Resenha - A Godlike Inferno - Ancient VVisdom

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ricardo Seelig, Fonte: Collectors Room
Enviar correções  |  Ver Acessos

publicidade

Nota: 9

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Fundado em 2009, o quarteto texano Ancient VVisdom (com dois V's mesmo, e não com W) lançou em 2011 o seu primeiro disco, "A Godlike Inferno". E o que temos nas oito faixas do álbum é um som diferente, rico em melodias e pra lá de cativante.

Rock Progressivo: as 25 melhores músicas de todos os temposSeparados no nascimento: Ozzy Osbourne e Jim Carrey

Pra começo de conversa, a música do Ancient VVisdom é um tanto difícil de classificar. As faixas são predominantemente acústicas, com um ou outro instrumento elétrico ou de percussão. O senso de harmonia dos caras é gigantesco, resultando em um trabalho cativante.

As letras, porém, vão por outro caminho. Os temas levam o ouvinte de volta ao final dos anos 60 e início da década de 70, quando uma legião de bandas compunha inspirada nos escritos de Anton LaVey, autor da Bíblia Satânica e da Igreja de Satã. Isso faz com que "A Godlike Inferno" soe soturno, arcano e maligno. A estrutura de suas músicas remete a um culto ao demônio. O refrão da belíssima "The Opposition", por exemplo, faz com que todos cantemos juntos "Hail to thee, Lord Lucifer / I sing praises to thee / and I suffer no longer".

O trabalho de composição é primoroso. Todas as faixas possuem uma estética atraente. O aspecto ritualístico das canções faz com que, ao dar play, o ouvinte sinta o clima mudar, com o breu invadindo pouco a pouco o ambiente.

Ainda que não estilisticamente, mas sim no conceito, o Ancient VVisdom alinha-se com bandas como Ghost e Devil's Blood (não à toa, o grupo rodou os EUA ao lado do Ghost e do Blood Ceremony durante todo o mês de janeiro), que também despejam suas letras com teor satânico embaladas em sonoridades atraentes, repletas de melodia e, aparentemente, inofensivas. Porém, acontece com "A Godlike Inferno" o mesmo que ocorre ao colocar discos como "Opus Eponymous" e "The Time of No Time Evermore" para rodar: é impossível parar de ouvir, com as notas que saem das caixas de som exercendo um poder enfeitiçador.

Além de "The Opposition", merecem destaque também "Alter Reality", "Necessary Evil", "Lost Civilization" e "World of Flesh", todas grudentas e atraentes à primeira audição.

"A Godlike Inferno" é um disco excelente, e que, mesmo não podendo ser enquadrado no termo heavy metal pela sua sonoridade, é, sem dúvida, mais sombrio, sinistro e fúnebre que muito álbum lançado por grupos de metal extremo.

Recomendo, e assino embaixo!

Faixas:
Alter Reality
The Opposition
Necessary Evil
Forever Tonight
Lost Civilization
Devil Brain
World of Flesh
Children of the Wasteland




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Ancient VVisdom"


Rock Progressivo: as 25 melhores músicas de todos os temposRock Progressivo
As 25 melhores músicas de todos os tempos

Separados no nascimento: Ozzy Osbourne e Jim CarreySeparados no nascimento
Ozzy Osbourne e Jim Carrey

Em vídeo: A diferença entre ser músico e ser rockstarEm vídeo
A diferença entre ser músico e ser rockstar

Megadeth: Mustaine abre o jogo sobre convite a Pepeu GomesRolling Stone: as melhores músicas com mais de sete minutosTop 20: os discos e singles mais odiados do rock, segundo o UCRMetallica: o setlist perfeito por Tobias Forge, do Ghost

Sobre Ricardo Seelig

Ricardo Seelig é editor da Collectors Room - www.collectorsroom.com.br - e colabora com o Whiplash.Net desde 2004.

Mais matérias de Ricardo Seelig no Whiplash.Net.