Slave Zero: Death Metal futurista

Resenha - Disambiguated Visionary - Slave Zero

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Vitor Franceschini
Enviar Correções  

publicidade

8


Esses irlandeses já possuem dois álbuns completos e "Disambiguated Visionary" é o segundo EP do quarteto. Resumindo, a banda não é novata e sabe muito bem onde pisa. Portanto, as chances desse novo trabalho ser ruim são mínimas.

A banda investe em um Death Metal que tem como principal diferença o clima futurista e a sonoridade intrincada. As composições são cheias de quebradas, instrumental complexo e andamento variado. É só ouvir a cozinha e sacar o quanto de viradas dá pra contar (se conseguir).

publicidade

Algo bem leve de Thrash Metal também pode ser encontrado nas composições. Interessante o trabalho insano de vocais, já que guturais são apoiados por um rasgado completamente louco.

A produção é boa, mas se fosse mais bem lapidada daria ainda mais qualidade às composições. Destaque para as faixas Embroidered Strategy of Calculated Misrepresent, Oscillating Perceptions of an Abstract Existence e Anthropic Landscape Theory.

http://www.slavezero.net/
https://www.facebook.com/slavezeroband

publicidade

publicidade



Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Nirvana: quem é o bebê da capa de Nevermind?Nirvana
Quem é o bebê da capa de Nevermind?

Bruce Dickinson: punks não sabem tocar e tem inveja do metalBruce Dickinson
Punks não sabem tocar e tem inveja do metal


Sobre Vitor Franceschini

Jornalista graduado tem como principal base escrever sobre Rock e Metal, sua grande paixão. Ex-editor do finado Goredeath Zine, atual comandante do blog Arte Metal, além de colaborador de diversos veículos do underground.

Mais matérias de Vitor Franceschini no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin