Liv Kristine: Ainda uma bela voz em novo disco

Resenha - Vervain - Liv Kristine

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Vicente Reckziegel
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 8


Não, não é um novo Theatre of Tragedy, não podendo e nem devendo ser comparado com os clássicos discos do grupo norueguês. Este é o quinto disco solo da ex-vocalista da banda, Liv Kristine, que ainda mantém, firme e forte, a banda Leaves' Eyes.

Separados no nascimento: Andre Matos e Steve PerryHeavy Metal Fail: os Trues também saem mal na foto

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

E em "Vervain" parece que a bela cantora resolve revisitar um pouco a sonoridade de sua ex-banda, pois todo o disco possui uma áurea mais gótica muito presente, lembrando em alguns momentos o clássico "Aegis", mas obviamente sem o mesmo peso que aquele disco trazia. E sem os duetos vocais com o vocalista Raymond Istvàn Rohonyi, que trouxeram a tona várias bandas de Gothic Metal, que faziam (fazem) o que se denominou de vocais "a Bela e a Fera".

Liv continua com sua voz angelical soando de forma agradável em todas as dez faixas de "Vervain". Quem conhece a cantora e sua carreira, sabe que sua voz nunca teve uma grande potência ou energia, como os exemplos de Floor Jansen ou Tarja Turunen. Mas no que se propõe a fazer, Liv Kristine é soberana.

O disco começa com a bela e mais pesada "My Wilderness", cujo refrão é daqueles que marcam logo em uma primeira audição. "Lotus" é daquelas baladinhas feitas especialmente para privilegiar o vocal de Liv Kristine, e "Hunters" parece saída de um disco de Pos-Punk/Gothic dos anos 80. Destaques também para a faixa-título "Vervain", outro ótimo trabalho de Liv, e a surpreendente "Oblivious", que encerra o disco em um clima bem soturno, sendo a música que mais se aproxima dos clássicos passados.

"Vervain" também traz duas participações especiais. Em "Love Decay" Michelle Darkness (End of Green) reedita um pouco os clássicos duetos vocais, uma grande música que inclusive virou o primeiro clipe do disco. Já "Stronghold of Angels" traz outra eterna musa do Metal, Doro Pesch. Uma música que vale pelo contraponto das duas vozes, a mais rouca e grave da alemã, em contrapartida ao vocal mais suave de Liv Kristine. Uma boa faixa, apesar de não ter o mesmo brilhantismo de "Love Decay".

Ninguém espera um Metal mais pesado em discos solos de Liv Kristine, mas "Vervain" mostra algumas surpresas nesse sentido, sendo um disco muito agradável em toda sua audição, sendo muito indicado para aqueles que curtem um Gothic Rock...

Tracklist:
1. My Wilderness 03:31
2. Love Decay 04:42
3. Vervain 05:00
4. Stronghold of Angels 04:44
5. Hunters 03:32
6. Lotus 03:46
7. Elucidation 03:45
8. Two and a Heart 05:09
9. Creeper 03:49
10. Oblivious 04:52




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Liv Kristine"Todas as matérias sobre "Theatre Of Tragedy"


Liv Kristine: Fui forçada a deixar o Theatre of TragedyLiv Kristine
"Fui forçada a deixar o Theatre of Tragedy"

Tommy Lindal: os álbuns que marcaram o guitarristaTommy Lindal
Os álbuns que marcaram o guitarrista


Separados no nascimento: Andre Matos e Steve PerrySeparados no nascimento
Andre Matos e Steve Perry

Heavy Metal Fail: os Trues também saem mal na fotoHeavy Metal Fail
Os Trues também saem mal na foto


Sobre Vicente Reckziegel

Servidor público, escritor, mas principalmente um apaixonado pelo Rock e Metal há pelo menos duas décadas. Mantêm o Blog Witheverytearadream desde Dezembro de 2007. Natural e ainda morador de uma pequena cidade no interior do Rio Grande do Sul, chamada Estrela. Há muitos anos atrás tentou ser músico, mas notou que faltava algo simples: habilidade para tocar qualquer instrumento. Acredita na música feita no Brasil, e gosta de todos os gêneros, desde Rock clássico até Black Metal.

Mais matérias de Vicente Reckziegel no Whiplash.Net.

adGoo336