Stone Sour: "House 2" é ótimo, mas inferior à primeira parte

Resenha - House of Gold and Bones Part 2 - Stone Sour

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Junior Frascá
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 8


Depois do sucesso do excelente "The House of Gold and Bones - Part I", seu melhor disco, Corey Taylor e sua banda não perderam tempo, já colocando no mercado a segunda parte da obra, que acaba de sair no Brasil, e, embora mantendo a qualidade sonora típica dos caras, traz algumas diferenças em relação à primeira parte.

Religião: Top 10 citações sobre Deus e o DiaboVan Halen: o constrangedor encontro de Eddie com o Nirvana

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Se no primeiro disco desta obra a banda apostava em uma sonoridade mais direta, pesada e visceral, nesta segunda parte temos um material mais melancólico, viajado e introspectivo, com faixas mais variadas, complexas e com melodias carregas e, embora mantendo a agressividade, soa bem menos pesado que o anterior.

Faixas como "Red City", "Black John" e "Sadist", que abrem o material, mostram bem esse lado mais diversificado da banda, com guitarras cheias de groove, e linhas vocais mais emocionais de Corey.

O trabalho dos guitarristas Josh Rand e Jim Root também chama a atenção, seja nos excelentes riffs, seja nos solos memorais presentes em quase todas as faixas, em especial na épica "The Conflagration", que traz ainda alguns elementos mais comerciais, mas sem soar piegas ou forçados. A faixa título também é outro ótimo exemplo do excelente trabalho não só dos guitarristas, mas também de Corey, sendo uma das faixas mais legais já compostas pela banda.

E sobre todo o disco paira um clima mais atmosférico e carregado, levando o ouvinte a experimentar uma gama bem diversificada de sensações durante toda a audição, que em nenhum momento se torna cansativa.

Outro ponto que merece total destaque são as letras das faixas, todas criadas por Taylor de forma bem inteligente e intrigante (veja "Do Me a Favor", por exemplo), dando sequência à história iniciada no disco antecessor.

Temos aqui, assim, um ótimo registro, e que mostra toda a qualidade e competência do STONE SOUR que, há tempos deixou de ser apenas a segunda banda do vocalista do SLIPKNOT, para se tornar uma das bandas mais importantes do rock contemporâneo.

É inferior à primeira parte, mas mesmo assim um ótimo registro, bem acima da média. Pode ouvir sem medo...

The House of Gold and Bones - Part 2 - Stone Sour
(2013 -Nacional)

Track List:

1. Red City
2. Black John
3. Sadist
4. Peckinpah
5. Stalemate
6. Gravesend
7. 82
8. The Uncanny Valley
9. Blue Smoke
10. Do Me a Favor
11. The Conflagration
12. The House of Gold Bones




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Stone Sour"


Corey Taylor: não estou deixando o Slipknot, presta atenção!Corey Taylor
"não estou deixando o Slipknot, presta atenção!"

Nickelback: por que a treta com Corey Taylor é bizarra e juvenilNickelback
Por que a treta com Corey Taylor é bizarra e juvenil


Religião: Top 10 citações sobre Deus e o DiaboReligião
Top 10 citações sobre Deus e o Diabo

Van Halen: o constrangedor encontro de Eddie com o NirvanaVan Halen
O constrangedor encontro de Eddie com o Nirvana


Sobre Junior Frascá

Junior Frascá, casado, é advogado, e apaixonado por heavy metal em todas as suas vertentes (em especial thrash, stoner, doom e power metal) desde seus 15 anos. Também é fã de filmes de terror e séries americanas, faz parte da equipe da revista digital Hell Divine e do site My Guitar, e é guitarrista da banda de metal tradicional MUD LAKE.

Mais matérias de Junior Frascá no Whiplash.Net.

adGoo336