Symphony X: Um trabalho linear que valoriza o passado

Resenha - Iconoclast (Special Edition) - Symphony X

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar Correções  

8


Desde que iniciou sua trajetória em 1994, o Symphony X lançou uma série de discos impressionantes que arrebatou uma legião de fãs do Heavy Metal Progressivo ao redor do planeta. Passou-se nada menos do que quatro anos desde o bom "Paradise Lost", mas agora os norte-americanos de New Jersey estão lançando "Iconoclast", seu oitavo álbum – e esta é a versão especial, com dois CDs, que a Laser Company está disponibilizando ao público brasileiro.

Tendo como tema central a forte presença tecnológica em cujo cotidiano a sociedade tanto se deleita, "Iconoclast" transmite um considerável sentimento de opressão, algo não tão palpável nos trabalhos anteriores. Desnecessário enfatizar os adjetivos de cada um destes músicos, tanto que o Symphony X se mantém coerente e não se esquiva do tradicionalismo de sua proposta, o que é explicitado logo na longa faixa de abertura que batiza o disco, com um intrincado trabalho de guitarra e orquestrações bombásticas.

publicidade

E, mesmo com composições com uma maior dose de agressão presentes em "Dehumanized" ou "Heretic", existe uma evidente preocupação em equilibrar o repertório e oferecer uma audição bastante diversificada, dando margem para uma natureza mais acessível e com arranjos facilmente memoráveis. Neste quesito, a sensibilidade da balada "When All Is Lost" é digna de todos os louvores, encerrando o primeiro disco e deixando o ouvinte ansioso por escutar algo mais.

publicidade

Como dito, esta é uma edição especial com uma capa alternativa, dois discos e com o acréscimo de três canções – "Light Up The Night, "The Lords Of Chaos" e "Reign In Madness" – que não constam na versão simples de "Iconoclast" e se mostram composições muito boas e que realmente mereciam ser conhecidas pelos fãs. Aliás, analisando friamente, a única ocasião mais fraquinha de todo o "Iconoclast" recai sobre "Bastards Of The Machine".

publicidade

Deixando o processo criativo fluir, o Symphony X continua acrescentando à sua discografia trabalhos lineares que valorizam apaixonadamente o passado, mas conseguindo evitar os desconfortos da estagnação. Como não poderia deixar de ser, "Iconoclast" é uma elegantíssima obra e motivo de orgulho destes que estão entre os mestres do estilo! Excelente trabalho!

publicidade

Contato:
http://www.symphonyx.com
http://www.myspace.com/symphonyx

Formação:
Russell Allen - voz
Michael Romeo - guitarra
Michael Pinnella - teclados
Michael LePond - baixo
Jason Rullo - bateria

Symphony X – Iconoclast
(2011 - Nuclear Blast Records / Laser Company Records – nacional)

publicidade

CD 1:
01. Iconoclast
02. The End Of Innocence
03. Dehumanized
04. Bastards Of The Machine
05. Heretic
06. Children Of A Faceless God
07. When All Is Lost

CD 2:
01. Electric Messiah
02. Prometheus (I Am Alive)
03. Light Up The Night
04. The Lords Of Chaos
05. Reign In Madness




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Symphony X: turnê pela América Latina é adiada para agosto de 2021Symphony X
Turnê pela América Latina é adiada para agosto de 2021

Symphony X: queime suas máscaras, diz baixista de banda que vende máscarasSymphony X
"queime suas máscaras", diz baixista de banda que vende máscaras


Dream Theater: Jordan Rudess não gosta de ouvir Prog MetalDream Theater
Jordan Rudess não gosta de ouvir Prog Metal

Pra ouvir e discutir: os melhores discos lançados em 2002Pra ouvir e discutir
Os melhores discos lançados em 2002


Heavy Metal: quais as 10 melhores vozes da história?Heavy Metal
Quais as 10 melhores vozes da história?

Fotos de Infância: Avril LavigneFotos de Infância
Avril Lavigne


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin