Lordi: depois de dois tropeços, vem então um baita acerto

Resenha - To Beast Or Not To Beast - Lordi

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Thiago El Cid Cardim
Enviar correções  |  Ver Acessos


Em 2006, com seu disco "The Arockalypse", os monstruosos finlandeses do Lordi chegaram ao topo de sua carreira - para o bem e para o mal. Abrindo os olhos dos fãs de todo o planeta para o seu shock rock influenciado por Kiss, Alice Cooper e Twisted Sister, eles venceram o concurso Eurovision com a canção "Hard Rock Hallelujah" e desfrutaram de toda a merecida glória pelo excelente trabalho. Mas dois anos se passaram e, com "Deadache", veio uma curva descendente.

Iron Maiden: Steve Harris pensou em acabar com a banda em 1993Whiplash.Net: O site protege algumas bandas e prejudica outras?

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Optando por um som mais pesado, a exemplo do que tinham feito em 2004 com "The Monsterican Dream", eles pareciam ter perdido o rumo da própria sonoridade, conseguindo emplacar de verdade pouquíssimas canções. Já o álbum seguinte, "Babez For Breakfast", seguiu por um caminho diametralmente oposto - embora tenha retornado ao tipo de hard rock que é o que a banda faz de melhor, o líder e principal compositor Mr.Lordi mergulhou demais nas influências dos anos 80, entregando letras que resvalaram no lado mais brega da década perdida.

Este ano, com seu sexto disco de estúdio, que atende pelo divertido título de "To Beast Or Not To Beast", o Lordi parece ter se reencontrado, fazendo uma mescla bem equilibrada de peso, melodia e bom-humor. O resultado é uma espécie de primo bem próximo de "The Arockalypse" - o que é, sem dúvida alguma, uma excelente notícia.

Apesar do videoclipe bem produzido, a escolha de "The Riff" para primeiro single do disco talvez não tenha sido a mais adequada. É uma canção divertida, grudenta, mas muito nota 6, do tipo que está longe de refletir o que é o restante da bolacha. Melhor se deixar levar pela pegada quase cavalgada de "We're Not Bad for the Kids (We're Worse)", com um refrão viciante e que parece já apresentar, em poucos minutos, uma injeção de energia renovada que o quinteto ganhou com a entrada dos novos membros da família, a tecladista Hella e o baterista Mana. Ou, quem sabe, pela força hard 'n metal de "Something Wicked This Way Comes", do tipo que consegue ser ao mesmo tempo nervosa e cheia de melodia, sem dúvida alguma a melhor canção dos sujeitos desde, sei lá, qualquer uma das faixas de "The Arockalypse". Esta é daquelas músicas que simplesmente não me canso de ouvir, repetidamente. É rigorosamente o mesmo caso da incrível "Horrifiction", cujo teclado tétrico embala uma fantástica canção sobre os fãs de filmes de terror, com diversas menções ao psicopata do clássico "Sexta-Feira 13" e que ainda termina com a genial frase "Movies cannot make you a killer".

Em tempo: a tradicional faixa SCG (Scarctic Circle Gathering), que geralmente costuma abrir os discos do Lordi com um gracejo que dá ao restante da audição um tom de trailer de filme de terror ou então de uma autêntica invasão zumbi, está justamente no final de "To Beast Or Not To Beast". Aqui, no entanto, a canção instrumental é uma espécie de solo de bateria, em homenagem a seu falecido baterista, Tonmi Lillman, conhecido pela alcunha de Otus. Tonmi, que já tinha tocado em bandas como Sinergy e To/Die/For, faleceu aos 38 anos, de causas até o momento não reveladas. Um tributo em altíssimo astral, que não recorre a um expediente taciturno e sombrio para honrar um companheiro morto. É exatamente o tipo de postura que se espera de um monstro que se preze, aliás.

Mr. Lordi, fica aqui então a dica: nos próximos discos, vamos fazer o favor de nos manter neste mesmo rumo, ok?

Line-up:
Mr. Lordi - Vocal
Amen - Guitarra
OX - Baixo
Mana - Bateria
Hella - Teclado

Tracklist:
We're Not Bad for the Kids (We're Worse)
I Luv Ugly
The Riff
Something Wicked This Way Comes
I'm the Best
Horrifiction
Happy New Fear
Schizo Doll
Candy for the Cannibal
Sincerely with Love
SCG6: Otus' Butcher Clinic


Outras resenhas de To Beast Or Not To Beast - Lordi

Lordi: "To Beast or Not to Beast", não se leve tão a sérioLordi: Mais um bom trabalho dos "monstros" finlandeses




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Lordi"


Máscaras: confira algumas das mais fodas do metalMáscaras
Confira algumas das mais fodas do metal

Lordi: como se parece o monstruoso vocalista sem a máscara?Lordi
Como se parece o monstruoso vocalista sem a máscara?


Iron Maiden: Steve Harris pensou em acabar com a banda em 1993Iron Maiden
Steve Harris pensou em acabar com a banda em 1993

Whiplash.Net: O site protege algumas bandas e prejudica outras?Whiplash.Net
O site protege algumas bandas e prejudica outras?


Sobre Thiago El Cid Cardim

Thiago Cardim é publicitário e jornalista. Nerd convicto, louco por cinema, séries de TV e histórias em quadrinhos. Vegetariano por opção, banger de coração, marvete de carteirinha. É apaixonado por Queen e Blind Guardian. Mas também adora Iron Maiden, Judas Priest, Aerosmith, Kiss, Anthrax, Stratovarius, Edguy, Kamelot, Manowar, Rhapsody, Mötley Crüe, Europe, Scorpions, Sebastian Bach, Michael Kiske, Jeff Scott Soto, System of a Down, The Darkness e mais uma porrada de coisas. Dentre os nacionais, curte Velhas Virgens, Ultraje a Rigor, Camisa de Vênus, Matanza, Sepultura, Tuatha de Danaan, Tubaína, Ira! e Premê. Escreve seus desatinos sobre música, cinema e quadrinhos no www.observatorionerd.com.br e no www.twitter.com/thiagocardim.

Mais informações sobre Thiago El Cid Cardim

Mais matérias de Thiago El Cid Cardim no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336