Symphony X: Todas as faixas são agressivas e poderosas

Resenha - Iconoclast - Symphony X

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Victor de Andrade Lopes
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


"Iconoclast", oitavo álbum do grupo norte-americano de metal progressivo/neoclássico SYMPHONY X, é lançado em meio a uma turnê mundial da banda, que passou pelo Brasil há poucos dias. O primeiro disco do grupo na renomada gravadora Nuclear Blast dá continuidade à pegada mais agressiva que ele vem demonstrando desde o álbum anterior, "Paradise Lost". Todas as faixas são agressivas e poderosas.
3313 acessosDragonforce: Herman Li elege seus cinco riffs favoritos5000 acessosSlayer: quando Cronos deixou Tom Araya de olho roxo

Como o vocalista RUSSELL ALLEN já havia mencionado anteriormente, o álbum apresenta um tema que combina todas as suas faixas: a dominação do mundo pelas máquinas e o problema da tecnologia a que estamos submetendo nossa sociedade. Isso contribui para que a musicalidade de "Iconoclast" seja mais sombria que a dos álbuns anteriores.

O resultado da produção foi um álbum agressivo, técnico e "dark". Talvez tenha pecado por ser um tanto repetitivo, mas é um grande lançamento. Todos os membros da banda aproveitaram a chance para mostrar porque o SYMPHONY X é um dos grupos de metal mais reverenciados atualmente. Destaque para as faixas "Iconoclast", a mais longa do disco; "Bastards of the Machine" e "Prometheus (I Am Alive)", bem pesadas; e "When All Is Lost", que lembra a fase antiga do grupo.

O álbum é sem dúvida um dos melhores do SYMPHONY X. Sobrou dedicação e preocupação à produção e à composição. As músicas podem ser até repetitivas, mas todas trazem aquilo de que a banda é feita: peso, técnica e qualidade.

Abaixo, a faixa "Prometheus (I Am Alive)", uma das melhores do disco:

youtube player
Inscreva-se no nosso canalWhiplash.Net no YouTube

1. Iconoclast
2. The End of Innocence
3. Dehumanized
4. Bastards of the Machine
5. Heretic
6. Children of a Faceless God
7. Electric Messiah
8. Prometheus (I am Alive)
9. When All Is Lost

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de Iconoclast - Symphony X

2592 acessosSymphony X: Mantendo som característico dos últimos álbuns2881 acessosSymphony X: Seu disco mais pesado, dinâmico e impactante3962 acessosSymphony X: Um disco vigoroso, forte e agressivo

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

DragonforceDragonforce
Herman Li elege seus cinco riffs favoritos

1097 acessosAllen/Lande: Magnus Karlsson está de volta ao projeto0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Symphony X"

DragonforceDragonforce
Herman Li elege seus cinco riffs favoritos

Metal ProgressivoMetal Progressivo
Os melhores álbuns do estilo segundo o About.com

Metal sinfônicoMetal sinfônico
Os 10 melhores segundo o TeamRock

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Symphony X"

SlayerSlayer
Quando Cronos deixou Tom Araya de olho roxo

GuitarraGuitarra
Ouça o riff mais popular de todos os tempos

Tarja TurunenTarja Turunen
Vocalista reprova cover do COB no The Voice

5000 acessosRacismo: Metalheads saem na porrada contra white-powers na Califórnia5000 acessosHeavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 19865000 acessosRockstars: Os 50 mais ricos do planeta5000 acessosHair Metal: As 100 melhores bandas do gênero (Parte 1)4559 acessosSonata Arctica: "não somos mais power metal", diz vocalista5000 acessosDuff Mckagan: baixista explica como dizer não às drogas

Sobre Victor de Andrade Lopes

Victor de Andrade Lopes é jornalista (Mtb 0077507/SP) formado pela PUC-SP e membro do Grupo de Usuários Wikimedia no Brasil. Paulistano e morador de Carapicuíba (Granja Viana), tem um blog de resenhas musicais e outros assuntos chamado Sinfonia de Ideias. Apaixonado por livros, ciências, cinema, games, viagens, ufologia, e, é claro, música: rock, metal, pop, dance, folk, erudito e todos os derivados. Além de ouvir, também toca piano e teclado, compondo algumas bobagens de vez em quando.

Mais matérias de Victor de Andrade Lopes no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online