RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagemA música de Raul Seixas que salvou a carreira de Chitãozinho e Xororó

imagemDeep Purple: David Coverdale revela quem quis como substituto de Ritchie Blackmore

imagemAndi Deris tem problemas de saúde e shows do Helloween são adiados

imagemO brasileiro com a voz parecida com a de Axl Rose que viralizou no TikTok

imagemProdutor da turnê de Paul Di'Anno explica problemas no primeiro show

imagemO Raul Seixas não era nada daquilo que ele falava, diz ex-parceiro musical

imagemVocalista do Fleshgod Apocalypse é pedida em casamento durante show da banda

imagem"Quem não gosta de Beatles bom sujeito não é", diz João Gordo

imagemO motivo nada musical que fez Bruce Dickinson querer se juntar aos hippies

imagemEm disputa acirrada, fãs batem recorde e elegem melhores discos de metal de 2022

imagemPaul Stanley sabia que seria um rockstar desde a sua juventude

imagemEloy Casagrande repete o feito sendo eleito melhor baterista de metal do mundo

imagemZelador viraliza após incrível semelhança com voz de Steve Perry em "Don't Stop Believin'"

imagemTony Iommi conta quais são os riffs preferidos que ele escreveu

imagemShane Hawkins, filho de Taylor Hawkins, ganha prêmio de melhor performance do ano


Stamp

Amorphis: Entregando material de extrema qualidade aos fãs

Resenha - Beginning Of Times - Amorphis

Por Durr Campos
Postado em 01 de outubro de 2011

Nota: 8

Desde a entrada do vocalista Tomi Joutsen, em 2005, os finlandeses do Amorphis continuam numa crescente, algo que já ocorria em seus primórdios, mas o lançamento do álbum Eclipse (2006) de fato agregou à discografia do sexteto um "algo mais". Certamente os predicados vocais de Tomi são ingredientes essenciais nesse sucesso, mas Esa Holopainen (guitarrista) & Cia. arregaçaram, literalmente, as mangas e só entregaram material de extrema qualidade aos seus fãs. Com The Beginning of Times, lançado este ano, cada palavra acima se confirma.

Álbum conceitual baseado na história de Väinämöinen, personagem principal no folclore da Finlândia, o Amorphis retoma – para a alegria dos saudosistas – a temática focada no Kalevala, livro de poemas do escritor Elias Lönnrot baseado nas velhas lendas da "terra dos mil lagos". São treze temas muito bem construídos e cheios de personalidade, marca registrada em se tratando de grupos escandinavos. A bolachinha inicia com a épica "Battle for Light" e só melhora com a seguinte, "Mermaid", ambas de autoria do tecladista Santeri Kallio, que simplesmente assina quase a metade do track-listing.

"My Enemy", outra grande canção, mantém a empolgação e parece bem colocada ao lado do primeiro single, a ótima "You I Need". Os timbres de Kallio são belíssimos, bem como o refrão grudento e as harmonias simples. Em contrapartida, as intrincadas "Song of the Sage" e "Three Words" nos remetem ao estilo progressivo do clássico álbum Elegy (1996), especialmente pelos riffs certeiros de Holopainen e Tomi Koivusaari. Outro que merece aplausos é o baterista Jan Rechberger, sempre com viradas certeiras e um peso fora do comum nos tambores.

A versatilidade de Tomi Joutsen é enaltecida nas inspiradas "On a Stranded Shore", a soturna "Escape" e em "Crack In a Stone", uma das minhas favoritas. Seu estilo calcado no doom e vozes agressivas fazem dela candidata a integrante fixa dos próximos set-lists do Amorphis. "The Bignning of Times", a música, encerra com maestria o álbum. Quem vem acompanhando os passos da banda desde sempre pode ouvir sem receios; aos mais ortodoxos já não tenho certeza se posso dizer o mesmo.

Amorphis - The Beginning of Times
Nuclear Blast/Rock Brigade Records/Laser Company - 2011

Line-up:
Tomi Joutsen – Vocal
Esa Holopainen – Guitarra
Tomi Koivusaari – Guitarra
Niclas Etelävuori – Baixo
Santeri Kallio – Teclado
Jan Rechberger – Bateria

Track-list:
1. Battle for Light (05:35)
2. Mermaid (04:24)
3. My Enemy (03:25)
4. You I Need (04:22)
5. Song of the Sage (05:27)
6. Three Words (03:55)
7. Reformation (04:33)
8. Soothsayer (04:09)
9. On a Stranded Shore (04:13)
10. Escape (03:52)
11. Crack in a Stone (04:56)
12. Beginning of Time (05:51)


Outras resenhas de Beginning Of Times - Amorphis

Resenha - Beginning Of Times - Amorphis

Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:
Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps



Amorphis: capa de Skyforger foi inspirada em outro disco?

Metal: 100 músicas para começar a ouvir bandas que não estão entre as mais populares

Arte Gráfica: Designer brasileiro cria versões para clássicos


publicidadeAdemir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | André Silva Eleutério | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Euber Fagherazzi | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Henrique Haag Ribacki | José Patrick de Souza | Julian H. D. Rodrigues | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Sergio Luis Anaga | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre Durr Campos

Graduado em Jornalismo, o autor já atuou em diversos segmentos de sua área, mas a paixão pela música que tanto ama sempre falou mais alto e lá foi ele se aventurar pela Europa, onde reside atualmente e possui família. Lendo seus diversos artigos, reviews e traduções publicados aqui no site, pode-se ter uma ideia do leque de estilos que fazem sua cabeça. Como costuma dizer, não vê problema algum em colocar para tocar Napalm Death, seguido de algo do New Order ou Depeche Mode, daí viajar com Deep Purple, bailar com Journey, dar um tapa na Bay Area e finalizar o dia com alguma coisa do ABBA ou Impetigo.
Mais matérias de Durr Campos.