Osmium Guillotine: A velha escola tradicional de Heavy Metal

Resenha - Osmium Guillotine - Osmium Guillotine

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por João Miranda
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 8


A banda inglesa, OSMIUM GUILLOTINE, caracterizada por seu estilo tradicional em fazer heavy metal, está na luta desde 2009 e passou, naturalmente, por algumas mudanças em sua formação lançando alguns EPs de forma independente. Mas foi somente agora, em 2014, com seu line-up consolidado, que finalmente lançam seu primeiro full-length através do selo MGR Music.

Kerrang: os melhores singles já lançadosMetallica: garoto de 10 anos destrói com "Enter Sandman" em programa de TV

A reverência para com a velha escola é evidente desde o primeiro riff, mas a faixa-título instrumental, que abre o álbum, dá o tom para a tensão que está por vir, especialmente quando você ouve a guilhotina cortando o pescoço de alguém.

E o que se segue é um trabalho muito bem concebido e executado cheio de riffs e solos criativos e harmonizados. Os vocais de Pete Keliris se encaixam muito bem neste estilo que a banda propõe. A versatilidade das canções faz do álbum uma audição fácil e que certamente será repetida muitas vezes.

O disco tem um clima sombrio do início ao fim e os destaques são " D Day" (que que torna a data de lançamento, 6 de junho, mais do que apropriada), "Phobophobia", com seus riffs e refrões cativantes, "Hobgoblin" um folk metal com uma levada punk em algumas partes, " Into the Battle " com uma pegada mais thrash misturada com a fase Paul Di'Anno do IRON MAIDEN e "Breathe it in, Son", uma instrumental, um pouco mais lenta, mas que passa longe de ser uma balada com outro ótimo solo de guitarra, que nos permite dar um último suspiro para ouvir "Subhuman" a última e mais longa faixa do álbum com uma levada doom em determinados momentos.

Os pontos positivos são, com certeza, as guitarras de Lance Steele e (do também guitarrista) Pete muito bem trabalhadas e sem exageros. Os solos de Lance nos mostra todo o seu talento e musicalidade.

O único ponto negativo, se é que temos um, seria a mixagem. O álbum foi muito bem produzido, mas é fato que as guitarras soam bem mais altas do que o resto dos instrumentos. O que não diminui, em nenhum momento, a competência do baterista James Balcombe e do baixista Dan Thurgood ao longo do disco. Embora, na minha humilde opinião, creio que esta era a intenção da banda, em sua busca por nada mais do que um som "cru", sem frescuras e direto na sua cara. Ou melhor, direto no seu pescoço.

http://osmiumguillotine.com
https://www.facebook.com/osmiumguillotine

Osmium Guillotine - Osmium Guillotine
(MGR Music - 2014 - Importado)

Track-list:

1. Osmium Guillotine
2. Martyrdom
3. D-Day
4. Phobophobia
5. Blight Upon Mankind
6. City of Chaos
7. Hobgoblin
8. Goomba
9. Into the Battle
10. Breathe it in, Son
11. Subhuman



GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Osmium Guillotine"


Kerrang: os melhores singles já lançadosKerrang
Os melhores singles já lançados

Metallica: garoto de 10 anos destrói com Enter Sandman em programa de TVMetallica
Garoto de 10 anos destrói com "Enter Sandman" em programa de TV


Sobre João Miranda

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.