John Lennon: O álbum mais pessoal e intimista do ex-beatle

Resenha - Imagine - John Lennon

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Edson Medeiros, Fonte: Acid Experience
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 9

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Imagine é o segundo álbum de estúdio do ex-beatle JOHN LENNON após o amargo fim do grupo declarado publicamente apenas em 1970, mesmo sem que os Beatles se reunissem em desde o ano anterior.
160 acessosCanal NB: os Beatles e o baseado no castelo da rainha5000 acessosMotörhead: Amy Lee no colo de Lemmy Kilmister

Após a trilogia de discos experimentais gravados (entre 1968-1969) em parceria com sua esposa YOKO ONO, Lennon resolveu que deveria criar sua música sozinho, sem contar com a colaboração de YOKO, tentando também minar a lembrança popular de sua parceria de sucesso com PAUL MCCARTNEY no Fab Four.

Apesar disso, YOKO novamente teve uma parcela significativa de importância dentro da obra do seu marido, muitas das faixas foram inspiradas na japonesa – que também é creditada como co-autora de uma canção além de ter participado da produção durante as gravações no Ascot Studios. A produção final ficou por conta de LENNON e PHIL SPECTOR, com quem o ex-beatle havia trabalhado em Let It Be (1970) e John Lennon/Plastic Ono Band (1970).

As gravações básicas rolaram durante alguns dias no Ascot (estúdio construído na casa de John) e foram finalizadas entre o Abbey Road Studios (Londres) e o Record Plant (Nova York) – onde boa parte dos instrumentos foram adicionados e PHIL SPECTOR pode trabalhar sua técnica conhecida como ‘Wall of Sound’.

Entre os músicos que participaram das sessões podemos destacar: outro ex-beatle GEORGE HARRISON, JOEY MOLLAND e TOM EVANS (ambos do BADFINGER), o requisitado pianista NICKY HOPKINS, JIM GORDON (que vinha tocando com ERIC CLAPTON), o guitarrista TED TURNER (WISHBONE ASH) e o baixista alemão KLAUS VOORMAN – amigo dos BEATLES desde que fizeram residência nos pubs de Hamburgo no inicio dos anos 60.

Durante a gravação de Imagine, LENNON passava por uma fase interessante de sua vida graças ao seu engajamento político e sua luta pelo fim da Guerra do Vietnã. Sua preocupação com causas sócias o levou a se envolver em protestos e movimentos que causariam uma perseguição do governo NIXON, que o processava e queria impedi-lo de viver ou entrar em território americano. Ainda passava por imbróglios judiciais com a Apple e seus ex-companheiros de banda e dizia-se atacado por PAUL MCCARTNEY em seu álbum Ram (1971). Em contraponto a tantos problemas vivia um momento pessoal feliz com YOKO depois de ter passado por problemas com a separação de sua primeira esposa.

Como reflexo de tantas situações e sentimentos distintos que aconteciam diante dos seus olhos sem que ele pudesse ter algum controle sobre o rumo que as coisas tomavam, o espírito por trás de Imagine pode ser um tanto quanto caótico.

A cada faixa, desde sua abertura até o seu desfecho, o disco nos dá uma sensação de incapacidade, impotência, melancolia, arrependimento e ódio, mas às vezes passando por bons sentimentos de alegria, esperança, amor e paz.

Na faixa-título LENNON cita seu sonho de um mundo melhor, sem distinções separatistas, onde não haja fronteiras bélicas ou guerras religiosas e todos possam viver em paz, apesar de se creditado como autor de “Imagine” JOHN teria tirado a inspiração para a canção de um livro de poesias escrito por YOKO. O Country de “Crippled Inside” parece ao mesmo tempo sombrio e otimista, enquanto “Jealous Guy” mostra um LENNON melancólico e arrependido, referindo a si mesmo como um cara ciumento e às vezes violento, também serviu como pedido de desculpas por seus erros com CHYNTIA POWELL (sua primeira esposa) e como aviso sobre seu gênio a YOKO.

“It’s So Hard” fala sobre as dificuldades cotidianas que fazem as pessoas quererem desistir da vida, desde relacionamentos destruídos até quem não tem o que comer. A comprida “I Don’t Wanna Be a Soldier Mama I Don’t Wanna Die” é um retrato do medo angustiante do sofrimento e da morte que sempre acompanhou a humanidade.

A frustração quanto aos políticos corruptos e enganadores e a reprovação àqueles que veem tudo calados é expressa em “Gimme Some Truth” com uma letra áspera e sarcástica.

