Drunk Vision: Atenção dos devotos da música quase extrema

Resenha - Day After - Drunk Vision

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Ben Ami Scopinho
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Trio que une forças com integrantes de Capão da Canoa (RS) e Florianópolis (SC), o Drunk Vision é um novato na cena que começou suas atividades em 2009, mas mostrou forte sintonia criativa e disponibilizou uma série de canções que alcançaram a expressiva marca de um milhão de acessos em seu MySpace, fato que revela potencial de sobra para que seu nome se estabeleça entre os amantes do Death Metal Progressivo.
5000 acessosMusas: o calendário de beldades da Revolver Magazine5000 acessosOzzy Osbourne: aterrorizando filho com decoração de casa

Estes singles já eram fortes por natureza, mas quase todos passaram por reformulações para constar no primeiro disco da banda, "Day After", título mais do que apropriado e que revela a forte relação do Drunk Vision com o álcool, tema recorrente em suas letras. Além das regravações, o Drink Vision também acrescentou faixas inéditas ao repertório - tem até uma versão acústica para a faixa-título -, tudo com uma evidente atenção aos detalhes e sem medo de experimentar.

Algumas referências aparecem, em especial o Arch Enemy, mas tudo está muito bem mascarado. Cada músico revela aptidão de sobra ao investir em muitas passagens complexas, uma ‘quebradeira' bastante dinâmica que consegue manter uma audição de alto nível, com melodias apuradas da guitarra que são devidamente aplicadas sobre bases pesadíssimas, e canções como "Self Burning Machine", "Endless Nights" e "Why Not?" mostram um pouco da versatilidade da banda.

Diego pode não ser o melhor vocalista do mundo, mas mostra-se consciente e não exagera, inclusive ao mesclar passagens mais límpidas entre suas muitas linhas abrasivas. Aliás, vale lembrar que o florianopolitano Rafael Dachary foi o baterista que venceu o concurso 'Hangar Day', realizado na capital paulista, fato que corrobora a desenvoltura destes ótimos músicos.

Muito bem produzido, mixado e masterizado no UFO Audio Studio, propriedade do vocalista Diego, o Drunk Vision não só poderá atrair as atenções dos devotos da música (quase) extrema, mas investe em elementos que certamente serão do interesse de um público mais abrangente em se tratando de Heavy Metal. Pode conferir sem demora, "Day After" é um excelente debut!

Contato:
http://www.drunkvision.net
http://www.myspace.com/drunkvision

Formação:
D.V. - voz e baixo
Caio Corrêa - guitarra
Rafael Dachary - bateria

Drunk Vision - Day After
(2011 / independente – nacional)

01. Self Burning Machine
02. Yellow Light
03. Sober Times
04. Endless Nights
05. Drunk Vision
06. What Would You Do?
07. Day After
08. Forgotten Cluster
09. Why Not?
10. Homecoming (Day After pt.2)
11. Outlaw Land
12. Day After (Acoustic Version)

5000 acessosQuer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Drunk Vision"

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Drunk Vision"

MusasMusas
Veja o calendário de beldades da Revolver Magazine

Ozzy OsbourneOzzy Osbourne
Aterrorizando filho com decoração de casa

SlayerSlayer
O insistente uso de "Satan" e "Hell" por Tom Araya

5000 acessosHeavy Metal: os 10 álbuns mais importantes da história5000 acessosDream Theater: o habilidoso baixista caladão5000 acessosNirvana e Guns N' Roses: veja Kurt imitando "snake dance" de Axl3771 acessosMetallica x Reverend: a oração que ambas bandas usaram em letra5000 acessosIron Maiden: e se a Donzela fosse trilha de Bollywood?5000 acessosTop 10: Álbuns conceituais

Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online