Paradise Lost: Um disco que reconquistou a confiança dos fãs

Resenha - Symbol of Life - Paradise Lost

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Leandro Fernandes
Enviar correções  |  Ver Acessos


Apos um período com discos não muito aceitos pelos fãs, a banda em 2002 surge com Symbol of Life, dando uma nova cara ao som. O Paradise Lost viveu um período fazendo um tipo de som não muito convencional aos fãs mais antigos, mas com o surgimento desse belo disco as esperanças começaram a renascer.

Paradise Lost: guitarrista confirma que a banda está trabalhando em novo discoBateristas: Os 30 melhores de todos os tempos

Symbol of Life pode ser considerado mais um novo experimento da banda, pois estava de volta o peso das guitarras, Nick Holmes com um vocal mais agressivo. O uso de efeitos é ainda explícito nesse disco, mas não tão predominante como nos anteriores. Percebemos em músicas como Isolate e Erased, que a banda procurou se encontrar em um som gótico inovado, coisa que havia ficado para trás nos dois trabalhos anteriores.

Two Worlds entra com um belo peso de bateria e guitarras, com um vocal limpo e bem acentuado durante toda a música. Continuando com a perfeita Pray Nightfall, nota-se um som gótico com um doom ao longe. Uma coisa interessante é a semelhança com o Depeche Mode (diga-se de passagem que se trata de uma excelente e importante banda) que se encontra em boa parte das faixas, bem menos gritante como no disco Host. Primal é uma música onde se destaca muito bem o peso do baixo. Perfect Mask é cadenciada e básica, seguindo a linha das anteriores. Mystify tem um belo riff de guitarra e o peso na bateria é marcante, contendo uma execução nos teclados. No Celebration é a mais sombria e arrastada do disco, remetendo a uma lembrança do início de carreira da banda. Self-Obsessed, é pesada e contagiante do início ao fim, sem perder o peso e destacando a velocidade da bateria com perfeitas linhas de baixo. A faixa título Symbol of Life é marcante pelo simples fato de ser uma música de fácil aceitação, não é a melhor do disco, mas é diferente e interessante.

O disco contém dois belos cover's Xavier (Dead Can Dance) e Small Town Boy (Bronski Beat's), destaque para a última pela originalidade de recriar e impor bastante peso deixando ainda o refrão mais "grudento" que a versão original.

O Paradise Lost conseguiu enfim se encontrar e se inovar com um belo disco que com toda certeza, reconquistou a confiança de muitos fãs.

Músicas:

01. Isolate
02. Erased
03. Two Worlds
04. Pray Nightfall
05. Primal
06. Perfect Mask
07. Mystify
08. No Celebration
09. Self Obsessed
10. Symbol of Life
11. Channel for the Pain
12. Xavier (Dead Can Dance Cover)
13. Small Town Boy (Bronski Beat's Cover)

Membros:

Nick Holmes - Vocal
Gregor Mackintosh - Guitarra
Aaron Aedy - Guitarra
Steve Edmondson - Baixo
Lee Morris - Bateria


Outras resenhas de Symbol of Life - Paradise Lost

Paradise Lost: em 2002, a tentativa de reconciliaçãoResenha - Symbol Of Life - Paradise LostResenha - Symbol of Life - Paradise Lost




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Paradise Lost"


Paradise Lost: guitarrista confirma que a banda está trabalhando em novo discoParadise Lost
Guitarrista confirma que a banda está trabalhando em novo disco

Bandas extremas: 10 álbuns que causaram surpresaBandas extremas
10 álbuns que causaram surpresa

Capas: mais feias e ridículas feitas por artistas dos quadrinhosCapas
Mais feias e ridículas feitas por artistas dos quadrinhos


Bateristas: Os 30 melhores de todos os temposBateristas
Os 30 melhores de todos os tempos

Plágio ou coincidência: trechos semelhantes no rock/metalPlágio ou coincidência
Trechos semelhantes no rock/metal

Led Zeppelin: Perguntas e Respostas sobre a bandaLed Zeppelin
Perguntas e Respostas sobre a banda

Slash: Um dia Michael Jackson ficou puto com ele?Slash
Um dia Michael Jackson ficou puto com ele?

Mônica Guedes: seus heróis morreram de overdose, os meus morrem na estrada, trabalhandoMônica Guedes
"seus heróis morreram de overdose, os meus morrem na estrada, trabalhando"

Bruce Dickinson: veja-o cantar Revelations sem microfone e efeitosBruce Dickinson
Veja-o cantar "Revelations" sem microfone e efeitos

Pantera: dez álbuns que mudaram a vida de Vinnie PaulPantera
Dez álbuns que mudaram a vida de Vinnie Paul


Sobre Leandro Fernandes

Conheci o rock em 1992, tendo o primeiro disco do Iron Maiden. Com o passar dos anos me apeguei ao rock progressivo e tenho bandas como Pink Floyd, Jethro Tull, Rush e Uriah Heep sendo as favoritas. Profissional da área de T.I, casado e uma filha. Sempre buscando conhecimento no rock/metal em geral.

Mais matérias de Leandro Fernandes no Whiplash.Net.

adGoo336|adClio336