Chickenfoot: Estes caras nasceram para tocar juntos

Resenha - III - Chickenfoot

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Willian Blackwell
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


“Pegue os instrumentos, junte os amigos e vamos tocar!” - essa é a proposta aqui, ou pelo menos, como tudo começou - e como a maioria das bandas surgem. Acontece que estes caras não são jovens inexperientes buscando reconhecimento e um lugar ao sol: não, muito pelo contrário, são músicos calejados, artistas com carreira e sucesso consolidado. Estou falando do CHICKENFOOT, o “supergrupo” formado pelos amigos JOE SATRIANI, SAMMY HAGAR(ex Van Halen), MICHAEL ANTHONY (ex Van Halen) e CHAD SMITH(Red Hot Chili Peppers).
1047 acessosChad Smith: participações inusitadas em discos de outros artistas5000 acessosEm 05/01/1974: Pink Floyd tenta fazer um álbum sem instrumentos

“Nós nos encontramos como quatro amigos e dissemos “Cara, isso é ótimo. Vamos sair e tocar música.” - Michael Anthony

No autointitulado primeiro álbum dos caras, lançado em 2009, um clima de JAM era sentido, um lance bacana do tipo “hey, estamos nos divertindo pra caralho e vocês?” (sim, nós estavamos). Ares estes, também sentidos nos primeiros minutos de “III”; porém, algo mais é notado neste, que apesar do título, é o segundo registro em estúdio do quarteto. Um certo “espírito de banda” está mais latente, o que deixou o resultado final mais coeso, fugindo de vez da alcunha, as vezes pejorativa (se levarmos para o lado comercial da coisa), de “supergrupo”, fazendo com que este trabalho seja muito superior ao primeiro, e um dos melhores discos de Rock/Hard do ano - junto com o mais novo trabalho do KING KOBRA, que leva o nome da banda, e “2”, do BLACK COUNTRY COMMUNION.

“Assim que saiu a notícia sobre o Chickenfoot todos passaram a nos chamar de supergrupo. Mas o mais legal nessa banda é que já éramos todos amigos antes dela começar. Não foi tipo como se tivéssemos dito, ‘Ei, vamos botar o baterista do Red Hot Chili Peppers.” - Michael Anthony

O álbum abre com “Last Temptation” deixando claro que todos estão jogando no mesmo time e afiadíssimos em suas funções - modelando um estilo CHICKENFOOT de se fazer música -, e é seguida de perto pela ensolarada e festeira “Alright, Alright”. A simpatissíssima (semi)balada acústica “Different Devil”, injeta um punhado de inocência saborosa neste início, no momento exato de ser o “silêncio” que nos acalenta antes do riff intimidante de “Up Next” (e seu ótimo refrão) e do hard/blues sinuoso de “Lighten Up”, com SATRIANI despejando o seu já conhecido talento.

O som despojado da banda, apresentado no primeiro disco, e até agora realizado com entrosamento absurdo pelo grupo, dá um break, pois temos uma belíssima incursão nos territórios da soul music na forma da sentimental “Come Closer”, que me faz lembrar dos ROLLING STONES e precede aquele que, talvez, seja o momento mais impactante do álbum: a raivosa “Three and a Half Letters”, um relato cáustico sobre os nebulosos tempos modernos do American Way of Life, com suas guerras mentirosas e eminentes crises financeiras.

Depois deste verdadeiro soco no estômago, “Big Foot” retoma a toada rocker do grupo, trazendo o selo CHICKENFOOT de qualidade, tendo sido inclusive escolhida para virar um bem humorado videoclipe; nota-se a ausência de CHAD SMITH nas baquetas, pois o mesmo estava em tour com a sua banda original (Red Hot Chili Peppers), sendo assim temporariamente substituído por KENNY ARONOFF, confira abaixo:

youtube player
Inscreva-se no nosso canalWhiplash.Net no YouTube

Uma linha de baixo maliciosa anuncia a contagiante e “exagerada” “Dubai Blues”, com mais uma aula do guitarrista JOE SATRIANI, que mostra, durante toda a audição de “III”, ter encontrado um equilíbrio perfeito, contrariando aqueles que sempre questionaram o seu papel à favor de uma banda.

As texturas acústicas (com direito a banjo) de “Something Going Wrong”, somadas ao pressagioso lamento vocal de HAGAR (motrando toda a sua versatilidade naquele que, segundo o próprio, é o melhor álbum que ele já gravou) e um solo absurdamente arrepiante de guitarra, fecham o álbum da melhor maneira possível, mostrando que o CHICKENFOOT é uma das melhores coisas que aconteceu no Hard Rock nestes últimos 20 anos.

Ainda somos presenteados com a forte e relevante hidden track “No Change”, que mesmo não fazendo parte do tracklist final do álbum teria todo o potencial para ser.

“É tão bom que parece que pulamos do primeiro álbum direto para o terceiro.” - Hagar explicando a escolha do título

Estes caras nasceram para tocar juntos, mostrando que, além de possuir uma química perfeita, essa nova “velha” banda tem muita lenha para queimar.

Sabor oitentista com tempero dos anos 70; guitarras pesadas, melodiosas, solos eletrizantes; coros e backing vocals harmoniosos, refrões grudentos e certeiros; baixo swingado e encorpado; batidas marcantes, cheias de groove e atitude; Funk, Soul, Blues… puro Rock and Roll!!

Regozije-se. Os deuses da música estão orgulhosos!

Chickenfoot: III (2011)
1.Last Temptation
2.Alright, Alright
3.Different Devil
4.Up Next
5.Lighten Up
6.Come Closer
7.Three and a Half Letters
8.Big Foot
9.Dubai Blues
10.Something Going Wrong
11.No Change (Hidden track)

Formação - Sammy Hagar (vocal), Joe Satriani (guitar), Michael Anthony (bass), Chad Smith (drum)

Site Oficial e Myspace:
http://www.chickenfoot.us
http://www.myspace.com/thechickenfoot

@blackwill - keeptrue!
http://willblackwill.tumblr.com/

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

1047 acessosChad Smith: participações inusitadas em discos de outros artistas1083 acessosChickenfoot: veja a banda tocando "Highway Star", do Deep Purple0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Chickenfoot"

ChickenfootChickenfoot
Hagar: "Joe é o melhor guitarrista com quem já toquei!"

Separados no nascimentoSeparados no nascimento
Joe Satriani e Lord Voldemort

Sammy HagarSammy Hagar
"Eu posso me gabar um pouco; eu vim do nada!"

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 25 de outubro de 2011

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Chickenfoot"

Em 05/01/1974Em 05/01/1974
Pink Floyd tenta fazer um álbum sem instrumentos

SpotifySpotify
As músicas de Metal mais ouvidas no Brasil

SepulturaSepultura
Demo rara com Andreas Kisser no vocal

5000 acessosRafael Bittencourt: Com o Aquiles eu não mantenho mais contato e nem tenho vontade5000 acessosBlackmore é removido de camiseta do Purple5000 acessosMotorhead: a opinião de Lemmy sobre Viagra, Hendrix e velhice5000 acessosJimi Hendrix: O boato do assassinato pelo empresário inglês5000 acessosBruce Dickinson: candidato a prefeito de Juiz de Fora?3172 acessosBundesliga: revista alemã faz tabela como se fosse um show

Sobre Willian Blackwell

Leitor/colecionador de HQs e livros. Apreciador de cinema e boa música. Autodidata. Um espírito livre. Adepto de um perspectivismo experimentalista com tendência a gostos bizarros e atividades grosseiras. Boa gente.

Mais matérias de Willian Blackwell no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online