Sepultura: um dos shows mais longos e pesados de sua história

Resenha - Under a Pale Grey Sky - Sepultura

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Flávio Mendes Santana
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 8


SEPULTURA...quanta história essa banda tem pra contar. Passou por muitas dificuldades como outras bandas de sua época, porém, algo foi mais forte que tudo nessa carreira de quase 30 anos: a sonoridade. Aspecto ao qual nunca deveu nada pra ninguém, pois sempre soube inovar, e ousar de maneira coerente, mantendo a identidade principal dessa sonoridade: o peso! No auge de sua carreira em 1996, ano de lançamento do "polêmico" álbum divisor de águas, "Roots", a banda realizou seu último show com seu frontman mais que importante na história do Heavy Metal, Max Cavalera. Porém não foi apenas um show de depedida de Max, mas também, onde a banda executou um dos shows mais longos e pesados de sua história, na respeitável Brixton Academy em Londres (Porque não foi no Brasil?). Para a felicidade dos fãs da fase Max, esse show foi registrado no álbum duplo "Under a Pale Grey Sky".

Guns e Sabbath: semelhança entre Zero the Hero e Paradise CityCornos do Rock: a dor e o peso do chifre em três belas canções

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Pra começar, esse título parece um trocadilho a um outro título de registro ao vivo de uma outra banda (alguém também percebeu isso? ;)). Brincadeiras a parte, o show dá suporte a tour em promoção ao álbum Roots, qual grande parte do repertório do show é calcado em cima deste. Mas, por se tratar de um álbum duplo, e um show de despedida, sobrou espaço para muitos clássicos da carreira da banda, passando por "Chaos A.D.", "Arise", "Beneath The Remains" e até mesmo "Bestial Devastation" e "Morbid Visions". Os pontos mais altos começam logo de cara com as pesadíssimas "Roots Bloody Roots" e "Spit" e a clássica "Territory". Sobrou até para um cover muito bacana da música de Chico Science (Nação Zumbi), "Monólogo ao Pé do Ouvido". Mais clássicos são executados como "Troops of Doom" e a dobradinha "Beneath the Remains/Mass Hypnosis" e, o desfecho do primeiro disco fica por conta dalonga e protestante música, "Endangered Species", com sua levada bem doom.

O segundo disco deslancha mais para os clássicos como "Refuse/Resist", mais uma dobradinha matadora "Arise/Dead Embryonic Cells", "Biotech is Godzilla" (contribuição de Jello Biafra ex-Dead Keneddys) e "Inner Self". Sobrou também para os covers de "Polícia (Titãs)" e "We Gotta Know (Cro-Mags)" com participação do vocalista do Strife, Rock Rodney. Também vale ressaltar a violenta "Ditactorshit", com pegada bem hardcore que não tem como ficar parado ao ouvir (quem ouve, acredito que cante junto o verso: "Tortura nunca mais!!!!"). O desfecho do show fica por conta da clássica "Orgasmatron", cover dos pioneiros do Motorhead!

Apesar da mudança drástica da formação da banda, que viria a ocorrer logo após o final da turnê com a saída de Max Cavalera, este registro mostra o profissionalismo e a paixão da banda pelos fãs, mesmo durante uma época de crises internas. Álbum extremamente recomendado para os fãs Thrash Metal e interessados em conhecer os principais clássicos da carreira da banda.

Under a Pale Grey Sky - SEPULTURA
Show realizado em 16 de Dezembro de 1996
(2002 - Roadrunner Records)

Lineup:
Max Cavalera: Vocais, guitarra, berimbau e percussão
Andreas Kisser: Guitarras, backing vocals e percussão
Paulo Jr.: Baixo, percussão
Igor Cavalera: Bateria, percussão

Disco 1:
01 - Itsári (Intro)
02 - Roots Bloody Roots
03 - Spit
04 - Territory
05 - Monologo Ao Pé Do Ouvido (Chico Science cover)
06 - Breed Apart
07 - Attitude
08 - Cut-Throat
09 - Troops of Doom
10 - Beneath the Remains/Mass Hypnosis
11 - Born Stubborn
12 - Desperate Cry
13 - Necromancer
14 - Dusted
15 - Endangered Species

Disco 2:

01 - We Who Are Not as Others
02 - Straighthate
03 - Dictatorshit
04 - Refuse/Resist
05 - Arise/Dead Embryonic Cells
06 - Slave New World
07 - Biotech Is Godzilla
08 - Inner Self
09 - Polícia (Titãs cover)
10 - We Gotta Know (Cro-Mags cover)
11 - Kaiowas
12 - Ratamahatta
13 - Orgasmatron (Motorhead cover)


Outras resenhas de Under a Pale Grey Sky - Sepultura

Resenha - Under a Pale Grey Sky - Sepultura




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Sepultura"


Fotos de Infância: Max e Igor Cavalera, do SepulturaFotos de Infância
Max e Igor Cavalera, do Sepultura

Max Cavalera: o álbum pelo qual ele gostaria de ser lembradoMax Cavalera
O álbum pelo qual ele gostaria de ser lembrado


Guns e Sabbath: semelhança entre Zero the Hero e Paradise CityGuns e Sabbath
Semelhança entre Zero the Hero e Paradise City

Cornos do Rock: a dor e o peso do chifre em três belas cançõesCornos do Rock
A dor e o peso do chifre em três belas canções


Sobre Flávio Mendes Santana

Nascido e criado na capital paulista, descobriu e se identificou com o universo do Rock no início da adolescência. Atualmente, tem como preferência o Metal Extremo, mas também explora algumas outras vertentes do Rock. Está sempre de olho nos últimos lançamentos, shows e matérias de suas bandas favoritas.

Mais matérias de Flávio Mendes Santana no Whiplash.Net.

adGoo336