Arch Enemy: Álbum com nova vocalista é um dos melhores da banda

Resenha - War Eternal - Arch Enemy

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Paulo Pontes
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 9

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Após uma decisão tomada há algum tempo, mas inesperada pelos fãs, a saída da vocalista - agora gerente - ANGELA GOSSOW para a entrada de ALISSA WHITE-GLUZ, ex-THE AGONIST, o Arch Enemy grava um álbum com versatilidade instrumental e vocal. Sem dúvidas "War Eternal" é um dos melhores discos da carreira da banda.

The Agonist: Alissa White-Gluz rebate Vicky Psarakis e nega querer derrubar a bandaGuns N' Roses: Axl desafina guitarra de Slash e pede desculpas

Após a sombria intro "Tempore Nihil Sanat (Prelude In F Minor)", temos a violentíssima "Never Forgive, Never Forget", veloz, pesada e de cara nos mostra o que Michael Ammot declarou recentemente, no aspecto vocal, "Alissa é muito mais versátil que Angela", a nova vocalista percorre com facilidade entre um vocal mais gutural e um mais rasgado. Este detalhe é constante em todo o álbum.

As já conhecidas, "War Eternal" e "As The Pages Burn", têm bem a cara da banda, refrões melódicos e solos incríveis executados por Michael Ammot e pelo também estreante da banda em estúdio, Nick Cordle.

Eis que surge uma das melhores músicas do disco, "No More Regrets" tem um instrumental fantástico e um refrão que no inicio pode soar um pouco "estranho", mas quando escutado com devida atenção se mostra muito forte e empolgante.

"You Will Know My Name" é mais cadenciada e tem uma excelente pegada "hard rock", alem de um refrão com melodia na medida certa, funcionará muito bem ao vivo, outra das melhores do álbum.

A instrumental - constante em trabalhos da banda - "Graveyard Of Dreams", dá uma pausa na pancadaria, que retorna de forma muito boa em "Stolen Life".

"Time Is Black'" começa com um teclado de leve dando as caras em outros trechos da música, que tem uma dinâmica muito boa, excelente trabalho do baterista Daniel Erlandsson.

Com mudanças de andamento e um trabalho primoroso de Alissa, "On and On" mostra mais uma vez a versatilidade da vocalista, sua voz encaixou de forma perfeita ao som da banda.

"Avalanche" também tem teclados em sua intro e durante toda a música, uma faixa mais moderna, com sutis backing vocals limpos em parte do refrão, nada que mude as características da banda ou deixe a canção menos interessante.

"Down To Nothing" é pesadíssima, com solos de guitarra que estão entre os melhores do disco, a faixa ainda mostra uma Alissa cantando de forma mais gutural e brutal.

As guitarras prevalecem na instrumental e cadenciada "Not Long For This World" que encerra o álbum de forma melódica e não tão pesada, a impressão que temos ao ouvi-lá não é a de "última faixa", mas sim de introdução, a sensação é que ao termino da canção teremos uma nova pedrada, que claro, não vem, o disco chegou ao fim.

Um trabalho de respeito na carreira do Arch Enemy, "War Eternal" é um disco que mostra uma banda renovada e com muita lenha pra queimar, com certeza será um dos melhores lançamentos no primeiro semestre de 2014. Quanto a excelente performance da estreante ALISSA WHITE-GLUZ, não há do que se queixar, ela dá uma nova cara a banda e mostra que independente do que muitos possam pensar, Angela Gossow não é insubstituível, nos resta conferir e torcer para que Alissa tenha um bom desempenho e presença ao vivo, coisas que Angela tinha de sobra.

Track-list

1. Tempore Nihil Sanat (Prelude in F minor)
2. Never Forgive, Never Forget
3. War Eternal
4. As The Pages Burn
5. No More Regrets
6. You Will Know My Name
7. Graveyard Of Dreams
8. Stolen Life
9. Time Is Black
10. On And On
11. Avalanche
12. Down To Nothing
13. Not Long For This World


Outras resenhas de War Eternal - Arch Enemy

null




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Arch Enemy"


The Agonist: Alissa White-Gluz rebate Vicky Psarakis e nega querer derrubar a banda

The Agonist: Alissa tenta matar a banda desde que foi demitida, diz Vicky PsarakisThe Agonist
"Alissa tenta matar a banda desde que foi demitida", diz Vicky Psarakis

Babymetal: Sabaton, Arch Enemy e rapper participam de novo álbumBabymetal
Sabaton, Arch Enemy e rapper participam de novo álbum

The Agonist: Alissa descreve demissão como pior traição da vidaThe Agonist
Alissa descreve demissão como "pior traição da vida"

Heavy Metal: sete mulheres em que devemos ficar de olho em 2015Heavy Metal
Sete mulheres em que devemos ficar de olho em 2015

Heavy Metal: clipes de metal que marcaram uma geraçãoHeavy Metal
Clipes de metal que marcaram uma geração


Guns N' Roses: Axl desafina guitarra de Slash e pede desculpasGuns N' Roses
Axl desafina guitarra de Slash e pede desculpas

Sign of the horns: o sinal do DemônioSign of the horns
O sinal do Demônio

Preços: quanto custa para contratar a sua banda favoritaPreços
Quanto custa para contratar a sua banda favorita

Alice in Chains: mensagem subliminar na capa de "The Devil Put Dinosaurs Here"Namore um cara que goste de MetalSlash: site posta foto de guitarrista quando ainda era menorStage Dive: os saltos mais épicos e insanos do rock

Sobre Paulo Pontes

Nascido em Valinhos, interior de São Paulo, é estudante de jornalismo e iniciou-se no universo do rock ouvindo Guns n' Roses. É fã de Led Zeppellin, Richie Kotzen e Edguy, mas adora o rock em todas as suas vertentes, do Classic Rock ao Black Metal. Depois de escutar o refrão de "Eagle Fly Free" pela primeira vez, passou a curtir muito Power Metal, e achou que jamais iria ouvir um refrão tão bom quanto aquele dentro de tal vertente, realmente estava certo, ainda não ouviu. Casado e pai de duas lindas meninas, também se diverte muito com bons filmes e livros.

Mais matérias de Paulo Pontes no Whiplash.Net.

adGoo336|adClio336