Cavaleiro Dragão: mistura eficiente de NWOBHM com progressivo

Resenha - Cavaleiro Dragão - Cavaleiro Dragão

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Júlio Neto
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Sendo sincero, quando este CD chegou em minhas mãos não me impressionou muito. Com uma capa feita à mão, retratando uma batalha entre um cavaleiro e um dragão para salvar uma donzela em perigo. Mas, superando esta errada primeira impressão, no que realmente importa que é o som a banda se garante. O grupo faz um Heavy Metal tradicional cantado em português, com músicas longas e um nome vem logo à mente ao ouvir este CD, Iron Maiden! Banda que deve ser inegavelmente a maior influência do grupo, mas percebemos toques mais progressivos de bandas como Pink Floyd e Marillion. Pois não é que esta inusitada mistura deu certo?

Cavaleiro Dragão: Relançamento do primeiro CD com música bônusPsicografia: uma suposta carta do espírito de Cássia Eller

Ao todo são 7 faixas em 48 minutos de muita viagem. Após a breve intro O Vilarejo do Rei é que o clima épico e medieval toma conta de tudo e O Grande Guerreiro, que foi a primeira música composta pelo grupo já temos uma mostra do ponto alto da banda, que é o trabalho dos guitarristas Mauro e Rafael que longos solos e "duelos" e também merece ser citado o alcance vocal do Rafael. Dragão da Noite começa uma baladinha com violão até entrarem as guitarras junto com uma letra falando de um ataque destruidor de um dragão. Música para curtir e viajar. Navio Fantasma é o ponto alto do CD, também a maior música, com longos 10 minutos de duração. E este é tempo suficiente para todos aparecerem, temos longos solos de guitarra, vocalizações muito bem feitas e uma cozinha segura. Na sua metade começa um clima bem sombrio, com vocais em narrativa. Avalon é instrumental e nela temos mais uma mostra da qualidade técnica do grupo, com o baterista Neto aparecendo muito. Em nome do Reino começa com o baixo ditando o ritmo e nos engana, pois o que parece ser uma música cadenciada é na verdade a mais pancada do disco. O Encerramento deste grande trabalho é com a faixa O Rei, música variada, com muitas mudanças de andamento e trazendo mais uma vez o trabalho das guitarras como destaque.

A produção ficou a cargo da própria banda. Para quem curte Heavy Metal tradicional, rock progressivo ou simplesmente, para quem curte uma boa música este é um trabalho altamente recomendado que prende atenção a cada música em cada audição percebemos detalhes novos. Parabéns ao grupo!

Line Up:
Charles - Vocals
Rafael - Guitar
Mauro - Guitar
Andrey - Bass
Neto - Drums

Faixas:
01 - O Vilarejo do Rei
02 - O Grande Guerreiro
03 - Dragão da Noite
04 - Navio Fantasma
05 - Avalon
06 - Em Nome do Reino
07 - O Rei


Outras resenhas de Cavaleiro Dragão - Cavaleiro Dragão

null




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Cavaleiro Dragão"


Cavaleiro Dragão: Relançamento do primeiro CD com música bônus

Power Metal: 20 bandas para quem é fã do estiloPower Metal
20 bandas para quem é fã do estilo


Psicografia: uma suposta carta do espírito de Cássia EllerPsicografia
Uma suposta carta do espírito de Cássia Eller

Heavy Metal: 5 músicos que não são metaleiros mas amam o estiloHeavy Metal
5 músicos que não são metaleiros mas amam o estilo

Indústria: 17 coisas que bandas novas simplesmente não entendemIndústria
17 coisas que bandas novas simplesmente não entendem

Planet Rock: as maiores vozes da história do rockHomossexualidade: 5 nomes da cena rock/metal que assumiramMax Cavalera e Lemmy: A relação teve um começo tempestuosoGaleria - Musas - Simone Simmons

Sobre Júlio Neto

Ligado ao Heavy Metal há mais de 25 anos. Zineiro, produtor de shows underground. Colecionador voraz de CDs, vinil e livros. Fã incondicional do metal nacional, sempre apoiando as bandas e não deixando de adquirir seus materiais. Mora no sul da Bahia e apesar da distância, sempre a par do que acontece no underground.

Mais matérias de Júlio Neto no Whiplash.Net.