aliás, a guitarras é o ponto forte do disco, com uma pegada muito instigada e uma palhetada precisa.

Na cozinha, Schimier faz o básico com maestria e Stefan carrega todo o peso nas costas. De fato, o álbum não traz muita coisa nova, mas é uma boa pedida para os fãs de música pesada.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "German Panzer"Todas as matérias sobre "Accept"


U.D.O.: turnê pela América Latina em 2020

Accept: Mark Tornillo é uma cópia de Udo, diz David ReeceAccept
"Mark Tornillo é uma cópia de Udo", diz David Reece

Alemanha: as dez maiores bandas de Metal do paísAlemanha
As dez maiores bandas de Metal do país

Separados no nascimento: Udo Dirkschneider e Rodney DangerfieldSeparados no nascimento
Udo Dirkschneider e Rodney Dangerfield


Fotos de Infância: Avril LavigneFotos de Infância
Avril Lavigne

New York Times: os 100 melhores covers de todos os temposNew York Times
Os 100 melhores covers de todos os tempos

Heavy Metal: celebridades que curtem ou já curtiramHeavy Metal
Celebridades que curtem ou já curtiram

Motörhead: em 1995, Lemmy comenta versão do SepulturaHeavy Metal: as 10 capas mais "de macho" de todos os temposPhil Anselmo: em vídeo, bêbado e se divertindo com fãs russosBruce Dickinson: Use Your Illusions? Aquele formato é uma bosta!

Sobre Felipe Holanda

Futuro jornalista recifense, baixista e apaixonado por heavy metal.

Mais matérias de Felipe Holanda no Whiplash.Net.

adGoo336|adClio336