[an error occurred while processing this directive]

Matérias Mais Lidas


Stamp

Steelfox: Heavy Metal tradicional direto e poderoso

Resenha - 13: 18 - Steelfox

Por Felipe Cipriani Ávila
Postado em 04 de julho de 2014

Nota: 9

O conjunto paulistano Steelfox foi formado em 2012, pelo contrabaixista Diego Julio, tendo como principais influências as bandas tradicionais de Heavy Metal da prolífica década de oitenta. O álbum de estreia, "13:18", foi lançado no primeiro trimestre de 2014, e não demora muito para cativar o ouvinte.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 1

Gravado no estúdio Mr. Som, localizado em São Paulo, "13:18" se mostra um material muito inspirado, coeso, de fácil assimilação e repleto de melodias de muito bom gosto.

O que logo chama a atenção é o peso imprimido em todas as composições, com riffs e solos de guitarra certeiros e marcantes, ótimas e evidentes linhas de contrabaixo, além de um eficiente trabalho de bateria e linhas vocais criativas, bem interpretativas e
características.

A parte lírica do trabalho aborda a profecia do fim do mundo segundo a cultura dos maias e merece atenção especial do ouvinte, pois complementa e abrilhanta ainda mais a audição. A bela arte de capa a cargo do carioca Alan Silva (Asymmetry) combina bastante com o tema.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 2

No que concerne às músicas em si, como já foi mencionado, praticamente todas, excetuando-se a bela balada "Tides Of War", são bem pesadas, diretas, enérgicas e bebem bastante da fonte do Heavy Metal tradicional da década de oitenta. A faixa de abertura, "Hail The Hate", é, provavelmente, um dos grandes destaques, pois logo mostra "para o que veio", com um breve e ótimo solo de bateria de Juliana Shibata, logo explodindo e ficando bem pesada e poderosa. O vocal agressivo, próprio e marcante de Meri Bondezan dá ainda mais ênfase ao peso das guitarras e dos outros instrumentos, deixando tudo ainda mais rico, empolgante e envolvente. Entretanto, o trabalho segue ótimo ritmo, e as composições seguintes mantêm o entusiasmo do ouvinte. A segunda faixa, "Memories Of Chaos", logo no início já chama a atenção, ficando cada vez mais encorpada e poderosa. As linhas vocais impressionam pela precisão e agressividade, crescendo ainda mais na ponte e no refrão, que são muito bons e de fácil memorização. As linhas de contrabaixo são bem criativas e presentes e os solos de guitarra são maravilhosos, repletos de energia e emoção. Voltando à parte vocal, Meri Bondezan é muito talentosa e possui um timbre bem característico, interpretando muito bem a letra. É complicado citar esse ou aquele destaque, pois o ritmo imprimido às canções é muito forte, sendo que há pouco tempo para respirar e descansar. Temas como "Deathbed", "Nostri Diaboli", "Embassy Of Hell" (que tem, inclusive, um videoclipe), "First Rider" e "Demonmetals" logo emocionam qualquer fã de Heavy Metal clássico, por serem muito influenciados pela "década de ouro" do gênero. Tanto os riffs e solos de guitarra, como a cozinha bastante competente, além das poderosas e precisas linhas vocais, nos remetem à década de oitenta. A terceira mencionada, "Embassy Of Hell", por exemplo, possui uma introdução bem marcante, forte e pesada, bem na escola das bandas tradicionais oitentistas. Como pode ser observado no seu decorrer, é uma música direta, sem firulas, com linhas vocais ímpares, contando com um refrão de fácil assimilação, daqueles para o público cantar em uníssono nas apresentações ao vivo. A oitava faixa do álbum, a já citada "Demonmetals", é também um Heavy Metal puro e direto, que cresce cada vez mais até chegar ao ótimo refrão. O trabalho de bateria merece elogios pela precisão, competência e criatividade. As quatro últimas faixas, "Three Heroes", "Welcome To Hell", "The Thirteenth" e "13:18", não ficam atrás no quesito criatividade e energia. Todas vão direto ao ponto, nos brindando com várias melodias memoráveis e
emocionantes.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 3

O álbum de estreia do Steelfox é, então, um registro que enaltace tudo de melhor que há no Heavy Metal tradicional, sendo que cada nota é tocada com muita paixão e comprometimento. A audição integral é muito agradável, divertida e certamente renderá muito headbanging ao ouvinte. Vida longa ao conjunto e que nos brinde com mais registros dessa estirpe!

