Losna: Fundindo Thrash, Death e elementos do Hardcore

Resenha - Distilling Spirits - Losna

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 7


Tendo iniciado suas atividades em 2004 na cidade de Porto Alegre (RS), o Losna vem, aos poucos, solidificando sua reputação pela região sul do Brasil, em especial depois de estrear com o álbum "Wild Hallucinations" em 2007. Mantendo a mesma formação - as irmãs Fernanda (voz e baixo) e Débora (guitarra), além de Marcelo (bateria) - o trio está colocando agora no mercado sua mais nova obra, "Distilling Spirits", via UGK Discos.

Death Metal: as 10 melhores bandas de acordo com a AOLHumor: Namore um cara que goste de Metal

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Houve um tempo em que os estilos mais extremos do Heavy Metal eram muito mais próximos uns dos outros, e é neste nicho que o Losna firmemente se instalou. Sua música é construída com arranjos de uma incrível simplicidade, conseguindo fundir o Thrash, Death e até usando elementos do Hardcore, tudo sob uma forte perspectiva old school. O resultado, como não poderia deixar de ser, transpira aquela conhecida e sedutora selvageria primitiva que vem resistindo heróicamente à passagem do tempo.

Mas, ainda que a intenção não seja oferecer composições donas de desnecessários apuros técnicos, os gaúchos exploram seus instrumentos de forma a sempre aumentar o dinamismo geral da audição - sem falar que a Fernanda é uma vocalista que não precisa provar absolutamente nada a muitos dos caras que dominam a cena do Heavy Metal extremo - e gerando faixas mais variadas e individualmente interessantes, em especial as ótimas "Tremblement de Terre", "Distillery Of Pain" e "Lycantrophy And Wheels".

Mas há dois os pontos que podem ser repensados para o futuro. O primeiro é explorar melhor os solos de guitarras (o de "Extorting Your Life", por exemplo, conseguiu comprometer a canção). O segundo ponto é essa necessidade de as meninas se declararem um tanto quanto 'mal comportadas'. A liberdade de expressão é importante, mas, vivendo em uma sociedade cujos inúmeros segmentos são conservadores, sempre será necessário nos expressarmos com maturidade ou o tiro pode sair pela culatra, transformando o que poderia ser um saudável sentimento de rebelião em apenas uma desagradável birra infanto-juvenil, como o oferecido em "Merde". E ainda estou tentando encontrar o objetivo que uma frase como 'fuck off the normal people', impressa no encarte, possa ter nos dias de hoje...

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

De qualquer forma, isso não compromete a honestidade desde trabalho. Gravado no Estúdio Mil, na própria capital gaúcha, e contando com a produção de Fábio Lentino (The Ordher, Nephasth), "Distilling Spirits" é um desses discos de digestão ácida que corrói as vísceras, mas que estimulará os sentidos do público interessado pelo que é produzido nas regiões mais baixas - e isso não é uma depreciação, ok? - do underground. Dêem uma boa conferida e tirem suas conclusões...

Contato:
http://www.losna.com.br/
http://www.myspace.com/losnametal

Formação:
Fernanda - voz e baixo
Débora - guitarra
Marcelo - bateria

Losna - Distilling Spirits
(2011 / UGK Discos - nacional)

01. Crossing The Bar
02. Merde
03. Tremblement de Terre
04. Pentito
05. Distillery Of Pain
06. Room 55
07. Get Out
08. Lycantrophy And Wheels
09. I'm Your Depression
10. The Fire Of Purification
11. Extorting Your Life


Outras resenhas de Distilling Spirits - Losna

Losna: Viva o Metal extremo gaúcho!Losna: A intenção é fazer os headbangers baterem cabeça



GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Losna"


Death Metal: as 10 melhores bandas de acordo com a AOLDeath Metal
As 10 melhores bandas de acordo com a AOL

Humor: Namore um cara que goste de MetalHumor
Namore um cara que goste de Metal


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

Cli336x280 CliIL Cli336x280