Megadeth: 22 anos de "Countdown To Extinction"

Resenha - Countdown to Extinction - Megadeth

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Rodrigo N. Fiuza, Fonte: Wikimetal
Enviar correções  |  Ver Acessos


Lançado em 14 de julho de 1992, o quinto álbum de estúdio do Megadeth se mantém até os dias de hoje como uma das obras-primas do heavy metal, influenciando gerações de músicos e não-músicos mundo afora. Hoje na ocasião de seu aniversário de 22 anos!

Megadeth: Dave Mustaine pegou dicas de canto com Bruce Dickinson após câncerBig Four: astros da cena Heavy escolhem banda preferida

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O Megadeth tinha chegado num ponto muito difícil para a maioria das bandas: tinha acabado de lançar sua primeira obra-mestra, Rust in Peace (1990). É nesse ponto que muitas bandas ficam tentadas a se autocopiarem, vivendo na sombra de seu próprio sucesso. Felizmente não foi esse o caminho do Megadeth. Countdown foi um disco tão inovador quanto o anterior, atingindo o mesmo nível de inspiração. Os riffs, os solos, as letras, tudo está em perfeita ordem. Não vou nem aprofundar a discussão de qual disco é melhor, Countdown to Extinction ou Rust in Peace, o fato é que ambos se encontram no mesmo nível, e para mim qualquer opinião de qual dos dois é melhor é válida.

O álbum começa com a ótima "Skin O' My Teeth", mas conforme as faixas vão avançando, acaba ficando até um pouco esquecida devido a qualidade crescente que encontramos. "Symphony of Destruction" tem um dos riffs mais marcantes da carreira da banda, senão o mais marcante. "Architecture of Aggression" tem uma pegada sensacional e pouco usual no heavy metal, trazendo toda a temática sobre guerras que se encontra presente em todo o disco. "Foreclosure of a Dream" mistura o leve com pesado na exata medida, tornando-se uma das melhores canções do álbum.
"Sweating Bullets" é um clássico indiscutível da banda, que sintetiza muito bem o "horror irônico" do álbum. A voz rouca do Mustaine conseguiu achar a melhor maneira possível de ser utilizada. Simplesmente fantástica . Assim segue a ótima "This Was My Life". Na sequência, a faixa título segue numa sensacional melodia e ótimos solos. Também recheada de solos de lacrimejar os olhos da dupla Mustaine/Friedman é a faixa "High Speed Dirt" (com um curto mas lindo solo acústico no meio). Na sequência "Psychotron", trazendo de volta a cadência do começo do disco.

A penúltima faixa é para mim um dos pontos altos do disco. "Captive Honour" começa com uma sequência de vozes simulando um julgamento, terminando com o juiz lendo a sentença de condenação a pena capital. Tudo isso seguindo um crescente instrumental, culminando com a entrada da distorção das guitarras e da voz furiosa de Mustaine. Os solos são igualmente maravilhosos. O Megadeth sempre teve uma vantagem em relação a muitas bandas do seu gênero: possuir dois guitarristas solos fantásticos, pois não só Friedman era um exímio guitarrista, mas o próprio Dave Mustaine, cantor e principal compositor do grupo. Mustaine sempre nos brindou com performances sensacionais e muito inspiradas.

Por fim, Countdown to Extinction encerra com a faixa "Ashes in Your Mouth", a mais exótica de todas, mas não menos sensacional, permanecendo por muitos anos no set list do grupo. Trata-se, portanto, de um álbum de 11 excelentes canções - nenhuma ruim - algo difícil de se alcançar, mas que é realidade no mundo de Dave Mustaine. O disco ainda ganhou uma versão remasterizada em 2004, contendo 4 faixas bonus.

Manter-se como uma referência por mais de 20 anos não é para qualquer um. Countdown to Extinction representou o apogeu de um estilo que anos mais tarde sofreria uma grande queda no mercado da música. Mais do que isto, representou o espectro daquilo que não pode morrer.

Formação:
DAVE MUSTAINE - guitarra, voz e backing vocals
MARTY FRIEDMAN - guitarra e backing vocals
DAVID ELLEFSON - baixo e backing vocals
NICK MENZA - bateria e backing vocals

Track listing:
1 - Skin O' My Teeth
2 - Symphony Of Destruction
3 - Architecture Of Aggression
4 - Foreclosure Of A Dream
5 - Sweating Bullets
6 - This Was My Life
7 - Countdown To Extinction
8 - High Speed Dirt
9 - Psychotron
10 - Captive Honour
11 - Ashes In Your Mouth

Faixas bônus 2004
12 - Crown Of Worms
13 - Countdown to Extinction (Demo)
14 - Symphony of Destruction (Demo)
15 - Psychotron (Demo)


Outras resenhas de Countdown to Extinction - Megadeth

Megadeth: Countdown To Extinction é clássico que sempre será atualMegadeth
Countdown To Extinction é clássico que sempre será atual

Megadeth: Countdown to Extinction, o disco que não envelheceMegadeth: "Countdown..." é seu ápice intelectual e comercial




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Megadeth"


Megadeth: Dave Mustaine pegou dicas de canto com Bruce Dickinson após câncerMegadeth
Dave Mustaine pegou dicas de canto com Bruce Dickinson após câncer

Dave Mustaine: câncer não está em remissão, mas tratamento foi concluídoDave Mustaine
Câncer não está em remissão, mas tratamento foi concluído

Judas Priest: Tim "Ripper" se junta a ex-membros do Megadeth e toca clássicos da banda

Megadeth: James me ama e se importa comigo, diz Dave MustaineMegadeth
"James me ama e se importa comigo", diz Dave Mustaine

Patinhos feios: grandes álbuns que são subestimados - Parte 1Patinhos feios
Grandes álbuns que são subestimados - Parte 1

Megadeth: banda voltará aos palcos no mês de janeiroMegadeth
Banda voltará aos palcos no mês de janeiro

David Ellefson: definido o repertório da Masterclass "Basstory"

Dave Mustaine: com excelente aparência em foto familiarDave Mustaine
Com excelente aparência em foto familiar

Megadeth: veja trailer de "Dwellers", filme da produtora de David EllefsonCanal Barbônico: Dave Mustaine e as suas maiores tretas (vídeo)

Loudwire: dez reuniões inesquecíveis no palcoLoudwire
Dez reuniões inesquecíveis no palco

Dave Mustaine: Kiko é o primeiro que me intimida desde FriedmanDave Mustaine
"Kiko é o primeiro que me intimida desde Friedman"


Big Four: astros da cena Heavy escolhem banda preferidaBig Four
Astros da cena Heavy escolhem banda preferida

Raul Seixas: Perguntas e respostas e curiosidades diversasRaul Seixas
Perguntas e respostas e curiosidades diversas


Sobre Rodrigo N. Fiuza

Rodrigo N. Fiuza, 28 anos residente em Itararé interior de SP. Sou fanático por classic rock e metal. Heavy, Death, Black, Thrash, Speed, Power, Doom entre outras.. Procuro sempre estar ligado nas noticias em geral e me atualizar sempre sobre tal gênero.

Mais matérias de Rodrigo N. Fiuza no Whiplash.Net.

adGoo336