Pleiades: Deixando muitos "marmanjos fodões" comendo poeira

Resenha - Pleiades - Pleiades

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar Correções  

8


Natural de Belo Horizonte (MG), é praticamente impossível começar a falar do Pleiades sem mencionar a idade de seus integrantes, que na época do início das atividades – 2006 – oscilava entre os 11 e 17 anos. Apenas ‘moleques’, mas que garantiram o 9º lugar no "The Next Big Thing" da BBC de Londres, que visava pela ‘maior banda jovem do mundo’ em uma disputa com 1.100 grupos independentes de 34 países e com idades de até 18 anos.

Um início de tirar o fôlego, certo? É claro que o fato de serem tão jovens atrai muitas atenções para si, mas nada disso seria válido se a música não convencesse. Assim, após muito estudo e inúmeras apresentações – inclusive abrindo para o Deep Purple – o ano passado foi marcado pela estreia com seu disco auto-intitulado, que mostra que o Pleiades tem, sim, um talento que deixa muitos 'marmanjos fodões' com mais tempo de estrada comendo poeira.

publicidade

Com uma proposta que está longe de querer inovar, "Pleiades" prima pela energia crua em 10 ótimas faixas que fundem o Hard Rock com todo o tradicionalismo do Heavy Metal, e com uma personalidade que cativa de imediato. Ainda que cada músico seja merecedor de todos os elogios, os destaques individuais recaem sobre a gatíssima Cynthia Mara, que se mostra muito confortável atrás do microfone (atentem para seu desempenho em "Insomnia"), além da atuação matadora do guitarrista André Mendonça, que dispara riffs convincentes e ótimos solos.

publicidade

Eleger destaques é uma tarefa ingrata em um álbum que funciona em tantos níveis e com um caráter meio descompromissado que só aumenta o impacto e diversão durante a audição. Mas, ainda que bastante homogêneo, parece haver uma tendência em se mesclar canções diretas ao lado de outras mais trabalhadas, segmentação bem representada por faixas simples como a abertura "Fire Fire" (ao vivo deve funcionar muito bem!) e "Freedom"; além de ocasiões mais complexas como "Even If We Don’t Go" e "Find The Same Way". São 40 minutos que deliciarão qualquer amante do Hard / Heavy, simples assim.

publicidade

Tendo como produtor Gus Monsanto (Revolution Renaissance), a carreira do Pleiades pode não dar em nada nestes dias em que a indústria musical anda tão capenga e a procura por novas bandas nacionais parecer estar no fim da lista das prioridades do headbanger médio. Agruras de uma banda de primeiro mundo trabalhando no terceiro, mas quer saber? Azar desse mesmo público, pois está perdendo a oportunidade de conhecer um disco muito significativo, feito com honestidade por uma garotada cheia de energia!

publicidade

... E pensar que este desinformado escriba achava que as fotos do encarte estavam exageradamente corrigidas pelo famigerado Photophop!

Contato: www.myspace.com/bandapleiades

Formação:
Cynthia Mara - voz
André Mendonça - guitarra
CaiocPorto - baixo
André Bastos - bateria

Pleiades - Pleiades
(2010 / independente – nacional)
01. Fire, Fire
02. Even If We Don’t Go
03. Nobody Buys Me Earings
04. I Blame!
05. Before The Music Dies
06. Insomnia
07. Find The Same Way
08. In My Dreams
09. Pleiades
10. Freedom (Bonus Track)

publicidade


Outras resenhas de Pleiades - Pleiades

Pleiades: Sonoridade forte ao mesmo tempo em que acessível

Pleiades: jovens com competência de veteranos




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Punk Rock: seja feio, beba muito, e nunca penteie o cabeloPunk Rock
Seja feio, beba muito, e nunca penteie o cabelo

Metallica: Veja como fica seu nome com o formato do logo da bandaMetallica
Veja como fica seu nome com o formato do logo da banda


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin