Maleficarum: Honrando a tradição do Metal Extremo nordestino

Resenha - Trans Mysterium - Maleficarum

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Vitor Franceschini
Enviar correções  |  Ver Acessos

publicidade

Nota: 8


Cinco anos após o debut "Inferno" (2009), os cearenses do Maleficarum retornam com "Trans Mysterium" e seu Black Metal calcado nas bandas tupiniquim do estilo e com influências enraizadas. Em uma bela embalagem digipack, o disco traz uma sonoridade que irá agradar em cheio aos mais fieis.

Ninguém é perfeito: os filhos "bastardos" de pais famososSeparados no nascimento: Cazuza e Lauro Corona

A velocidade é um dos elementos principais do trabalho, desde os riffs rápidos, passando por uma cozinha direta e coesa. Há quebradas interessantes, mas a banda opta por um som apocalíptico, cheio de raiva e agressividade. Melodia só de leve e os arranjos de teclados passam longe aqui.

As bases são estruturadas, tendo riffs diretos, ríspidos, típicos do estilo com uma produção que deixa o som mais cru e orgânico, com mixagem e masterização realizada no estúdio 746. Um fator importante e que chama atenção é a objetividade das músicas, já que a média é de três minutos e a banda sabe explorar bem esse tempo.

As letras cantadas em português abordam satanismo e, obviamente, anti-cristianismo e as vocalizações com timbres rasgados são pouco inteligíveis (o que não faz muita diferença). Destaque para Aqueronte e Noite do Terror, mas o disco todo possui um bom equilíbrio.

"Trans Mysterium" ainda trás duas bônus, sendo uma para Cântico Malígno das Sombras (originalmente lançada na demo auto-intitulada de 2009) e o outro para um ótimo cover da clássica Guerreiro de Satã, do Vulcano. Enfim, o segundo álbum do Maleficarum é mais uma obra que acrescenta valor ao Black Metal brasileiro.

http://www.myspace.com/maleficarumhorda
maleficarum_horde@hotmail.com




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Maleficarum"


Ninguém é perfeito: os filhos bastardos de pais famososNinguém é perfeito
Os filhos "bastardos" de pais famosos

Separados no nascimento: Cazuza e Lauro CoronaSeparados no nascimento
Cazuza e Lauro Corona

Tatuagens: Homenagens à banda Iron Maiden na pele dos fãsTatuagens
Homenagens à banda Iron Maiden na pele dos fãs

Ummagumma: Desentendimentos e confusões... o que é rock progressivo?Ummagumma
Desentendimentos e confusões... o que é rock progressivo?

Guitar World: as 50 melhores canções de Rock de todos os temposGuitar World
As 50 melhores canções de Rock de todos os tempos

Kerry King sobre Megadeth: são como fantasmas para nósKerry King sobre Megadeth
"são como fantasmas para nós"

Metallica: Após lançar álbum acústico, o que falta para a banda?Metallica
Após lançar álbum acústico, o que falta para a banda?


Sobre Vitor Franceschini

Jornalista graduado tem como principal base escrever sobre Rock e Metal, sua grande paixão. Ex-editor do finado Goredeath Zine, atual comandante do blog Arte Metal, além de colaborador de diversos veículos do underground.

Mais matérias de Vitor Franceschini no Whiplash.Net.

adGooILQ