Matérias Mais Lidas

imagemA simpatia de James Hetfield ao conversar com pais de bebê que nasceu durante show

imagemMalmsteen ameaça cancelar show por que vocalista Jeff Scott Soto estava no local

imagemComo Max Cavalera aprendeu inglês tendo abandonado a escola aos 12 anos de idade

imagemConfira as músicas que o Iron Maiden está ensaiando para turnê que passa pelo Brasil

imagemMetallica faz doação para complexo de saúde e educação em Curitiba

imagemFoto feita após fim da turnê mostra todos do Ghost sem máscaras, incluindo "Ghoulettes"

imagemVocalista do Gwar diz que integrantes do Maiden são "um bando de velhas britânicas"

imagemAdrian Smith e a volta ao Maiden: "queriam o Bruce e já tinham dois guitarristas"

imagemKiko Loureiro explica por que acha uma merda seu solo de guitarra em "Rebirth"

imagemO segredo da longevidade do baixista do Guns N' Roses tem inspiração nos Stones

imagemLuciano Hang processa vocal do Fresno e quer indenização de R$ 100 mil por danos morais

imagemGuitarrista diz que não entrou na banda de Ozzy por não ter cabelo loiro

imagemJonathan Davis, do Korn, explica qual seu problema com o Cristianismo

imagemQuando Angus Young, do AC/DC, detonou o Led Zeppelin e os Rolling Stones

imagemFernanda Lira faz post com pura emoção às vésperas da aguardada volta aos shows


PRB

MaYan: "Death Symphonic Metal Opera" de Mark Jansen

Resenha - Quarterpast - MaYan

Por Ricardo Seelig
Fonte: Collector's Room
Em 03/12/11

publicidade

Nota: 9

O MaYan é um projeto criado e capitaneado por Mark Jansen, conhecido em todo o mundo pelo seu trabalho no Epica e no After Forever. Aqui, Jansen criou uma banda de death metal sinfônico onde explora a sua fascinação pela civilização Maia. Ao lado de Mark estão os parceiros de Epica Simone Simmons, Isaac Delahaye (guitarra) e Ariën van Weesenbeek (bateria), além de Floor Jansen (ex-After Forever), Henning Basse (vocal, Sons of Seasons), Frank Schiphorst (guitarra), Rob van der Loo (baixo) e Jack Driessen (teclado).

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Na capa do disco, abaixo do título, há a frase "Death Symphonic Metal Opera", e ela resume com perfeição o que as faixas de "Quarterpast" entregam ao ouvinte. As composições são longas e cheias de mudanças de andamento e climas, proporcionando uma sonoridade surpreendente. Em relação ao Epica, o som do MaYan é muito mais pesado, soturno e até mesmo extremo, revelando uma faceta não tão explorada por Mark Jansen.

Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

O foco é o heavy metal. Passagens orquestrais e coros estão sempre presentes, mas o metal é que dá as cartas em todas as composições. Essa característica faz com que algumas composições soem próximas ao que o Dimmu Borgir vem fazendo em seus últimos álbuns, mas com uma bem-vinda dose menor de grandiloquência e muito menos pomposo.

Os vocais guturais de Jansen são um destaque à parte, assim como o excelente trabalho de guitarra e a bateria criativa de Weesenbeek. Vozes guturais contrastam com as intervenções quase divinas e angelicais de Simone Simmons e Floor Jansen, enquanto que, na parte instrumental, os riffs de guitarra exploram todo o expectro do death metal, amparados por batidas agressivas e blast beats.

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal

O trabalho de composição foi muito bem feito, e o resultado é um tracklist consistente, onde o destaque está no conjunto. Mesmo assim algumas faixas acabam se sobressaindo, como a abertura com "Symphony of Aggression", "Course of Life", "Drown the Demon" e o single "War on Terror".

"Quarterpast" é um disco muito bom, que mostra um dos músicos mais criativos do metal atual explorando a faceta mais extrema de sua musicalidade. Uma grata surpresa que vale o play, e com o repeat acionado!

Faixas:
Symphony of Aggression
Mainstay of Society
Quarterpast
Course of Life
The Savage Massacre
Essenza di te
Bite the Bullet
Drown the Demon
Celibate Aphrodite
War on Terror
Tithe

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal


Outras resenhas de Quarterpast - MaYan

Resenha - Quarterpast - MaYan

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Mark Jansen: Estaríamos destruindo o planeta mais rápido se nada tivesse acontecidoMark Jansen: "Estaríamos destruindo o planeta mais rápido se nada tivesse acontecido"



Sobre Ricardo Seelig

Ricardo Seelig é editor da Collectors Room - www.collectorsroom.com.br - e colabora com o Whiplash.Net desde 2004.

Mais matérias de Ricardo Seelig.