Marduk: Som mais polido e técnico do que outrora

Resenha - Serpent Sermon - Marduk

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Junior Frascá
Enviar Correções  

8


Sim, meus amigos, no fatídico ano de 2012, o MARDUK chega a seu 12° disco de estúdio. E mantendo sua tendência atual, "Serpent Sermon" é uma continuação dos discos que a banda tem feito nos últimos tempos, ou seja, com um som mais polido e técnico do que outrora, e mesclando black metal com algo de doom de uma forma bem interessante.

Por mais que muitos dos antigos fãs torçam um pouco o nariz para essa nova fase da banda, a verdade é que o MARDUK nunca deixou de fazer um som extremo, apenas foi evoluindo ao longo do tempo, aprimorando sua sonoridade, e buscando novos caminhos e tendência, mas sem nunca deixar de lado suas raízes. Por óbvio dificilmente os caras lançarão outro clássico do black metal como "Panzer Division Marduk" (1999) ou seus primeiros discos, mas mesmo assim conseguem se manter relevante no underground metálico.

publicidade

E o grande diferencial da banda, como sempre, são as guitarras e climas criados pelo líder Morgan, um dos maiores nomes da história do estilo, e que tem um talento nato para compor canções brutais e ao mesmo tempo melancólicas, na medida certa.

Já na faixa título, que abre o material, podemos perceber bem essa nova tendência da banda, com riffs mais melodiosos, e um refrão marcante, mas sem deixar de lado as passagens rápidas e os blast beats característicos. E o disco ainda têm outras faixas excelentes, sejam mais experimentais, como "Temple of Decay" (com forte influência de doom metal) e "World of Blades", seja nos momentos mais "old school", como "Messianic Pestilence" e "Souls for Belial".

publicidade

O único ponto negativo são os vocais de Mortuus, que apesar de ser um grande vocalista, abusou dos efeitos, tendo como resultado algo muito artificial e menos brutal que o habitual, embora a qualidade de gravação do disco (produzido pela própria banda), no geral, esteja excelente.

Portanto, qualidade é o que não falta para o MARDUK, que há longos anos vem espalhando o metal negro por todo o mundo, e mais uma vez coloca no mercado um material de destaque. Mas se você é dos fãs mais radicais, que não curtem essa nova fase da banda, "Serpent Semon" não é o disco que o fará mudar de ideia. Caso contrário, é um disco altamente indicado!

publicidade

Serpent Sermon – Marduk
(2012 – Nacional)

Formação:

Mortuus – Vocais
Morgan Steinmeyer Håkansson – Guitarras
Devo – Baixo
Lars Broddesson – Bateria

Track List:

1. Serpent Sermon
2. Messianic Pestilence
3. Souls for Belial
4. Into Second Death
5. Temple of Decay
6. Damnation s Gold
7. Hail Mary (Piss-soaked Genuflexion)
8. M.A.M.M.O.N.
9. Gospel of the Worm
10. World of Blades

publicidade



Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Rock x Igreja: veja 12 artes que mostram essa impávida lutaRock x Igreja
Veja 12 artes que mostram essa impávida luta

Marduk: festival cancela show por falta de profissionalismoMarduk
Festival cancela show por "falta de profissionalismo"


Axl Rose: a primeira ficha policial aos 18 anosAxl Rose
A primeira ficha policial aos 18 anos

Ódio musical: os artistas mais detestados em lista da SpinnerÓdio musical
Os artistas mais detestados em lista da Spinner


Sobre Junior Frascá

Junior Frascá, casado, é advogado, e apaixonado por heavy metal em todas as suas vertentes (em especial thrash, stoner, doom e power metal) desde seus 15 anos. Também é fã de filmes de terror e séries americanas, faz parte da equipe da revista digital Hell Divine e do site My Guitar, e é guitarrista da banda de metal tradicional MUD LAKE.

Mais matérias de Junior Frascá no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin