Matérias Mais Lidas

imagemTravis Barker, do Blink-182, é hospitalizado às pressas e filha pede orações

imagemKerry King explica por que não assumiu o posto de guitarrista do Megadeth

imagemVeja diz que David Coverdale só passa vergonha nas redes sociais

imagemA fundamental diferença entre Paulo Ricardo e Schiavon que levou RPM ao fim

imagemQuando Jimi Hendrix chamou Eric Clapton para subir no palco e afinar sua guitarra

imagemMike Portnoy e a música do Rush que virou um grande sucesso do Guns N' Roses

imagemCinco álbuns que serão lançados no segundo semestre de 2022 e merecem a sua atenção

imagemO clássico dos Paralamas que Gilberto Gil escreveu a letra e ditou pelo telefone

imagemA resposta de John Lennon quando perguntado se retornaria aos Beatles em 1975

imagemSlash explica por que rejeitou Corey Taylor no Velvet Revolver

imagemNergal diz que Behemoth é mais que anti-religião e emociona-se com LGBTQ e aborto

imagemKiko Loureiro explica por que acha uma merda seu solo de guitarra em "Rebirth"

imagemCinco músicas que são covers, mas você acha que são as versões originais - Parte 2

imagemO dia que filhos dos Titãs foram retirados de show e Nando Reis quase foi preso

imagemPaul Di'Anno recebe autógrafo de Rivellino e fica feliz da vida; "Te vejo ano que vem?"


Stamp

Michael Monroe: quem já foi rei nunca perde a majestade

Resenha - Sensory Overdrive - Michael Monroe

Por Ricardo Seelig
Em 14/05/11

publicidade

Nota: 9

Quem já foi rei nunca perde a majestade. Essa frase vem à mente ao término da audição de "Sensory Overdrive", novo disco de Michael Monroe. Antes que os mais desavisados perguntem "quem diabos é Michael Monroe", respondo: Monroe era o vocalista do seminal Hanoi Rocks, provavelmente a banda mais influente do hard rock oitentista.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Natural da Finlândia, o grupo lançou álbuns clássicos como "Bangkok Shocks, Saigon Shakes, Hanoi Rocks" (1981), "Self Destruction Blues" (1982), "Back to the Mystery City" (1984), "Two Steps from the Move" (1984) e "All Those Wasted Years" (1985), discos que serviram de base para o que seria feito mais tarde por bandas como Guns N'Roses, Skid Row e afins. Além disso, o visual dos caras, repleto de cabelos armados e roupas multicoloridas, exerceu grande influência no modo de vestir de grupos como Motley Crue, Poison e praticamente qualquer músico que tenha se aventurado pelo hard nos anos 80.

Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva

O Hanoi Rocks acabou em 1985, após o baterista Nicholas "Razzle" Dingley morrer em um trágico acidente de carro, cujo veículo era dirigido por Vince Neil, vocalista do Motley Crue.

Ou seja, em um mundo justo, Michael Monroe teria o mesmo status que caras como Axl Rose e Jon Bon Jovi possuem, já que talento e história ele tem de sobra. Mas, infelizmente, as coisas não são bem assim.

"Sensory Overdrive" é o oitavo álbum solo de Monroe, incluindo aí o ao vivo "Another Night in the Sun: Live in Helsinki", lançado em 2010. Michael reuniu uma banda fenomenal – Ginger (guitarra, Wildhearts), Steve Conte (guitarra, New York Dolls), Sammi Yaffa (baixo, Hanoi Rocks / Joan Jett / New York Dolls) e Karl Rockfist (bateria, Danzig) – e registrou um CD espetacular. O disco foi gravado em Los Angeles, com produção do experiente Jack Douglas, responsável por álbuns de artistas como John Lennon, Cheap Trick, Aerosmith e Blue Öyster Cult, entre outros.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Lançado em 16 de março último, "Sensory Overdrive" alcançou o primeiro lugar na parada finlandesa e o décimo-terceiro posto nos charts ingleses. Além disso, foi muito bem recebido pela crítica especializada. Uma única audição em suas onze faixas já deixa claro o motivo. Trata-se de um trabalho diferenciado, com inspiração de sobra e grandes composições, executadas por uma banda afiada e pra lá de competente.

O disco abre de maneira perfeita com "Trick of the Wrist", um rock acelerado com uma pegada meio Stones. "'78" tem clima de festa e um excelente refrão, além de um ótimo solo. A banda pisa fundo em "Got Blood?", um hard com DNA punk. A sensacional "Superpowered Superfly" vem carregada com uma aura positiva, enquanto "Modern Day Miracle", a minha preferida, une peso e balanço com maestria.

Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

O desfile de grandes canções faz com que o ato de ouvir o disco seja extremamente prazeroso. "All You Need" é uma meia balada grudenta e com cara de single, daquelas que você escuta uma única vez e já sai cantando junto. "Later Won't Wait" é uma composição notável, com uma surpreendente passagem em seu miolo com direito até a um solo de saxofone de Monroe.

O vocalista, um compositor de grande talento, insere sem medo elementos de outros gêneros musicais em seu potente hard rock, como na ótima "Gone, Baby Gone", dona de um delicioso clima country.

"Sensory Overdrive" é um estupendo álbum de hard rock como há tempos não surgia na cena. Michael Monroe soube montar uma banda diferenciada, que mostra o seu valor em cada faixa do disco. Ao dar play em "Sensory Overdrive", você ouvirá um dos melhores álbuns de hard lançados nos últimos 10 ou 15 anos. Portanto, se você gosta do estilo, não perca mais tempo e vá já atrás deste CD.

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal

A diversão está garantida, e a trilha-sonora é de primeira!

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp


Sobre Ricardo Seelig

Ricardo Seelig é editor da Collectors Room - www.collectorsroom.com.br - e colabora com o Whiplash.Net desde 2004.

Mais matérias de Ricardo Seelig.