Golpe de Estado: Um hard nacional a caráter, na medida

Resenha - Quarto Golpe - Golpe de Estado

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Leandro Fernandes
Enviar correções  |  Ver Acessos


Não é de se estranhar que boas bandas e bons discos em nosso país não tenha a grande repercussão que merecem. Esse trabalho pode ser considerado um dos melhores entre o rock nacional.

Humor: as 101 regras do New Metal/Nu-metalÁlbuns: os vinte piores discos de todos os tempos

Início dos anos 90, o rock nacional ainda se encontrava em alta. Grandes bandas, músicas que faziam a cabeça da molecada. O Golpe surge com esse belo disco, mostrando como se pode fazer um hard nacional a caráter, na medida. Sendo batizado por Quarto Golpe, o quarteto hard na época ensina a muita gente como se fazer uma boa música. Um emaranhado de solos, vocal acentuado, linhas de baixo que só realmente quem sabe, consegue com perfeição executá-los.

Iniciando os trabalhos com Dias de Glória, podemos perceber o exemplo disso tudo, muita técnica e precisão em toda a música, com um refrão empolgante e enérgico. Mal Social chega em seguida, com uma letra bastante interessante aborda realmente qual é o mal social que existia na época e continua a existir. Um teclado seguido de um perfeito baixo, faz de Caso Sério se tornar uma das melhores canções da banda, tendo também sua letra como um ponto alto, completamente marcante e com um belo peso da guitarra em seu refrão. Com um belo riff bem rápido, Não Faz Mal é a mais pesada do disco com o mais puro hard.

Continuando com um som cativante e pesado, Faço o que posso tem um belo solo do grande Helcio Aguirra (guitarra), deixando a música mais interessante ainda com as belas metáforas inclusas em sua letra. Seguindo para uma bela canção em todos os termos Real Valor (que recentemente foi tema de um projeto social que também foi batizado com o nome da música), mostra todo o profissionalismo que sempre o Golpe.
Retorno e Sanguessugas levam um som hard / heavy, lembrando ao longe um Deep Purple. Encerrando o disco com louvor, Ela foi Feita segue a proposta fiel de mostrar que o Golpe de Estado sempre foi uma grande banda e lenha na fogueira não falta. Esse disco é um grande golpe!

Músicas:

"Dias de Glória"
"Mal Social"
"Caso Sério"
"Não Faz Mal"
"Faço o Que Posso"
"Real Valor"
"Retorno"
"Sanguessugas"
"Ela Foi Feita"

Membros:

Catalau - (vocal)
Helcio Aguirra - (guitarra)
Nelson Brito - (baixo)
Paulo Zinner - (bateria)




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Golpe De Estado"


Humor: as 101 regras do New Metal/Nu-metalHumor
As 101 regras do New Metal/Nu-metal

Álbuns: os vinte piores discos de todos os temposÁlbuns
Os vinte piores discos de todos os tempos

AC/DC: Chuck Berry foi o maior babaca que já vi na vidaAC/DC
"Chuck Berry foi o maior babaca que já vi na vida"

Classic Rock: as 10 melhores baladas dos anos 80Classic Rock
As 10 melhores baladas dos anos 80

Álbuns ao vivo: 10 grandes registros da história do rockÁlbuns ao vivo
10 grandes registros da história do rock

Rush: Alex Lifeson explica por que virou ateu depois de velhoRush
Alex Lifeson explica por que virou ateu depois de velho

Lamb of God: Blythe não liga para entrada de Adler no MegadethLamb of God
Blythe não liga para entrada de Adler no Megadeth


Sobre Leandro Fernandes

Conheci o rock em 1992, tendo o primeiro disco do Iron Maiden. Com o passar dos anos me apeguei ao rock progressivo e tenho bandas como Pink Floyd, Jethro Tull, Rush e Uriah Heep sendo as favoritas. Profissional da área de T.I, casado e uma filha. Sempre buscando conhecimento no rock/metal em geral.

Mais matérias de Leandro Fernandes no Whiplash.Net.

adGoo336|adClio336