Andralls: O som do grupo continua cheio de feeling

Resenha - Breakneck - Andralls

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Vitor Franceschini
Enviar correções  |  Ver Acessos

publicidade

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Enfim chega a nossas mãos o mais novo petardo da banda Andralls. Após 3 anos do último álbum, "Breakneck"é lançado pelo selo Distro Rock Records e depois de turnês pela Europa e América do Sul, onde tocaram ao lado de nomes como Judas Priest, Malevolent Creation, Sodom e Discharge, a banda se mostra mais afiada e madura.

Curiosidade: artistas que odeiam suas próprias músicasHall Of Fame: 500 Músicas Que Marcaram o Rock and Roll

"Breakneck" é o quinto álbum de estúdio (sétimo se contarmos os dois ao vivo) e tem a estreia do guitarrista e vocalista Cleber Orsioli em estúdio como maior novidade. A escolha foi certeira, pois o cara detona no instrumento e possui um bom vocal, que apesar de monocórdio não compromete e soa bem agressivo.

O som do grupo continua cheio de feeling, mostrando que a pegada continua sendo a principal característica da banda. Difícil será achar espaço para algo morno nas músicas que compõem a bolachinha. Rapidez e agressividade são os principais elementos das composições e das letras.

Os riffs e solos estão bem característicos, o baixo segue uma linha mais reta e a bateria mostra uma pegada insana e é um dos destaques individuais. Mas o que vale mesmo aqui é o conjunto da obra, pois a banda soa melhor neste sentido. Meus destaques ficam para as faixas Under The Insanity, que abre o disco e vem com um ótimo clipe como bônus deste trabalho, Eye For An Eye, Maze (ótimos riffs) e Policia Asesina, que conta com a participação de Toño e Raúl (vocalista e baterista da banda espanhola de Grindcore Rato Raro).

O trabalho contou com a produção de Fabiano Penna (ex-Rebaellium, The Ordher), além da bela arte gráfica a cargo de Remy C., artista francês responsável por capas de Arch Enemy, Agathocles, entre outros. Não diria que este é o melhor trabalho da Andralls, mas sem dúvidas, junto com o disco que o antecede, é um dos carros chefes da banda.

Confira.

http://www.andralls.com.br/


Outras resenhas de Breakneck - Andralls

Andralls: um orgulho para os amantes do Thrash MetalAndralls: quebrando pescoços. LiteralmenteAndralls: Persistência em prol de algo que se acreditaAndralls: Mais passos rumo ao merecido reconhecimento




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Andralls"


Curiosidade: artistas que odeiam suas próprias músicasCuriosidade
Artistas que odeiam suas próprias músicas

Hall Of Fame: 500 Músicas Que Marcaram o Rock and RollHall Of Fame
500 Músicas Que Marcaram o Rock and Roll

Iron Maiden: o passado vergonhoso registrado em fotosIron Maiden
O passado vergonhoso registrado em fotos

Megadeth: "Magia negra arruinou minha vida", diz MustaineStairway to Heaven: o maior hit do Led ZeppelinIgor Cavalera: Max e eu acreditamos que o Sepultura não faz mais sentidoRecomendações: Canais do YouTube relacionados a Rock/Heavy Metal

Sobre Vitor Franceschini

Jornalista graduado tem como principal base escrever sobre Rock e Metal, sua grande paixão. Ex-editor do finado Goredeath Zine, atual comandante do blog Arte Metal, além de colaborador de diversos veículos do underground.

Mais matérias de Vitor Franceschini no Whiplash.Net.