Vomitory: chutando bundas e nucas com o Death que a consagrou

Resenha - Carnage Euphoria - Vomitory

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Christiano K.O.D.A.
Enviar correções  |  Ver Acessos

publicidade

Nota: 9


Com a Vomitory é assim: ou você ama, ou ama mais ainda! De cara, é bom dizer que "Carnage Euphoria" é espetacular! Portanto, sem enrolações, a banda chuta bundas (e nucas) com aquele Death Metal fantástico que a consagrou. E a oportunidade de apreciar esse material impiedoso é, mais do que nunca, agora, já que a Shinigami Records (www.shinigamirecords.com.br) acaba de colocar no mercado sua versão nacional!

Tatuagens: Homenagens a artistas e bandas na pele dos fãs - Parte 1Metal Neoclássico: como se tornar uma estrela do gênero

O álbum já abre com a desgraçadamente empolgante "The Carnage Rages On", milimetricamente perfeita: são mols de toneladas de peso e agressividade, pra prender o ouvinte na poltrona desde o início, com a potência das caixas de som!

E todas as faixas são irresistíveis, com pegadas variadas, como é o caso, por exemplo, de "Serpents", numa levada mais Crossover/Hardcore, assim como "Ripe Cadavers", bem trabalhada e não menos potente. Vale lembrar também da cadenciada e bela "The Ravenous Dead", mais uma boa pedida do CD.

Outra que merece destaque é "A Lesson in Virulence", com um começo mais trabalhado e, depois, só paulada, com riffs viciantes!

E o que falar da fenomenal "Rage of Honour", com suas batidas meio Crossover/Crust? Depois, dá-lhe 'blast beats' infernais! É outra que está entre as melhores do disco.

Caso consiga sobreviver à violência de "Possessed" - um tiro de bazuca direto nos tímpanos -, pode ser que haja possibilidade de passar pela última composição do álbum, "Great Deceiver", outra pedrada na cara.

Num aspecto geral, é fácil perceber que o vocalista/baixista Erik Rundqvist estava (e está) com um gutural absurdo de bom, enquanto Tobias Gustafsson massacra sua bateria, mesclando sua técnica apurada com uma rapidez invejável.

E já que foram mencionados os riffs, não se pode deixar de fora da festa os guitarristas Urban Gustafsson e Peter Östlund, competentíssimos na proposta do conjunto.

Capa e arte gráfica caprichadas, além de uma produção excelente, garantem ainda mais qualidade ao petardo que, se não for o número 1, na certa está entre os melhores da carreira dos suecos. Sem mais palavras: NECESSÁRIO, INDISPENSÁVEL, OBRIGATÓRIO, ESSENCIAL!

Peço licença para ir apertar o "play" novamente.

Só fica aqui o protesto contra o anúncio feito pelo conjunto, no qual afirmam que encerrarão suas atividades em 2013. Injustiça com os fãs de uma das melhores bandas de Death da atualidade.

Vomitory - Carnage Euphoria
Metal Blade/Shinigami Records - 2009/2013 (relançamento) - Suécia

http://www.facebook.com/vomitoryband
http://www.vomitory.net/
http://www.myspace.com/vomitoryswe

Tracklist:
1. The Carnage Rages On 04:30
2. Serpents 03:24
3. A Lesson in Virulence 04:46
4. Ripe Cadavers 04:19
5. Rage of Honour 02:35
6. The Ravenous Dead 04:31
7. Deadlock 03:10
8. Rebirth of the Grotesque 04:04
9. Possessed 02:14
10. Great Deceiver 05:25


Outras resenhas de Carnage Euphoria - Vomitory

Vomitory: banda anunciou que irá se dissolver no final de 2013



GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Vomitory"


Tatuagens: Homenagens a artistas e bandas na pele dos fãs - Parte 1Tatuagens
Homenagens a artistas e bandas na pele dos fãs - Parte 1

Metal Neoclássico: como se tornar uma estrela do gêneroMetal Neoclássico
Como se tornar uma estrela do gênero


Sobre Christiano K.O.D.A.

Um cara diretamente ligado ao Som Extremo, fã de livros e filmes, formado em Imagem e Som, Publicidade e Propaganda e Jornalismo. Faz parte da banda de grindcore Prey of Chaos e tem um blog dedicado à música barulhenta. Enfim, alguém que faz da música sua vida.

Mais matérias de Christiano K.O.D.A. no Whiplash.Net.