Confira as faixas do álbum:
http://www.rdio.com/artist/Steelfox/?ref=atw

Além do videoclipe oficial para a faixa "Embassy Of Hell":

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 4

Formação da banda:
Meri Bondezan – Vocal
Guilherme Fernandes – Guitarra
Otto Lima – Guitarra
Nuno Braz – Guitarra e Backing Vocal
Diego Julio – Contrabaixo e Backing Vocal
Juliana Shibata – Bateria e Backing Vocal

Faixas:
1 – Hail The Hate
2 – Memories Of Chaos
3 – Deathbed
4 – Nostri Diaboli
5 – Embassy Of Hell
6 – The Sevens
7 – First Rider
8 – Demonmetals
9 – Tides Of War
10 – Three Heroes
11 – Welcome To Hell
12 – The Thirteenth
13 – 13:18

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 5

Outras resenhas de 13: 18 - Steelfox

Steelfox: Heavy Metal tradicional com características ímpares

Steelfox: Heavy Metal tradicional no sangue

Steelfox: Representando com fidelidade e garra o Metal dos 80's

Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:

Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps


Summer Breeze 2024

Stratosphere Project: O eco estrondoso da Via-Láctea fundindo-se nas dimensões ocultas

Perc3ption: A arte em situações extremas

"Here Comes The Rain", último registro do Magnum com Tony Clarkin, é mais um bom registro

Resenha - Nebro - Vesperaseth

Sepultura: Em plena forma e com mais um disco brilhante

Deep Purple: Who Do We Think We Are é um álbum injustiçado?

Deep Purple: Stormbringer é um álbum injustiçado?

Megadeth: recuperando a fúria que faltava


publicidadeAdriano Lourenço Barbosa | Airton Lopes | Alexandre Faria Abelleira | Alexandre Sampaio | André Frederico | Ary César Coelho Luz Silva | Assuires Vieira da Silva Junior | Bergrock Ferreira | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Alexandre da Silva Neto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cláudia Falci | Danilo Melo | Dymm Productions and Management | Efrem Maranhao Filho | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Fabio Henrique Lopes Collet e Silva | Filipe Matzembacker | Flávio dos Santos Cardoso | Frederico Holanda | Gabriel Fenili | George Morcerf | Henrique Haag Ribacki | Jesse Alves da Silva | João Alexandre Dantas | João Orlando Arantes Santana | Jorge Alexandre Nogueira Santos | José Patrick de Souza | Juvenal G. Junior | Leonardo Felipe Amorim | Luan Lima | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Marcus Vieira | Maurício Gioachini | Mauricio Nuno Santos | Odair de Abreu Lima | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Ricardo Cunha | Richard Malheiros | Sergio Luis Anaga | Silvia Gomes de Lima | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Victor Adriel | Victor Jose Camara | Vinicius Valter de Lemos | Walter Armellei Junior | Williams Ricardo Almeida de Oliveira | Yria Freitas Tandel |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre Felipe Cipriani Ávila

Headbanger convicto e fanático, jornalista (graduado pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais - PUC Minas), colecionador compulsivo de discos, não vive, de modo algum, sem música. Procura, sempre, se aprofundar no melhor gênero de música do mundo, o Heavy Metal, assim como no Rock'n'Roll, de um modo geral, passando pelo clássico, pelo progressivo, pelo Hard setentista e oitentista, e não se esquecendo do Blues. Play It Loud!
Mais matérias de Felipe Cipriani Ávila.

 
 
 
 

RECEBA NOVIDADES SOBRE
ROCK E HEAVY METAL
NO WHATSAPP
ANUNCIAR NESTE SITE COM
MAIS DE 4 MILHÕES DE
VIEWS POR MÊS