Resenha - Under a Pale Grey Sky - Sepultura

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Rafael Carnovale
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 10


O ano era 1996. O cd era "Roots". O Sepultura ganhava "status" de superbanda, excursionando pelo mundo,consolidando seu nome como um dos maiores do thrash metal, e dando os primeiros toques em movimentos como o New Metal. A formação ainda contava com Max Cavalera nos vocais e guitarra. Este foi o último show antes da saída de Max, e o que consta é que logo após o término deste concerto é que ocorreram todos os fatos que já foram mais que expostos pela imprensa brasileira e mundial.

Sepultura: novo álbum Quadra é conceitual e Andreas Kisser explica ideiaWoodstock: som ruim, gente demais e cheiro de fezes e urina

Mas deixando essa parte de lado, vamos ao que interessa: o cd capta o Sepultura em uma de suas melhores fases. Os vocais guturais de Max se completavam com a guitarra "Roto-Rotter" de Andreas e a cozinha poderosíssima de Igor e Paulo Jr. Eles ainda tiveram a manha de colocar a intro "Itsari" para abrir o show, levando a galera ao delírio... e aí é só Max anunciar "Saudações do Terceiro mundo" e a pancadaria começar: "Roots Bloody Roots", "Spit" e a furiosíssima "Territory". O cover de Chico Science "Monólogo ao Pé do Ouvido" soa meio deslocado, mas serve de alívio para o massacre em seguida: "Breed Apart", "Attitude" (com especial carinho de Max), "Cut-Throat". Algumas músicas mais antigas para levar a Brixton Academy ao chão de vez: "Troops of Doom" (como o Sepultura dos primórdios era mais agressivo...) e um medley de "Beneath the Remains" com "Mass Hypnosis". A banda ainda tocaria mais músicas antigas neste primeiro cd, como a clássica "Necromancer", mas esta primeira parte do show privilegiaria as músicas dos cd's "Roots" e "Chaos A.D" como "Born Stubborn" e "Dusted", também excelentes.... que começo de show.

A segunda parte do show (o segundo cd) mescla mais músicas antigas com novas, como "We Who Are Not as the Others" e "Arise/Dead Embryonic Cells" (um medley que a banda faz até hoje). Ainda sobraria espaço para as potentes "Slave New World", a política "Biotech is Godzilla" e o clássico das antigas "Inner Self". O final do show seria marcado pelos covers já consagrados de "Polícia" dos Titãs (com uma inserção de "Gene Machine/Don't Bother Me" dos Bad Brains e "We gotta Know", junto com as mais experimentais "Kaiowas", "Rattamahatta". O cover matador de "Orgasmatron" fecha o massacre.

O que falar da banda? Totalmente introsada. O Sepultura dá um show musical,com qualidade excepcional. Max tem total domínio da platéia, e Andreas, Igor e Paulo dão show em seus instrumentos. Nem parece que algumas horas depois, tudo isso mudaria.

Não cometerei o erro de comparar este cd ao Sepultura com Derrick Green e ao Soulfly. São duas bandas diferentes, com planos e objetivos de sucesso. É difícil não enxergar neste cd o cheiro de um caça níqueis, aproveitando que a banda devia um disco a Roadrunner Records. Mas vale a pena, como o fechamento de um ciclo fundamental na história de uma das bandas mais importantes do heavy metal brasileiro do final dos anos 80 e anos 90.

Lançado no Brasil pela Sum Records.


Outras resenhas de Under a Pale Grey Sky - Sepultura

Sepultura: um dos shows mais longos e pesados de sua história




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Sepultura"


Sepultura: novo álbum Quadra é conceitual e Andreas Kisser explica ideiaSepultura
Novo álbum Quadra é conceitual e Andreas Kisser explica ideia

Sepultura: banda mostrou a capa do álbum Quadra durante show no Rock in RioSepultura
Banda mostrou a capa do álbum Quadra durante show no Rock in Rio

Sepultura: no Rock in Rio, música nova e homenagem a Andre Matos; vídeosSepultura
No Rock in Rio, música nova e homenagem a Andre Matos; vídeos

Rock in Rio 2019: horários do dia do metal passam por pequena alteraçãoRock in Rio 2019
Horários do "dia do metal" passam por pequena alteração

Sepultura: Amilcar Christófaro substitui Eloy Casagrande durante show em festivalSepultura
Amilcar Christófaro substitui Eloy Casagrande durante show em festival

Sepultura: gravações do novo álbum já foram concluídas pela bandaSepultura
Gravações do novo álbum já foram concluídas pela banda

Sepultura: Faleceu pai de Eloy Casagrande

Sepultura: Andreas Kisser usará guitarra com cores do movimento LGBT no Rock in RioSepultura
Andreas Kisser usará guitarra com cores do movimento LGBT no Rock in Rio

Em 02/09/1993: Sepultura lançava o clássico "Chaos A.D."

Sepultura: novo álbum já tem nome, diz Andreas KisserSepultura
Novo álbum já tem nome, diz Andreas Kisser

Petbrick: ouça novo single de projeto experimental de Iggor Cavalera

Max Cavalera: ele não entende como o Slayer consegue pensar em se aposentarMax Cavalera
Ele não entende como o Slayer consegue pensar em se aposentar

Sepultura: veja entrevista de Andreas Kisser no programa CMCH

Andreas Kisser: regravar discos clássicos do Sepultura é perda de tempoAndreas Kisser
Regravar discos clássicos do Sepultura é perda de tempo

Max Cavalera: as histórias de guerra com Layne StaleyMax Cavalera
As histórias de guerra com Layne Staley

Sepultura: Derrick fala em como foi difícil substituir MaxSepultura
Derrick fala em como foi difícil substituir Max


Woodstock: som ruim, gente demais e cheiro de fezes e urinaWoodstock
Som ruim, gente demais e cheiro de fezes e urina

G.G. Allin: o extremo dos extremosG.G. Allin
O extremo dos extremos

Iron Maiden: Steve Harris pensou em acabar com a banda em 1993Iron Maiden
Steve Harris pensou em acabar com a banda em 1993

Guitar World: melhores solos de guitarra de todos os temposGuitar World
Melhores solos de guitarra de todos os tempos

Whiplash.Net: Contribua para manter o site como éWhiplash.Net
Contribua para manter o site como é

Whiplash.Net: Como consegui viver de Rock e Heavy Metal sem saber tocar porra nenhumaWhiplash.Net
Como consegui viver de Rock e Heavy Metal sem saber tocar porra nenhuma

Quietos: os membros calmos de grandes bandas de rockQuietos
Os membros calmos de grandes bandas de rock


Sobre Rafael Carnovale

Nascido em 1974, atualmente funcionário público do estado do Rio de Janeiro, fã de punk rock, heavy metal, hard-core e da boa música. Curte tantas bandas e estilos que ainda não consegue fazer um TOP10 que dure mais de 10 minutos. Na Whiplash desde 2001, segue escrevendo alguns desatinos que alguns lêem, outros não... mas fazer o que?

Mais matérias de Rafael Carnovale no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336