Toda a acidez da faixa anterior é diluída com a singela “Oh My Love” – uma das muitas declarações de amor açucaradas de LENNON e YOKO (que é creditada como co-autora).

Em seguida temos a controversa “How Do You Sleep?” onde LENNON fala sobre PAUL MCACRTNEY de maneira rancorosa e desprezível, respondendo de maneira dura as provocações em Ram (1971), uma verdadeira pedrada nas costas do ex-companheiro.

Em “How?” temos uma letra filosófica e reflexiva que carrega um forte sentimento de insegurança e ansiedade. Por fim, temos “Oh Yoko!” uma apaixonante balada Country inspirada em sua musa maior, onde pela primeira vez desde “Rocky Raccoon” e pela última vez em sua carreira JOHN toca harmônica em uma canção.

Apesar de carregar um conteúdo menos politizado que seu antecessor, Imagine foi considerado de qualidade musical inferior, mesmo assim atingiu a primeira posição nos principais catálogos do mundo, incluindo EUA e Reino Unido.

Este também pode ser considerado o álbum mais pessoal e intimista de toda a carreira do ex-beatle, e mesmo passados mais de 40 anos do seu lançamento mantem-se atual, com muitos dos seus temas tendo uma forte ligação com os problemas sociais e com as angustias do mundo contemporâneo.

Faixas:

Lado A
01- “Imagine”
02- “Crippled Inside”
03- “Jealous Guy”
04- “It’s So Hard”
05- “I Don’t Wanna Be a Soldier Mama I Don’t Wanna Die”

Lado B
01- “Gimme Some Truth”
02- “Oh My Love”
03- “How Do You Sleep?”
04- “How?”
05- “Oh Yoko!”

Membros da Banda:
John Lennon (vocal, guitarra, guitarra-acústica e harmônica)
George Harrison (guitarra, guitarra-slide e dobro)
Joey Molland (guitarra-acústica)
Tom Evans (guitarra-acústica)
John Tout (guitarra-acúsitca)
Ted Turner (guitarra-acústica)
Rod Linton (guitarra-acústica)
Andy Davis (guitarra-acústica)
Klaus Voorman (baixo-elétrico e contrabaixo)
Steve Brendell (contrabaixo e percussão)
Nicky Hopkins (piano e piano-elétrico)
John Barham (harmônio e vibrafone)
King Curtis (saxofone)
Alan White (bateria, tingsha e vibrafone)
Jim Keltner (bateria)
Jim Gordon (bateria)
Michael Pinder (percussão)
Phil Spector (vocal de apoio)
The Flux Fiddlers – orquestração de cordas

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de Imagine - John Lennon

5000 acessosResenha - Imagine - John Lennon5000 acessosTradução - Imagine - John Lennon

Paul McCartneyPaul McCartney
O dia em que ele deu um soco na cara de Eddie Vedder

160 acessosCanal NB: os Beatles e o baseado no castelo da rainha98 acessosAlta Fidelidade: Unboxing "Sgt Pepper's" 50 anos304 acessosCanal Nostalgia: como os Beatles mudaram a história da música539 acessosThe Beatles: 50 anos de uma revolução cultural2671 acessosBeatles: Sgt Peppers em super box especial para fãs brasileiros0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Beatles"

ReligiãoReligião
Top 10 citações sobre Deus e o Diabo

John LennonJohn Lennon
Desejo pela mãe e caso homossexual em biografia

Pink FloydPink Floyd
"Os Beatles eram como figuras divinas para nós"

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "John Lennon"0 acessosTodas as matérias sobre "Beatles"

MotörheadMotörhead
Foto de Amy Lee no colo de Lemmy Kilmister

Metal BrasileiroMetal Brasileiro
10 bandas recomendáveis fora o Sepultura

TatuagensTatuagens
Rabiscos horríveis com temática roqueira parte 1

5000 acessosHeavy Metal: o Diabo e personagens bíblicas nas capas5000 acessosHeavy Metal: quais as 10 melhores vozes da história?5000 acessosFotos de Infância: Skid Row5000 acessosNirvana: veja fotos raras da banda no Brasil em 19935000 acessosCapital Inicial: o roqueiro pode ser um escroto e o pagodeiro um grande sujeito5000 acessosLed Zeppelin: clássico foi usado em campanha da Igreja Universal

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 26 de fevereiro de 2014

Sobre Edson Medeiros

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online