Titãs: Ítem essencial e importante para ser conferido

Resenha - Sacos Plásticos - Titãs

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Paulo Finatto Jr.
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 8


Por mais que possa ser apontada como uma das bandas mais influentes do rock brasileiro, os TITAS enfrentaram uma espécie de crise de identidade na última década. Os mais de seis anos que separaram "Como Estão Vocês?" (2003) do mais recente disco comprovam como a banda precisou de tempo para amadurecer as suas ideias para um registro completamente inédito. O (agora) quinteto paulista inovou muito e consolidou em "Sacos Plásticos" uma interessante retomada do pop/rock moderninho de outrora com diversas características dos seus principais discos dos anos oitenta. O resultado final - como não poderia de ser diferente - bate com folga o seu controverso antecessor.

Ortografia: como deveriam realmente se chamar as bandas?Cristina Scabbia: cantora fala sobre ser uma das "garotas mais quentes do Metal"

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Com a produção assinada por Rick Bonadio (CPM 22 e FRESNO), "Sacos Plásticos" marca, acima de qualquer outra coisa, a despedida de Charles Gavin da banda. O baterista foi acompanhado em estúdio por Paulo Miklos (vocal e guitarra), Branco Mello (vocal e baixo), Sérgio Britto (vocal e teclado) e Tony Bellotto (guitarra), que dispensaram pela primeira vez os instrumentistas contratados para construir o vigésimo título da sua extensa carreira, iniciada na primeira metade da década de oitenta. As influências encontradas em "Sacos Plásticos" se desenrolam sobre a agressividade de "Cabeça Dinossauro" (1986) e os elementos eletrônicos de "Õ Blésq Blom" (1989), mas sem abrir mão dos registros mais pop e atuais do conjunto. As características sonoras, aparentemente díspares e/ou controversas, foram trabalhadas de maneira eficiente pelas mãos pelo renomado diretor. O resultado é um disco relativamente curto - de cerca de quarenta minutos - e curiosamente uniforme.

A abertura com "Amor Por Dinheiro" - cantada pelo tecladista Sérgio Britto - mostra os TITAS preocupados mais com a simplicidade do rock n' roll do que com a promessa de certa complexidade sonora. Os elementos eletrônicos, que ainda aparecem em muitos outros momentos do disco, permitiram uma roupagem moderna a esse que é um dos primeiros destaques da obra. Na contramão dessa tendência, "Antes de Você" é uma balada forte, em que Paulo Miklos assume a dianteira - e com condições claríssimas de ser o carro-chefe do restante do álbum. Para muitos, a melhor faixa do álbum inteiro.

No entanto, o passado do quinteto paulista reaparece com certo destaque durante o disco, sobretudo na faixa "Sacos Plásticos", que mistura aquela estranheza sonora típica dos TITAS ao pop/rock direto e contagiante do grupo. Por mais que Branco Mello não possa ser considerado um vocalista excepcional - muito longe disso, aliás - o agora baixista permanente da banda não compromete demasiadamente o resultado final da faixa-título, assim como da música intitulada "A Estrada", provavelmente uma das mais rockeiras e vibrantes do repertório. De certo modo, a ambição modesta de "Sacos Plásticos" é surpreendente diante da qualidade do material, que ainda possui em "Por que Eu Sei que é Amor" outra bela balada e outro hit radiofônico em potencial.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Com a dianteira de Sérgio Britto, "Agora Eu Vou Sonhar" não é capaz de chamar a mesma atenção dos principais destaques da obra. Do mesmo modo, "Quanto Tempo" não se compara à cadenciada "Deixa Eu Sangrar", que novamente evidencia o lado comercial (mas não por isso menos eficiente) dos TITAS. A postura mais eletrônico do álbum reaparece em "Problema", que chega a soar muito diferente do que a banda escreveu nos seus dois últimos antecessores. No entanto, é importante perceber como a riqueza de influências é uma carta na manga de Paulo Miklos & Cia. em "Sacos Plásticos": impossível se sentir cansado e entediado diante das quatorze faixas tão distintas entre si do disco. Os diferentes gostos e as diferentes opiniões certamente se entrecruzam em diversos momentos do repertório.

A prova disso provavelmente pode ser "Deixa Eu Entrar", quem sabe a música mais intensa e bacana do novo disco dos TITAS. Com a participação de Andreas Kisser (SEPULTURA), essa faixa reassume boa parte da agressividade que contornou o conceituado "Cabeça Dinossauro" (1986). Porém, a rockeira "Não Espere Perfeição" e a balada "Quem Vai Salvar Você do Mundo" evidenciam a naturalidade com que as diferentes influências aparecem e desaparecem ao longo da obra. Para quem não esperava um disco consistente dos TITAS após a instabilidade da última década, "Sacos Plásticos" passa a ser um item essencial e importante para ser conferido atentamente. A nova versão do álbum - que vem com o DVD bônus com os cinco videoclipes retirados daqui - desponta como a opção mais interessante para os fãs do conjunto.

Track-list:

01. Amor Por Dinheiro
02. Antes de Você
03. Sacos Plásticos
04. Por que Eu Sei que é Amor
05. A Estrada
06. Agora Eu Vou Sonhar
07. Quanto Tempo
08. Deixa Eu Sangrar
09. Problema
10. Não Espere Perfeição
11. Quem Vai Salvar Você do Mundo
12. Múmias
13. Deixa Eu Entrar
14. Nem Mais uma Palavra


Outras resenhas de Sacos Plásticos - Titãs

Titãs: um trabalho digno de figurar na discografia



GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Titãs"


Top 30: Os clipes de rock nacionais mais acessados do YouTubeTop 30
Os clipes de rock nacionais mais acessados do YouTube

Rock nacional: ele está morto e todos viraram cervejeirosRock nacional
Ele está morto e todos viraram cervejeiros


Ortografia: como deveriam realmente se chamar as bandas?Ortografia
Como deveriam realmente se chamar as bandas?

Cristina Scabbia: cantora fala sobre ser uma das garotas mais quentes do MetalCristina Scabbia
Cantora fala sobre ser uma das "garotas mais quentes do Metal"


Sobre Paulo Finatto Jr.

Reside em Porto Alegre (RS). Nascido em 1985. Depois de três anos cursando Engenharia Química, seguiu a sua verdadeira vocação, e atualmente é aluno do curso de Jornalismo. Colorado de coração, curte heavy metal desde seus onze anos e colabora com o Whiplash! desde 2000, quando tinha apenas quinze anos. Fanático por bandas como Iron Maiden, Helloween e Nightwish, hoje tem uma visão mais eclética do mundo do rock. Foi o responsável pelo extinto site de metal brasileiro, o Brazil Metal Law, e já colaborou algumas vezes com a revista Rock Brigade.

Mais informações sobre Paulo Finatto Jr.

Mais matérias de Paulo Finatto Jr. no Whiplash.Net.

Goo336x280 GooAdapHor Goo336x280