Lacerated And Carbonized: equilibrada de forma quase perfeita

Resenha - Third World Slavery - Lacerated And Carbonized

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Vitor Franceschini
Enviar Correções  

publicidade

9


Banda que tem profissionalismo até quando lança single merece mais do que atenção, afinal existe cada material oficial que você recebe que simplesmente não dá pra acreditar, já que os recursos que temos em mãos hoje em dia nos possibilitam fazer do bom e do melhor sem sair do quarto.

O Lacerated And Carbonized nos traz neste material o melhor do Death Metal atual, sem seguir tendências e sempre flertando com o Brutal Death Metal tão em voga há pouco tempo. O importante é ressaltar que a banda equilibra tudo de forma quase perfeita, já que propositalmente investe em uma produção levemente suja.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A técnica dos caras pode ser vista a olhos nus, já que o trabalho das guitarras é focado em riffs bem executados e solos diretos, sendo que a dupla baixo e bateria dão a levada certeira e veloz às composições. O grande destaque são os vocais de Jonathan Cruz, que é aquele típico gutural inteligível e possui um poder absurdo.

São três ótimas composições onde a qualidade se iguala em todas, o que faz jus ao conjunto da obra. Gravado e mixado pelo guitarrista Caio Mendonça, no HR Studios, "Third World Slavery" foi nada mais nada menos que mixado e masterizado por Andy Classen na Alemanha. Lembra quando falei do profissionalismo no início?

http://www.laceratedandcarbonized.com/

publicidade


Outras resenhas de Third World Slavery - Lacerated And Carbonized

Lacerated And Carbonized: EP dá uma prévia do próximo disco




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Slipknot: veja a evolução das máscaras de cada integrante da estreia aos dias atuaisSlipknot
Veja a evolução das máscaras de cada integrante da estreia aos dias atuais

Slash: Alucinações, sexo, dinheiro e armas de fogo no auge do vícioSlash
Alucinações, sexo, dinheiro e armas de fogo no auge do vício


Sobre Vitor Franceschini

Jornalista graduado tem como principal base escrever sobre Rock e Metal, sua grande paixão. Ex-editor do finado Goredeath Zine, atual comandante do blog Arte Metal, além de colaborador de diversos veículos do underground.

Mais matérias de Vitor Franceschini no Whiplash.Net.

Cli336 WhiFin