Edguy: Entre as mais importantes do cenário Power/Melódico

Resenha - Age of the Joker - Edguy

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Paulo Finatto Jr.
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Não é por acaso que o EDGUY é frequentemente apontado como uma das bandas mais importantes do cenário metal power/melódico. O grupo, que construiu uma carreira sólida a partir do álbum “Vain Glory Opera” (1998), inicia 2012 com o seu novo álbum disponível no mercado brasileiro e com o mesmo status de outrora. O quinteto germânico – comandado pelo talentoso Tobias Sammet – mostra em “Age of the Joker” a mesma consistência sonora dos seus antecessores mais próximos. As características determinantes do hard rock reaparecem de maneira criteriosa no recente trabalho dos caras.
2584 acessosTobias Sammet: reunião do Helloween foi a melhor coisa para eles5000 acessosGuns N' Roses: mãe de Steven Adler comenta a emoção do filho

A falta de criatividade – e a enxurrada de bandas que apenas se repetiam – impediu que o boom do metal melódico se estendesse por mais uma ou duas décadas depois da sua queda nos anos 2000. No entanto, as bandas que se distanciaram da mesmice imposta por nomes como SONATA ARCTICA e STRATOVARIUS sobreviveram – e os alemães do EDGUY certamente podem ser enquadrados nesse último caso. A banda, que conseguiu amadurecer o estilo com muito peso em “Hellfire Club” (2004), passou a inverter a lógica a partir de “Rocket Ride” (2006). Com influências mais próximas do hard rock, a música do EDGUY se dissolve em “Age of the Joker” em uma série de tendências e torna assim o seu repertório o mais heterogêneo possível. O resultado atingido pelo compositor Tobias Sammet (vocal) – acompanhado há anos por Jens Ludwig (guitarra), Dirk Sauer (guitarra), Tobias Exxel (baixo) e Felix Bohnke (bateria) – é impecável do início ao fim.

Embora não mostre a mesma complexidade sonora do projeto AVANTASIA (capitaneado por Sammet), o novo “Age of the Joker” é certamente um disco obrigatório para todos aqueles que apreciam a carreira consistente do seu líder. A prova disso é que o disco abre com uma das faixas mais intensas e vibrantes da carreira do EDGUY – a longa “Robin Hood”. Com muitas melodias e referências do hard rock, a música capricha também na hora de evidenciar os riffs pesados da dupla Ludwig e Sauer. As guitarras agressivas contornam ainda outro momento de destaque dentro da obra: “Nobody’s Hero”. Com uma tendência rítmica que a aproxima do que a banda produziu de melhor no intenso “Hellfire Club” (2004), a faixa desponta com facilidade na dianteira do track-list de “Age of the Joker”.

A verdade é que poucas bandas conseguiram assimilar o peso do power metal com as melodias mais abrangentes do hard rock – e a virtude do EDGUY é justamente essa. Com muita naturalidade, o grupo constroi o seu repertório em uma zona mista entre dois gêneros. O peso típico do power metal surge em diversos momentos – e por sinal nunca é esquecido. Entretanto, Tobias Sammet claramente acerta ao investir em faixas mais diretas e menos agressivas. O ápice dessa perspectiva é encontrado na dobradinha “Breathe” e “Two Out of Seven” – outros dois destaques absolutos de “Age of the Joker”. Por evidenciar pouco as partes mais pesadas de guitarra, o EDGUY investiu aqui todas as suas fichas em um refrão marcante. O resultado é um número consideravelmente acima da média. Pelos mesmos motivos, “The Arcane Guild” e “The Fire on the Downline” também se sobressaem entre as onze faixas gravadas com o renomado produtor Sascha Paeth entre abril e maio de 2011.

