RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagemO grande amor de Renato Russo que durou pouco mas marcou sua vida para sempre

imagemThiago Bianchi explica sucessão de problemas durante show de Paul Di'Anno

imagemMustaine tentou fazer hit radiofônico e acabou escrevendo a "música mais idiota" do Megadeth

imagemO clássico da banda Evanescence que a vocalista Amy Lee odiava

imagemOs 4 fatores determinantes que levaram Renato Russo a dependência química

imagemA opinião de Paul McCartney sobre a música dos Sex Pistols

imagemA música de Raul Seixas que salvou a carreira de Chitãozinho e Xororó

imagemOs 10 maiores vocalistas de heavy metal de todos os tempos, em lista do Ruthless Metal

imagemA opinião de Slash sobre Dave Mustaine e "Rust In Peace", clássico do Megadeth

imagemIron Maiden, RATM e Soundgarden são indicados ao Rock And Roll Hall Of Fame

imagemOmelete diz que heavy metal pertence agora à nova geração e não ao tiozão headbanger

imagemO dia que João Gordo xingou Ayrton Senna por piloto se recusar a dar entrevista a ele

imagemPara John Lennon, os Beatles poderiam ter acontecido sem George e Ringo

imagemComo Tommy Lee e o Mötley Crüe ajudaram Axl Rose a escrever "November Rain"

imagemMike Portnoy escolhe os álbuns preferidos de sua adolescência


Stamp

The German Panzer: Uma boa pedida para os fãs de música pesada

Resenha - Send Them All To Hell - German Panzer

Por Felipe Holanda
Postado em 03 de fevereiro de 2015

Nota: 8

O CD gravado pela Nuclear Blast gerou certa polêmica aqui no Brasil pelo fato do nome já ser utilizado por outra banda, o Panzer, na ativa desde 1991. Todavia, o projeto dos lendários Schmier (voz e baixo, "Destruction"), Herman Frank (guitarra, "Accept") e Stefan Schwarzmann (bateria, "Accept") mudou de nome para "The German Panzer" e tem muita qualidade.

Claramente, os músicos alemães trouxeram vertentes de suas bandas para o projeto. Os timbres tradicionais do "Accept" e os riffs rasgados do "Destruction". Porém, são apenas semelhanças. O som é menos veloz e melódico que os trabalhos de outrora. A maioria das composições são da autoria de Herman Frank.

Logo no início, "Death Kneel" é um verdadeiro petardo, que podia abrir qualquer grande álbum de Heavy Metal. Solos chamativos de guitarra e uma boa letra narrada por Schimier. Destaque para o refrão, muito bem construído e daqueles que grudam na cabeça.

A música homônima ao projeto tem uma levada que flerta com o metal industrial. Riffs e dedilhados revezando entre arranjos e melodias. Um refrão bem arrastado e nítido para não deixar uma dúvida sequer. Mesmo cadenciada, "Panzer" é uma grande faixa e está à altura do projeto.

"Freakshow" já começa a mais de mil por hora. Com uma bateria bastante rápida de Stefan somada a solos nas seis cordas de Herman. Bastante peso do começo ao fim, uma faixa daquelas para balançar a cabeça sem parar. Na minha opinião, uma das melhores de todo o álbum.

"Mr. Nobrain" é , sem sombra de dúvidas, aquela que mais se destaca. Seja pela letra muito bem escrita, ou pelas levadas precisas de guitarra, baixo e bateria. Na sequência, um belíssimo refrão que não sai da cabeça nem por decreto. Uma grande música e pesada até o cérebro!

Às vezes, as músicas têm alguma semelhança com o som do Judas Priest. A influência é clara logo no começo de "Roll The Dice", que parece bastante com as linhas de guitarra de "The Hellion/Eletric Eye". Mesmo assim, trata-se de uma música de qualidade, com um belo riff e boas estrofes.

Na última track, muito Thrash Metal, mas um pouco cadenciado. "Bleed for your Sins" traz a tona uma grande virtude da banda: misturar as influências de cada e ir de encontro à perfeição. A canção é boa o suficiente para integrar qualquer grande álbum de Heavy Metal, novamente com Frank se destacando nas guitarras. Que solo!

Destaque para as seis cordas seja nas bases ou nos solos, com timbres realmente bons. Aliás, a guitarras é o ponto forte do disco, com uma pegada muito instigada e uma palhetada precisa.

Na cozinha, Schimier faz o básico com maestria e Stefan carrega todo o peso nas costas. De fato, o álbum não traz muita coisa nova, mas é uma boa pedida para os fãs de música pesada.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:
Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps



LGBT: confira alguns músicos que não são heterossexuais

Slayer: a trágica e não revelada história do fim de Jeff Hanneman


publicidadeAdemir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | André Silva Eleutério | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Euber Fagherazzi | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Henrique Haag Ribacki | José Patrick de Souza | Julian H. D. Rodrigues | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Sergio Luis Anaga | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre Felipe Holanda

Futuro jornalista recifense, baixista e apaixonado por heavy metal.
Mais matérias de Felipe Holanda.