Matérias Mais Lidas

imagemPrika Amaral esclarece por que contratou apenas mulheres europeias para a Nervosa

imagemA opinião de Dave Mustaine sobre a clássica "The Unforgiven", do Metallica

imagemNando Reis e a linda música que Samuel Rosa dispensou por ter recebido na hora errada

imagemJanis Joplin: última gravação dela em vida foi feita para um Beatle

imagemLegião Urbana e a surpreendente música que serviu de base para "Ainda é Cedo"

imagemOzzy comenta a brutal honestidade de Lemmy quando estava próximo da morte

imagemRock in Rio: Pitty alfineta a produção do festival ao revelar qual seria sua exigência

imagemAmy Lee escolhe a melhor música do Evanescence para apresentar a banda

imagemCinco músicos que começaram vida nova após saírem de grandes bandas de heavy metal

imagemJames Hetfield e esposa Francesca se divorciam após 25 anos de união

imagemAC/DC: Rick Rubin recorda a problemática produção de "Ballbreaker"

imagemNando Reis relembra curioso único game que jogou na vida, durante gravação dos Titãs

imagemQuando Derico, do Programa do Jô, descobriu que Ian Anderson tocava tudo errado

imagemAs seis músicas do Metallica que Dave Mustaine ajudou a escrever

imagemDiscos ao vivo gravados por Dio nos anos 80 serão relançados em setembro


Dream Theater 2022

Stonedhenge: Alvin Lee, dono de um estilo único

Resenha - Ten Years After - Stonedhenge

Por Elias Rodigues Emídio
Em 29/09/13

Alvin Lee é hoje justamente reconhecido como um dos maiores guitarristas de todos tempos. Dono de um estilo único, ele permanece até hoje com um dos mais versáteis músicos no instrumento capaz tanto de disparar riffs e executar solos na velocidade da luz (depois da lendária versão "Going Home" em Woodstock foi considerado o mais rápido guitarrista do mundo), quanto de aventurar-se magistralmente pelas sutilezas rítmica do jazz com um "FELLING" absurdo que certamente deveria servir de escola para muitos guitarristas nos dias correntes que priorizam em demasia o virtuosismo instrumental, mas que transmitem a mesma emoção que um robô ao tocar guitarra.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Apesar de sua enorme importância o trabalho de Alvin Lee é ainda muito pouco conhecido pelos ouvintes de rock em geral. De certa forma podemos incluí-lo no panteão de artistas que são muitos mais comentados em redes sociais e fóruns de discussão sobre música mundo afora do que propriamente ouvidos. Com esse intuito eu procurarei aqui fazer uma breve e honrosa menção sobre um dos melhores e mais importante disco de sua banda Ten Years After "Stonedhenge" lançado oficialmente em 22 de fevereiro de 1969 e gravado em setembro de 1968

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A banda tem origem no grupo Ivan Jay And The Jaycats formado em 1960 que contava com Alvin Lee na guitarra e o igualmente lendário Leo Lyons no contrabaixo. Em 1966, eles decidem expandir seus horizontes musicais e montam um novo grupo intitulado Jaybirds que contava com o baterista Ric Lee. No mesmo ano a banda se muda para Londres e passa contar com Chick Churchill nos teclados e após algumas mudanças adotam o nome Ten Years After que prestava uma homenagem a Elvis Presley, ídolo de Alvin Lee, que havia lançado seu debut em 1956. A banda então assina brevemente com o selo Chrysalis.

Após conseguir uma residência fixa no Marque Club no fim de 1966 e participar do Windsor Jazz Festival no começo de 1967,o grupo assina contrato com a Deram uma subsidiária da Decca Records e edita seu primeiro álbum, o homônimo "Ten Years After". Mostrando uma produção ainda muito crua o disco trazia um blues rock que tangenciava o rock de garagem praticado pelos grupos nos EUA em meados dos anos 60, mas ainda assim continha preciosidades do blues como "Help Me" (de Sony Boy Williamson II ) e "Spoonful" (de Wilie Dixon) em versões monstruosas que mostravam o grande futuro que o grupo teria pela frente.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

No ano seguinte é lançado o primeiro registro ao vivo do Ten Years After o hoje clássico "Undead", gravado em 14 de maio no Klooks Kleek, um pequeno clube jazz londrino. O Trabalho trazia o grupo bem mais seguro de si, aventurando-se pelas blueseiras de tradicionais de "Spider In My Web" e "I May Be Wrong, But I Won't Be Wrong Always" e improvisando de forma magnifica em "Summertime/ Shantung Cabbage" (de co-autoria de George Gershwin) e em "Woodchoppers's Ball" (das lendas do jazz Woody Herman e Joe Bishop), além de um primeira versão da incendiária "I'm Going Home".

O terceiro álbum "Stonehenge" mostrava a banda no auge dos poderes criativos, exalando uma musicalidade extremas em 34 minutos de puro prazer auditivo para o apreciados da boa música.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"I Can't Live Without Lidia" (Churchill), "Faro" (Lyons), "Skoobly-Oobly-Doobob" (Alvin) e "Three Blinde Mice" (Ric) são exercícios individuais dos membros do grupo, que mostram virtuosismo em seus respectivos instrumentos. A faceta mais jazzística do grupo fica evidente nas fantásticas "A Sad Song", "Going To Try", "No Title" (esta com solos de guitarra esplêndidos) e "Woman Trouble", que mostram que os demais instrumentistas do grupo não tinham a intenção a intenção de ficar a sombra de Alvin Lee e sua guitarra. Mas é no blues elétrico de "Speed Kills" e em especial da clássica "Hear Me Calling", uma das coverizadas canções do Ten Years After, que o álbum chega ao seu clímax.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A fase áurea do grupo continuaria até meados dos anos 70 com os lançamentos dos clássicos "Ssssh" (1969), "Watt" (1970), "Criclewood Green" (1970), "A Space In Time" (1971) e "Recorded Live" (1973). O disco ao vivo "Live At Fillmore East", oriundo de gravações datadas de 1970, mas só editado em editado em 2001 é talvez a melhor mostra da força do grupo ao vivo e junto com os discos supracitados constituem discoteca básica para qualquer aspirante a "guitar hero".

Vídeos:

"Speed Kills"

"Hear Me Calling"

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"No Title"

"Woman Trouble"

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

FAIXAS
01. Going To Try
02. I Can't Live Without Lidia
03. Woman Trouble
04. Skoobly-Oobly-Doobob
05. Hear me Calling
06. A Sad Song
07. Three Blind Mice
08. No Title
09. Faro
10. Sped Kills

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp


publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Rock: os 10 guitarristas mais subestimados da história

Guns N' Roses: a versão de Axl Rose sobre a separação

Metal: 16 músicas dos anos 80 para se escutar durante o treino