O repertório invejável de “Age of the Joker” possui ainda mais um atrativo para o público brasileiro: a gravadora Nuclear Blast/Laser Company adicionou ao disco nacional um outro CD como bônus. Embora o seu track-list apresente poucas novidades, as seis faixas servem como um ótimo complemento à obra principal. Os destaques ficam por conta da ótima “God Fallen Silent” e da balada sensacional “Standing on the Rain”. Em pouco menos de trinta minutos, o CD bônus ainda abre brecha para a interessante releitura de “Cum on Feel the Noize” – do QUIET RIOT – e para a quase progressiva/setentista “Aleister Crowley Memorial Boogie”. Não há dúvidas de que o repertório lado B de “Age of the Joker” é interessantíssimo. O disco como um todo é realmente imperdível.

Track-list:

01. Robin Hood
02. Nobody’s Hero
03. Rock of Cashel
04. Pandora’s Box
05. Breathe
06. Two Out of Seven
07. Faces in the Darkness
08. The Arcane Guild
09. Fire on the Downline
10. Behind the Gates to Midnight World
11. Every Night Without You

CD Bônus:

01. God Fallen Silent
02. Aleister Crowley Memorial Boogie
03. Cum on Feel the Noize
04. Standing in the Rain
05. Robin Hood (Single Version)
06. Two Out of Seven (Single Version)

5000 acessosQuer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Outras resenhas de Age of the Joker - Edguy

2141 acessosEdguy: Power Metal comanda energia de quase todas canções3327 acessosEdguy: Um grande disco coloca a banda novamente nos trilhos3179 acessosEdguy: Livre do que os fãs esperam que o grupo faça4825 acessosEdguy: "Age of The Joker" é mais do que um ótimo disco2673 acessosEdguy: Power melódico e acelerado não é mais uma realidade4356 acessosEdguy: Vida longa à genialidade de Tobias Sammet!3303 acessosEdguy: No futuro será considerado um dos melhores álbuns

Tobias SammetTobias Sammet
"Reunião do Helloween foi a melhor coisa para eles"

1268 acessosEdguy: show em SP, de 2004, será lançado em DVD de coletânea1697 acessosEdguy: banda anuncia coletânea em CD duplo e DVD0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Edguy"

EdguyEdguy
Uma explicação para o nome da banda

AvantasiaAvantasia
Andre Matos devolve os elogios de Tobias Sammet

Unisonic & EdguyUnisonic & Edguy
Michael Kiske trollando Tobias Sammet

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Edguy"

Guns N RosesGuns N' Roses
Mãe de Steven Adler comenta a emoção do filho

Rob TrujilloRob Trujillo
Sobre Zakk Wylde: "Ele é uma máquina de beber!"

FalênciaFalência
Sete Rock Stars que foram à bancarrota

5000 acessosOs Trapalhões: uma homenagem ao Heavy Metal em 19855000 acessosKiss: as 10 músicas mais "demoníacas" da banda5000 acessosSilas Malafaia: pastor manda um stage-dive no meio da plateia5000 acessosEpica: Simone Simons sempre tenta dar um bom exemplo5000 acessosMetallica: ouça "Master Of Puppets" com a bateria do "St. Anger"5000 acessosSeparados no nascimento: Ozzy Osbourne e Jim Carrey

Sobre Paulo Finatto Jr.

Reside em Porto Alegre (RS). Nascido em 1985. Depois de três anos cursando Engenharia Química, seguiu a sua verdadeira vocação, e atualmente é aluno do curso de Jornalismo. Colorado de coração, curte heavy metal desde seus onze anos e colabora com o Whiplash! desde 2000, quando tinha apenas quinze anos. Fanático por bandas como Iron Maiden, Helloween e Nightwish, hoje tem uma visão mais eclética do mundo do rock. Foi o responsável pelo extinto site de metal brasileiro, o Brazil Metal Law, e já colaborou algumas vezes com a revista Rock Brigade.

Mais informações sobre Paulo Finatto Jr.

Mais matérias de Paulo Finatto Jr. no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online