RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagemRoger Waters se defende, mas David Gilmour fica do lado da esposa e confirma tudo

imagemO ponto fraco de Yngwie Malmsteen segundo Ronnie James Dio, em 1985

imagemOzzy Osbourne revela qual foi o melhor guitarrista de sua carreira solo

imagemA reação de King Diamond ao ouvir Metallica tocando músicas do Mercyful Fate

imagemRoger Waters atende a Rússia e faz discurso para o Conselho de Segurança da ONU

imagemEm 1974, Raul Seixas explicava detalhes dos significados por trás da letra de "Gita"

imagemQuem ganhou e quem devia ter ganhado o Grammy de metal desde 1989, segundo Loudwire

imagemVeja o que esperar da turnê do Mayhem no Brasil

imagemPor que Herbert Vianna gosta muito do riff de "Eu Quero Ver o Oco" do Raimundos?

imagemRodinha de mosh gigantesca em show do System of a Down viraliza e impressiona

imagemMegadeth é processado por artista que criou capa do último disco da banda

imagemO show do Engenheiros do Hawaii sem Humberto, que eles achavam que havia sido sequestrado

imagemVeja Dave Grohl cantando e agitando em show do Mercyful Fate

imagemO triste motivo pelo qual o Pink Floyd não podia fazer contato com Syd Barrett

imagemRitchie Blackmore avalia os guitarristas que o substituíram no Deep Purple


Stamp

Baroness: sem se prender à qualquer padrão ou regra

Resenha - Yellow & Green - Baroness

Por Junior Frascá
Postado em 11 de outubro de 2012

Nota: 9

Realmente, às vezes a música nos prega algumas peças, seja pelo lado bom, seja pelo lado ruim. Mas, felizmente, no caso do BARONESS, sempre acabamos sendo surpreendidos pelo lado positivo. E dessa vez, os americanos mais coloridos do rock chegam quebrando todos os paradigmas da música pesada com seu terceiro disco de estúdio, "Yellow & Green" (que, ao que tudo indica, não é uma homenagem ao Brasil), um disco duplo.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sem se prender à qualquer padrão ou regra, e sem medo de ousar, a banda trilha seu caminho rumo ao topo da música pesada, cada vez evoluindo, mas sem deixar de lado sua essência musical. Se nos trabalhos anteriores da banda já podíamos constar a beleza do sludge praticado pelos caras, com alguma influência de rock progressivo, neste novo disco estas características ficam ainda mais evidentes, mas trazendo ainda outros elementos que deixam tudo ainda mais interessante, fugindo por completo do lugar comum.

Assim, ao longo do play, podemos perceber influências de stoner rock, como na excelente "Take My Bones Away", ou mesmo algo de new age, na ambiental "Little Things", e de progressivo, no melhor estilo YES e PINK FLOYD, em "Cocainium". Mas não é só, pois a cada nova audição podemos perceber novos elementos na sonoridade única do BARONESS, que nos leva a gostar ainda mais do disco, e querer escutá-lo novamente, por diversas vezes.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Além disso, os momentos psicodélicos estão ainda mais evidentes, com aquele estilão setentista, graças ao excelente trabalho instrumental, principalmente nas linhas de baixo e baterial. Ademais, as vocalizações do líder John Dyer Baizley são fascinantes, e cativam logo de cara.

Mas mesmo diante de todas essas influências mencionadas, inclusive com o acréscimo de elementos psicodélicos e progressivos no disco, o que acaba por impressionar é que tal fato, que geralmente acabaria por gerar músicas complexas, acabou tendendo a um sentido completamente oposto: as faixas são todas diretas, acessíveis, e prendem a atenção do ouvinte com facilidade, tendo em vista que tudo é muito simples, mas feito com muito cuidado e bom gosto. Sem dúvida, não se trata de um material dos mais pesados, mas isso é compensado pela musicalidade e energia que exalam durante todo o interregno do CD.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A produção do material é propositalmente suja, e deixou a sonoridade orgânica e "viva", sem excessos de modernidade, contribuindo muito para o excelente resultado final do material. Destaco também a arte gráfica, que além de uma bela capa e contracapa, ainda traz no seu interior diversas figuras que fazem referência às canções. Uma completa obra de arte.

Portanto, se você ainda não conhece o trabalho desses americanos, não perca mais tempo, pois sem dúvida estamos diante de uma das bandas mais interessantes da atualidade, e que tem tudo para se tornar referência na música pesada. E "Yellow & Green" é um disco que, sem dúvida, marcará época.

Yellow & Green - Baroness
(2012 – Relapse Records - Importado)

Track List:

CD 1:
1. Yellow Theme
2. Take My Bones Away
3. March to the Sea
4. Little Things
5. Twinkler
6. Cocainium
7. Back Where I Belong
8. Sea Lungs
9. Eula

CD 2:
1. Green Theme
2. Board Up the House
3. Mtns. (The Crown and Anchor)
4. Foolsong
5. Collapse
6. Psalms Alive
7. Stretchmarker
8. The Line Between
9. If I Forget Thee, Lowcountry

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal


Outras resenhas de Yellow & Green - Baroness

Resenha - Yellow & Green - Baroness

Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:

Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps


Def Leppard Motley Crue 2

Veja show completo do Baroness no Freak Valley Festival 2022

Collectors Room: os melhores discos de 2015 segundo o blog


publicidadeAdemir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | André Silva Eleutério | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Euber Fagherazzi | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Henrique Haag Ribacki | José Patrick de Souza | Julian H. D. Rodrigues | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Sergio Luis Anaga | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre Junior Frascá

Junior Frascá, casado, é advogado, e apaixonado por heavy metal em todas as suas vertentes (em especial thrash, stoner, doom e power metal) desde seus 15 anos. Também é fã de filmes de terror e séries americanas, faz parte da equipe da revista digital Hell Divine e do site My Guitar, e é guitarrista da banda de metal tradicional MUD LAKE.
Mais matérias de Junior Frascá.