Matérias Mais Lidas

imagemFilho de Trujillo fez guitarra na "Master of Puppets" que toca em Stranger Things

imagemMetallica em "Stranger Things" deixa fãs preocupados com a "popularização" da banda

imagemA bizarra exigência de Ace Frehley para participar da última turnê do Kiss

imagemEngenheiros do Hawaii e as tretas com Titãs, Lulu Santos, Lobão e outros

imagemSummer Breeze Open Air Brasil acontece em abril de 2023 em São Paulo

imagemLady Gaga: "o Iron Maiden mudou a minha vida!"

imagemPink Floyd: Suas 10 músicas mais subvalorizadas, segundo a What Culture

imagemMax Cavalera revela como "selou a paz" com Tom Araya, vocalista do Slayer

imagemLobão explica porquê todo sertanejo gostaria, no fundo, de ser roqueiro

imagemPink Floyd: Gilmour nega alegação de Waters sobre "A Momentary Lapse of Reason"

imagemO álbum do The Who que Roger Daltrey achou "uma m*rda completa

imagem"Stranger Things" traz cena com "Master of Puppets", do Metallica

imagemO grave problema do refrão de "Eagle Fly Free", segundo Fabio Lione

imagemMorre aos 43 anos Andrew LaBarre, ex-guitarrista e vocalista da banda Impaled

imagemVital, o ex-Paralamas que virou nome de música e depois foi pro Heavy Metal


Stamp

Hatebreed: Thrash Metal/Hardcore da melhor qualidade

Resenha - Divinity Of Purpose - Hatebreed

Por Rodrigo Noé de Souza
Em 17/10/13

Nota: 9

Longe da panelinha Metalcore que tomou conta dos primeiros anos 2000, o Hatebreed nos presenteia com o que há de melhor do Thrash Metal/Hardcore da melhor qualidade. Não à toa que Jamey Jasta (vocal) e seus companheiros estão ainda mais furiosos e ácidos em seus últimos lançamentos.

Quatro anos separam o álbum Hatebreed (2009), do mais recente The Divinity of Purpose. Agora, muito bem representados pela Nuclear Blast, a banda faz o chão tremer com doze bombas de fazer a casa desmoronar.

Quam acompanha o Hatebreed, sabe que as letras de Jasta são manifestações para motivação, em um mundo impossível de sobreviver. Agora, o som, não podemos negar que está excelente. A começar com Put It To the Torch, chamando para o abate.

Destaques mesmo são TODAS. Impossível gastar saliva comentá-las. Riffs certeiros, paradinhas mortais de fazer pular, refrãos de rasgar a garganta. Sem dúvida, o melhor disco desde The Rise Of Brutallity (2003).

Méritos para a produção da própria banda, com os auxílios de Zeuss e Josh Wilbur, que deixou o som cristalino, porém mais brutal, como o Hatebreed tem que ser.

Confiram os vídeos abaixo.

Honor Never Dies:

Put It To The Torch:

Formação:

Jamey Jasta – vocal
Frank Novinec – guitarra
Wayne Lozinak – guitarra
Chris Beattie – baixo
Matt Byrne – bateria

Tracklist:

1-Put It To The Torch
2-Honor Never Dies
3-Own Your World
4-The Language
5-Before The Fight Ends You
6-Indivisible
7-Dead Man Breathing
8-The Difinity Of Purpose
9-Nothing Scars Me
10-Bitter Truth
11-Boundless (Time To Murder It)
12-Idolized And Vilifield


Outras resenhas de Divinity Of Purpose - Hatebreed

Resenha - Divinity Of Purpose - Hatebreed

Resenha - Divinity of Purpose - Hatebreed

Resenha - Divinity of Purpose - Hatebreed

Resenha - Divinity of Purpose - Hatebreed

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Airbourne 2022
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Wacken Open Air libera show completo do Hatebreed de 2018

Chris Barnes, ex-Cannibal Corpse, é chamado de bundão após falar mal do death atual



Axl Rose: "ele é um fracassado", diz mulher de Slash


Sobre Rodrigo Noé de Souza

Nasci em 1984. Esse ano não é só o início de uma nova democracia, mas também é o ano em que vários discos foram lançados, como Powerslave (IRON MAIDEN), Stay Hungry (TWISTED SISTER), W.A.S.P., Don't Break The Oath (Mercyful Fate), Slide It In (WHITESNAKE), 1984 (VAN HALEN), The Last In Line (DIO) e, o meu favorito de todos, Ride the Lightning (METALLICA). Sou um aficcionado por Metal, desde AC/DC e ZZ Top, até Anaal Nathrakh e Krisiun.

Mais matérias de Rodrigo Noé de Souza.