Foo Fighters: Talvez o melhor trabalho de sua carreira

Resenha - Wasting Light - Foo Fighters

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por David Oaski
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Após quase quatro anos a banda norte americana Foo Fighters volta com um trabalho de inéditas com um vigor que lembra o início da banda. Lançado em 2007, o bom “Echoes, Silence, Patience and Grace” trazia ótimas faixas como o primeiro hit "The Pretender", porém se mostrava incostante com músicas desnecessárias e que pouco acrescentaram à obra dos caras.
688 acessosFoo Fighters: Dave revela como ex-Beatle o ajudou com perna quebrada5000 acessosTrues quase infartaram: Obituary mitou ao lado de Joelma e Chimbinha

Em 2009 a banda lançou seu "Greatest Hits" cheio de sucessos gravados ao longo dos quinze anos de carreira.

Mas, com "Wasting Light" a banda lança talvez o melhor trabalho de sua carreira até aqui, com uma pegada rock crua, como há muito não se via e com seus integrantes mostrando nítida evolução na composição e habilidades.

Vamos analisar o álbum faixa a faixa:

1 - "Bridge Burning"
O disco começa com tudo que o fã de Foo Fighters queria nesse período de recesso de lançamentos, com um riff poderoso e um grito do Dave Grohl a faixa mostra a que veio o aguardado disco. Música bem estruturada com o vocal variando o tom e a banda acompanhando de forma competente. Lembra as faixas do ótimo álbum de 2002 "One by One" sem soar repetitivo;

2 - "Rope"
Essa faixa inicia um pouco diferente com um riff mais pausado, como uma música do Nirvana, talvez influência trazida dos tempos de Dave como baterista da banda grunge de Seatle. "Rope" tem um excelente solo executado por Chris Shiflett com maestria pelo que a música se propõe, afinadinho e mega encaixado na melodia;

3 - "Dear Rosemary"
Grande música, essa é talvez a melhor do disco, digo talvez porque ainda não consigo escolher a predileta, deixa o tempo dizer qual vai marcar mais. Trata-se de uma grande canção puxada por um riff grudento e melodia muito marcante, Dave segue cantando muito, sendo impressionante o entrosamento dos caras, Dave Grohl, Nate Mendell, Chris Shiflett e Taylor Hawkins parecem terem nascido pra tocar juntos e, neste disco com a ajuda do retorno do bom Pat Smear, ex Nirvana, que havia tocado no início do próprio Foo;

4 - "White Limo"
Faixa gritada do início ao fim por Grohl que mantém uma certa pegada hardcore no disco, destaque para Taylor que é certamente o melhor baterista do mainstream na atualidade, o cara simplesmente esbagaça a batera, toca muito!;

5 - "Arlandria"
Mais uma canção típica do Foo Fighters, poderia ser confundida com alguma do repertório do "In your Honor", de 2005. Não confunda as citações de músicas de trabalhos anteriores com o fato de eles estarem se repetindo, muito pelo contrário é possível identificar alguns clichê, afinal são os mesmos caras, mas com a pegada e a energia de sempre;

6 - "These days"
Linda balada, os caras gostam de gravar músicas mais lentas, tanto que sempre aparecem versões acústicas para os clássicos, além de gravações em ábuns, como o disco acústico do "In your Honor". Versos bem encaminhados por Dave, a banda seguindo com empenho e uma bela letra, outro detalhe que vale destaque é o fato da banda ter melhorado as letras que deixaram de ter temas fúteis para serem ótimas composições;

7 - "Back and Forth"
Faixa que segue o padrão estrofe cantada, estrofe gritada, mudança de ritmo, refrão e tudo recomeça. Mas quer saber pra que mais?! Acho que é isso que falta no rock mais simplicidade e menos invenção;

8 - "A matter of Time"
Li numa resenha que essa é a pior faixa do disco, julgar gosto é complicado, mas é simplesmente impossível, a música é ótima, rock pra tocar na boate com aquela guitarrinha no fundo acompanhando a música típica do Foo Fighters, grande música, uma das minhas preferidas até agora;

9 - "Miss the Misery"
A música começa com uma harmonia vocal de "ooooohhhhh" muito legal, Taylor segue espancando seu instrumento e a música é um rock excelente, nessa faixa ele cita em alguns versos o título do disco "Wasting Light". Música muito boa que mostra a maturidade atingida pela banda;

10 - "I should have Known"
Faixa mais intimista da banda, mais alternativa creio que também possa dizer, lembra um pouco os clássicos dos anos 70, influência talvez de Led Zeppelin, sabidamente uma das bandas preferidas de Dave Grohl;

11 - "Walk"
Música começa lenta e engrena com alguns segundos, mais um rock simples, talvez a que menos se destaque no disco, o que não faz dela uma música ruim.

Enfim, esse é um disco que tem tudo pra ser a obra prima da carreira do Foo Fighters, uma grande banda contemporânea que mantém o rock vivo na grande mídia e no coração dos fãs do estilo. Agora é esperar o lançamento oficial, bônus, encarte, etc. Se você quer um bom disco de rock, sem frescuras, ouça "Wasting Light" e seja feliz.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de Wasting Light - Foo Fighters

4774 acessosFoo Fighters: Capaz de enlouquecer milhares de pessoas5000 acessosFoo Fighters: Se você gosta de rock, esse é o álbum de 20114455 acessosFoo Fighters: Novo disco soa como uma coletânea da banda

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Foo FightersFoo Fighters
Ex batera foi "estuprado" criativamente por Grohl

688 acessosFoo Fighters: Dave revela como ex-Beatle o ajudou com perna quebrada749 acessosFoo Fighters: explicando a letra da canção "Run"843 acessosFoo Fighters e Queens Of The Stone Age: Vamos conquistar o mundo283 acessosFoo Fighters: "Arrows", mais uma inédita ao vivo em show707 acessosFoo Fighters: Boys II Men em faixa que soa como Sabbath e Floyd0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Foo Fighters"

Dave GrohlDave Grohl
Como as Kardashians o tiraram da maconha

Smashing PumpkinsSmashing Pumpkins
Billy Corgan detona Pearl Jam e Foo Fighters

DebandadosDebandados
Saíram de uma banda e formaram outra (melhor?)

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Foo Fighters"

Trues quase infartaramTrues quase infartaram
Obituary mitou ao lado de Joelma e Chimbinha

Bandas extremasBandas extremas
10 álbuns que causaram surpresa

Black SabbathBlack Sabbath
Tony Iommi explica a diferença entre Dio e Ozzy Osbourne

5000 acessosMotorhead: Segundo Lemmy Kilmister, "Rap não é música"5000 acessosGuns N' Roses: os Jovens Pistoleiros, sexo, drogas e RnR5000 acessosRockstars: 18 roqueiros que já apareceram em filmes5000 acessosDave Mustaine: falando como foi tocar com o Metallica2447 acessosLed Zeppelin: "Bron-Y-Aur Stomp" tem relação com J.R.R. Tolkien?5000 acessosSlayer: "Nós somos nossos piores críticos", diz Araya

Sobre David Oaski

David Oaski é editor do blog Ideologia Rock, colunista do site Stereo Pop Club e colabora frequentemente com os sites Galeria Musical e Whiplash, além de já ter escrito para outras plataformas online. Amante de música (principalmente rock) independente de rótulos, escreve por hobby e para exercitar o senso crítico.

Mais matérias de David Oaski no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online