RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagemO grande amor de Renato Russo que durou pouco mas marcou sua vida para sempre

imagemThiago Bianchi explica sucessão de problemas durante show de Paul Di'Anno

imagemO dia que João Gordo xingou Ayrton Senna por piloto se recusar a dar entrevista a ele

imagemMustaine tentou fazer hit radiofônico e acabou escrevendo a "música mais idiota" do Megadeth

imagemOs 4 fatores determinantes que levaram Renato Russo a dependência química

imagemMax Cavalera escolhe seus álbuns "não metal" preferidos

imagemO clássico da banda Evanescence que a vocalista Amy Lee odiava

imagemMike Portnoy escolhe os álbuns preferidos de sua adolescência

imagemA opinião de Slash sobre Dave Mustaine e "Rust In Peace", clássico do Megadeth

imagemA música de Raul Seixas que salvou a carreira de Chitãozinho e Xororó

imagemFalling In Reverse insulta Sebastian Bach em seu novo clipe

imagemA opinião de Paul McCartney sobre a música dos Sex Pistols

imagemComo Tommy Lee e o Mötley Crüe ajudaram Axl Rose a escrever "November Rain"

imagemOs 10 maiores álbuns da história do grunge, em lista do Brave Words

imagemOs 10 maiores vocalistas de heavy metal de todos os tempos, em lista do Ruthless Metal


Exilio Angel

Arch Enemy: O melhor trabalho da banda até agora

Resenha - War Eternal - Arch Enemy

Por Danilo Oliveira
Postado em 19 de julho de 2014

Nota: 8

"War Eternal" marca a entrada de Alissa White-Gluz no vocal, já que Angela Gossow anunciou saída da banda. Uma substituição, a princípio, duvidosa, já que Gossow era a grande personalidade da banda. Porém, o resultado da substituição foi ótimo, sendo que Alissa até agregou valores importantes no metal do Arch Enemy.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

War Eternal tem uma pegada menos doom e mais hardcore, tendo seus momentos symphonic death nas faixas que fazem uso do teclado de Michael. O gutural da Alissa tem só uma leve diferença da Angela, porque é mais voltada ao screamo, sendo que apenas os fans mais fans vão sentir algo ruim nessa alteração. Alissa só usa o seu gutural, e não sua voz limpa como ela fazia no The Agonist, (que cai entre nós, ficou bem melhor assim!). Enfim, o Arch Enemy se desprendeu um pouco menos do gênero symphonic death para algo mais explosivo e metalcore, o que ficou ainda melhor, trazendo um death metal mais flexível e moderno.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Há uma entrada gótica com direito a coro, chamada "Tempore Nihil Sanat". A faixa "Never Forgive, Never Forget" dá um sensacional início ao som death dos caras. "War Eternal", faixa single, é grudenta, de tão bom que ficou o refrão. "As The Page is Burn" é bem agressiva, também traz um refrão ótimo e boas guitarras. "No More Regrets" é enérgica e usa um refrão mais sinfônico. "You Will Know my Name" é mais hardcore, e muito boa.

Há uma pequena faixa instrumental de um minuto e pouquinhos, somente para dar um intervalo no som de War Eternal.

Já na oitava faixa, "Stolen Life", traz um bom melódico nas guitarras. "Time is Black" é mais uma excelente composição dos caras, com um teclado bem marcante, gótico, e com bastantes pausas melódicas. "On and On" é uma das melhores faixas do álbum, enquanto "Avalanche" e "Down to Nothing" e a instrumental "Not Long for this World" encerra muito bem o novo trabalho da banda.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Arch Enemy tem um dos sons mais bacanas de gutural, que é pesado, ora obscuro, sem desvalorizar bons riffs e refrões. War Eternal faz exatamente isso. Creio ser o melhor trabalho da banda até agora, trazendo uma série de faixas boas. Metaleiros de grande competência, merecedores de muito sucesso com a sua nova frontwoman.

Enfim, War Eternal é bom pra caralho!


Outras resenhas de War Eternal - Arch Enemy

Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:
Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps


Stamp

Arch Enemy: Angela fala sobre dificuldade em ser mãe

Arch Enemy: Jeff Hanneman nunca será esquecido, diz Gossow

Como Michael Ammot, do Arch Enemy, serviu de padrinho de luxo do Soilwork


publicidadeAdemir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | André Silva Eleutério | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Euber Fagherazzi | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Henrique Haag Ribacki | José Patrick de Souza | Julian H. D. Rodrigues | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Sergio Luis Anaga | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre Danilo Oliveira

Paulistano, estudante e apaixonado por música. Rockeiro porque curte música boa. Seu primeiro rock foi o Nightwish. Hoje, além do heavy metal, curte muito a passagem da música nos anos 80.
Mais matérias de Danilo Oliveira.