Turisas: Dois anos de espera que valeram a pena

Resenha - Turisas2013 - Turisas

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Guilherme Niehues
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


A Horns Up (www.hornsup.com.br) teve acesso ao novo álbum da banda TURISAS que tem como data de lançamento o dia 26 de agosto. Confira o que achamos deste novo registro da banda:
5000 acessosMayhem: banda levou restos humanos para o palco em 20115000 acessosAs regras do Thrash Metal

Apesar se não ser um nome tão criativo quanto seus antecessores, o novo álbum do TURISAS intitulado "Turisas2013" chega a surpreender novamente e mostrando uma banda criativa e a banda retorna ao pedestal novamente.

O disco abre com a já conhecida "For Your Own Good" que com uma introdução intimista, deixa a ansiedade vir a tona esperando ansiosamente por mais um hino da banda. Contudo, não existem passagens tão épicas como encontradas em músicas dos seus antecessores, mas mostra uma música mais acessível com a excelente voz de Mathias, tanto na voz limpa quanto na voz urrada. A música empolga por se demonstrar um alto astral e cativante do inicio ao fim.

Em seguida, a música "Ten More Miles" é executada no melhor estilo TURISAS, com a voz de Mathias e os famosos coros ecoando na abertura para então adentrar ao restante da música. Além de lembrar muito os principais hinos da banda, não podemos esquecer de comentar sobre o instrumental e a deixadinha mais épica de seus gloriosos dias de Battle Metal. Aliás, aqui é possível entender o quanto a banda amadureceu em seu estilo.

E logo após, "Piece by Piece" traz uma energia bastante contagiante contando com pedais duplos e uma música mais cadenciada que explora o lado mais melódico da banda, mas também pesado da banda. Claro, vale lembrar que a banda não é extrema, então o pesado se resume aos vocais urrados de Mathias e um som mais rápido e sem muitas firulas. E aqui vale a pena destacar os belos riffs de Jussi.

"Into the Free" quebra o ritmo melódico que a banda impôs nas três primeiras faixas e realmente empolga com um som contagiante e continuo, até o final da música. Para acompanhar o ritmo desta música, não é possível parar para respirar, e o bater a cabeça se torna obrigatório. Não chega a ter um momento épico, como de costume nas trilhas da banda, mas apresenta um toque mais "punk" e um novos elementos na pegada do instrumental desta música.

E então nos deparamos com a música "Run Bhang-Eater, Run!". UM GRANDE DESTAQUE é o que podemos dizer sobre esta música, com um som pra lá de árabe, a banda mostra toda a sua criatividade sem êxito e acerta em cheio. Um ponto bizarro da música é a quebrada de ritmo para uma entrada de algo parecido com jazz e uma mulher soltando uns gemidos, o que parece estranho e sem nexo, mas acaba divertindo no final das contas.

Nos é mostrado a primeira e única grande balada do álbum, "Greek Fire" que possui um som mais soturno e melancólico, trazendo a voz de Mathias a tona e deixando o instrumental em um segundo plano em grande parte da música. Ainda assim, existe o seus altos e baixos que chegam a empolgar e mostra belos riffs, em especial no final da música.

E chegamos perto do final do álbum com as músicas, "The Day Passed" e "No Good Story Starts Ever with Drinking Tea", a primeira uma típica música TURISAS com direitos a solo de violino e marca registrada da banda, lembrando e alguns momentos o álbum "The Varangian Way" de 2007. Agora a segunda música, apenas pelo título já se sabe o que esperar, e ao entrar os primeiros acordes da música, sabemos que se trata de uma música de BEBERRÃO, ao melhor estilo de "One More" do álbum "Battle Metal" de 2004. E antes de falar sobre a última música, preciso agarrar a minha cerveja e fazer um brinde, afinal nenhuma boa história se inicia bebendo chá, certo?

E por fim, chegamos na música final do álbum "We Ride Together" com uma excelente introdução ao melhor estilo faroeste. E mesmo após a introdução quando entra os vocais, o mesmo ritmo de cavalgada é mantido e todos os elementos que tornou a banda TURISAS uma das maiores de seu gênero se encaixam perfeitamente e faz com que o álbum feche em grande estilo. E após ouvir algumas outras vezes o álbum, você percebe que mesmo dois anos de espera valeram a pena e eles retornam ao pedestal ao lado de Korpiklaani (nota: opinião do autor que vos escreve) como uma das melhores bandas do gênero.

Inegável citar que a banda amadurece suas ideias e conseguem a cada novo álbum propor uma nova visão de um mesmo gênero que até então não entrou em decadência. Vale muito a pena ouvir a este álbum com o volume alto e se empolgar com seus vários momentos gloriosos.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de Turisas2013 - Turisas

1672 acessosTurisas: Um disco que começa errado e assusta os desavisados

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Turisas"

TurisasTurisas
Vocalista reclama da cerveja brasileira em show

Lá lá lá láLá lá lá lá
De Mary Hopkin a Turisas: as origens do clássico do Patrão

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Turisas"

MayhemMayhem
Banda levou restos humanos pro palco na França

HumorHumor
Não basta ouvir Master Of Puppets para ser Thrash

Bon JoviBon Jovi
Larissa Riquelme dança música com os seios de fora

5000 acessosMetallica e Lady Gaga: veja a performance conjunta no Grammy5000 acessosVocalistas: as vozes mais agudas do Metal segundo o Noisecreep5000 acessosZodíaco True: Os perfis de cada signo em versão Headbanger4383 acessos2000 a 2002: 10 shows/turnês pouco comentados4890 acessosRob Halford: "Eu não morro sem trabalhar com Lady Gaga antes"1533 acessosMetal Temple: Rob Halford eleito vocalista dos sonhos

Sobre Guilherme Niehues

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online