Lenny Kravitz: Ignore a capa tosca e aprecie o novo som

Resenha - Strut - Lenny Kravitz

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Fábio Cavalcanti
Enviar Correções  

9


Em plena era da informação fácil, é raro encontrarmos algum ser perdido que nunca tenha escutado ao menos alguns hits de Lenny Kravitz. Apesar da abrangência musical desse norte-americano desde a sua estreia - com o ainda tímido álbum "Let Love Rule", de 1989 -, o fato é que seus últimos discos tem evidenciado sua paixão cada vez mais crescente por dois gêneros: funk e rock. E o seu novo álbum, "Strut" (2014) é o ápice dessa mistura!

Felipe Andreoli: "Se você quiser se arriscar a ligar para o ex-cantor do Angra..."

Motorhead: a gafe nazista de Lemmy em Nuremberg

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Com tanto tempo de carreira, e atingindo agora a marca de 10 trabalhos de estúdio, Lenny Kravitz mostra, com muito conforto e sinceridade, que pode se divertir - e divertir o mundo, de bandeja - com o fato de estar de bem (aparentemente) consigo mesmo. Após o álbum "Black and White America" (2010), o qual puxava uma veia mais sociopolítica em boa parte das suas 16 canções, temos uma proposta mais dinâmica e despretensiosa nas 12 faixas de "Strut".

Quer algo mais direto e irreverente do que 'funk rocks' vigorosos e cheios de groove que trazem títulos como "Sex", "Dirty White Boots", "Strut" e "Frankenstein"? Você pode praticamente deduzir as temáticas das músicas pelos seus títulos, e pode dedicar sua atenção ao que realmente importa: a construção instrumental e a ótima produção do disco, o que torna a experiência auditiva bastante fluida e agradável, quase sem pontos fracos.

O mais interessante é que as músicas nunca soam puramente rock, pop ou funk, assim como o álbum nunca soa essencialmente agitado ou lento. Kravitz desenvolveu, por fim, um híbrido perfeito entre seus gêneros favoritos, o que resultou em um som que te faz imaginar um fictício encontro do Prince com o Jimi Hendrix em uma festa bacana, ou qualquer outra imagem surreal e divertida desse tipo...

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

E, claro, as baladas também mostram alguma influência do 'groove' geral do disco, como podemos notar em "The Pleasure and the Pain" e "She's a Beast", canções que misturam a beleza da soul music com certo apelo sexual, sempre de forma digna e nada apelativa. E de bônus, alguma coisa de new wave pode ser encontrada nas pulsantes e grudentas "The Chamber" e "I'm a Believer".

Concluindo, Lenny Kravitz mostrou que, ao menos em termos musicais, conseguiu ser mais do que apenas um dos representantes do pop/rock dos anos 90. Juntamente com os clássicos álbuns "Mama Said" e "Are You Gonna Go My Way", temos "Strut" como forte candidato em qualquer enquete sobre os melhores discos do cara. Esqueça a sua capa à la propaganda de perfume tosco, e escute cada música com atenção!

Confira o álbum completo ou suas faixas de destaque (links na playlist):

Músicas:
1. Sex
2. The Chamber
3. Dirty White Boots
4. New York City
5. The Pleasure and the Pain
6. Strut
7. Frankenstein
8. She's a Beast
9. I'm a Believer
10. Happy Birthday
11. I Never Want to Let You Down
12. Ooo Baby Baby




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Lenny Kravitz: cantor rasga as calças em show e mostra o cambãoLenny Kravitz
Cantor rasga as calças em show e mostra o cambão

Lenny Kravitz: quando Slash e ele estudaram na mesma escolaLenny Kravitz
Quando Slash e ele estudaram na mesma escola


Felipe Andreoli: Se você quiser se arriscar a ligar para o ex-cantor do Angra...Felipe Andreoli
"Se você quiser se arriscar a ligar para o ex-cantor do Angra..."

Motorhead: a gafe nazista de Lemmy em NurembergMotorhead
A gafe nazista de Lemmy em Nuremberg


Sobre Fábio Cavalcanti

Baiano, sempre morou em Salvador. Trabalha na área de Informática e ¨brinca¨ na bateria em momentos vagos, sem maiores pretensões. Além disso, procura conhecer novas - e antigas - bandas dos mais variados subgêneros do rock. Por fim, luta para divulgar, sempre que possível, o pouco conhecido cenário rocker da tão sofrida ¨Terra do Axé¨.

Mais matérias de Fábio Cavalcanti no Whiplash.Net.

Goo336x280 GooAdapHor Goo336x280