Black Star Riders: não há como esperar algo ruim

Resenha - All Hell Breaks Loose - Black Star Riders

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Guilherme Viotti
Enviar correções  |  Ver Acessos

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Há exatos 20 anos era lançado Thunder & Lightning, último álbum do Thin Lizzy, do lendário baixista/vocalista Phil Lynott que veio a falecer 2 anos após devido a complicações provenientes do alcoolismo que lhe perseguia a anos.

Black Star Riders: mais um bom disco de rockÓdio musical: os artistas mais detestados em lista da Spinner

Na opinião daquele que lhes escreve, o Lizzy foi uma das bandas mais injustiçadas da história, que mesmo obtendo algum sucesso local nunca alcançou o estrelato merecido após uma sequencia de álbuns espetaculares, especialmente entre Johnny The Fox e Black Rose.

Após a morte de Lynott, várias formações vieram, muito tempo lideradas pelo guitarrista John Sykes, que gravou o último álbum já citado, muito se falava em um novo registro de estúdio sem o grande baixista, porém a banda sofria muita pressão por parte de seus fãs que repudiavam um lançamento de uma banda sem contar com seu principal compositor.

Decidiu-se então optar por um novo nome, Black Star Riders (provavelmente por proibição da família de Phil que tem direito pelo nome Thin Lizzy) e foi lançado o debut "All Hell Breaks Loose" com Ricky Warwick (Ex- The Almighty) nos vocais e guitarra, Scott Gorham (único membro que tocou na fase clássica do Thin Lizzy) e Damon Johnson (Alice Cooper) nas guitarras, Marco Mendoza (ex-Whitesnake) no baixo e Jimmy DeGrasso (ex-Megadeth) na bateria.

Pelo quilate dos músicos envolvidos, não tem como esperar alguma coisa ruim tecnicamente, porém a vontade de soar como Thin Lizzy é o maior defeito e maior virtude desse release.

É possível imaginar que o Thin Lizzy podesse soar assim se Phil Lynott ainda tivesse sobrevivido e continuasse escrevendo, mas com um membro da banda original no line-up parece meio forçado as vezes querer ter o som tão parecido com a banda clássica, com Warwhick claramente forçando a voz para soar como Lynott, mas se você não levar isso em consideração, o que vemos é um hard rock calcado no final dos anos 70, com as famosas guitarras dobradas e uma banda inspiradíssima.

Como destaque do álbum, podemos citar o primeiro single, Bound For Glory, Kingdom Of The Lost, Someday Salvation e Before The War.

Álbum altamente recomendado para os fãs do Lizzy, especialmente para os que tinham medo que a Black Star Riders pudesse manchar o nome de uma banda tão querida por todos.


Outras resenhas de All Hell Breaks Loose - Black Star Riders

Black Stars Riders: Sucessores dignos do Thin Lizzy




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Black Star Riders"


Black Star Riders: mais um bom disco de rockBlack Star Riders: "Another State of Grace", quarto disco de estúdio, é lançadoBlack Star Riders: assista versão acústica de música do próximo álbum

Ódio musical: os artistas mais detestados em lista da SpinnerÓdio musical
Os artistas mais detestados em lista da Spinner

Jared Leto: a reação ao se ver no papel do CoringaJared Leto
A reação ao se ver no papel do Coringa

Heavy Metal: as 10 introduções mais matadoras do estiloHeavy Metal
As 10 introduções mais matadoras do estilo

Blender: as letras mais repulsivas do Heavy MetalPorta dos Fundos: Andreas Kisser e a cobrança dos metaleirosMike Terrana: "Malmsteen foi uma das piores pessoas que conheci!"Burzum: Vikernes diz que não se arrepende de nada

Sobre Guilherme Viotti

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.