Byrds: importância comparada à dos Beatles ou Beach Boys

Resenha - Younger Than Yesterday - Byrds

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Elias Rodigues Emidio
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


É realmente impressionante como certos artistas tão geniais e tão importantes ainda conseguem permanecer na obscuridade. Provavelmente a maioria das pessoas nunca ouviu falar ou sequer sabe da existência do The Byrds, lendária banda ianque cuja importância para o Rock & Roll pode ser comparada sem exageros à influência dos Beatles ou dos Beach Boys para o estilo.
5000 acessosSlash toca clássico do Guns N' Roses com Bill Gates5000 acessosAerosmith: Steven Tyler e três mulheres nuas no chuveiro

O The Byrds originou-se em 1964, com o nome de The Jet Set, a partir da união dos lendários guitarristas David Crosby, Roger McGuinn, e Gene Clark, após curtas e infrutíferas passagens por pequenos grupos de música Folk como The Chad Mitchell e Judy Collins. Percebendo um interesse musical comum pela música Folk norte-americana e pelo Rock &Roll os três decidem montar uma banda que aliava duas propostas até então divergentes. Para completar a banda foi cooptado o baixista Chris Hillman e o baterista Mike Clarke (que segundo consta, possuía apenas noções básicas do instrumento quando foi convocado para integrar o grupo).

Naquele período nos EUA gente da “boa sociedade” ouvia música Folk, ao passo que o Rock era coisa de adolescente e “pirralhos” rebeldes. Já o The Byrds ficou sendo uma espécie de meio termo nesse aspecto devido a sua proposta musical totalmente inovadora para a época. A sonoridade do grupo mesclava alguns elementos característicos do Rock, com a pureza da música Folk norte-americana e leves influências da música Country, criando assim um estilo Rhythm & Blues único pautado em melodias belíssimas com destaque para o excepcional trabalho de Roger McGuinn na Rickenbacker de 12 cordas e para os belos arranjos vocais da banda ao melhor estilo The Beatles. Em poucas palavras pode-se dizer que os Byrds foram pioneiros na criação do estilo hoje denominado Folk Rock.

Com a formação completa a banda lança em 1965 o compacto “Please Let Me Love You / Don't Be Long” que se mostrou uma tentativa fracassada de ingressar nas paradas. A banda só alcançaria o sucesso com o lançamento do single “Mr. Tambourine Man”, uma versão definitiva da belíssima canção composta por Mr. Bob Dylan, cantor também fundamental para o surgimento do Folk Rock (haja vista o clássico “Bringing All Back Home” de 1965 em que na metade das canções Dylan é acompanhado por uma banda de Rock). O single logo alcança a 1ª posições nas paradas de sucesso e em pouco tempo a banda lança o clássico debute com titulo homônimo. No mesmo ano os Byrds lançam o também clássico álbum “Turn! Turn! Turn!” também capitaneado pela canção título, o segundo single do grupo a alcançar o 1º lugar nas paradas. Com dois LP’s lançados a banda finalmente consegue fazer sucesso dos dois lados atlântico e começa uma longa jornada de shows e turnês mundo afora.

Em meado de 1965 começam serias rixas internas entre David Crosby e Gene Clark. Isso que levaria ao afastamento de Gene Clark, o compositor mais ativo nos dois primeiros discos do grupo, em 1966. Por esta razão no grupo David Crosby e Chris Hillman assumiram os papeis de compositores principais e ainda em 1966 a banda lança o clássico LP “Fifth Dimension” embalado por hits do quilate de “Eight Miles High”, “Mr. Spaceman”, entre outros. Nesse disco pode ser percebido um afastamento do estilo Folk adotado pelos Byrds no começo da carreira em direcionamento à psicodelia. Aos poucos as canções mais simples dos dois primeiros discos davam lugar às canções mais elaboradas repletas trucagens de estúdio de gravação.

Já no ano de 1967 a banda decide dar um passo adiante nesta mudança e lança aquele que é considerado o melhor disco de sua carreira “Younger Than Yesterday”, objeto principal desta resenha.

“Younger Than Yesterday” é de fato uma das maiores criações da historia do Rock Mundial e marca ápice criativo dos Byrds, onde a banda mostra o quão longe pode ir a mistura peculiar entre o Blues, o Country e o Folk que caracteriza o chamado Rock Psicodélico.

O que mais pode-se dizer de um disco que abre com nada mais nada menos que “So You Want Be A Rock & Roll Star?” Este single de sucesso instantâneo que contem uma introdução hipnótica com uma magistral levada na guitarra e que ainda é brilhantemente fraseado pelo Sax. O que se ouve a sequência não deixa por menos e ouvinte mais atento certamente será envolvido pelo lirismo profundo de canções como “My Back Pages”, “Mind Gardens”, e “Everybody’s Been Burned”; ou pelas irresistíveis levadas meio Folk/Country de Rocks de primeira como “Have You Have Seen Her Face”, “Renascence Fair”, “The Girl With No Name” e “Why?” e ficará impressionado com os intrigantes efeitos de estúdio de gravação em canções como “Thoughts And Words” e “C.T.A. - 102”.

O relançamento do disco em CD traz seis bônus, incluindo uma canção de Crosby "Lady Friend"; boas versões alternativas para "Mind Gardens" e "My Back Pages", além “Don’t Make No Waves” e “Old John Robertson” que só foram lançadas em single .

“Younger Than Yesterday” ao lado outros de clássicos como “Pet Sounds” e “Sgt, Peppers Lonely Hearts Club Band” marcou a ferro e fogo seu nome no olimpo não só do Rock &Roll, mas da música em geral. Pois o álbum foi um dos grandes responsáveis por introduzir o experimentalismo na música pop, sendo um dos pilares do que se convencionou chamar de Rock Psicodélico.

Após esse clássico disco os Byrds ainda lançariam dois discos fundamentais na história do Rock “Notorious Byrds Brothers” de 1967, um disco bastante subestimado que traz alguns magníficos arranjos musicais mais elaborados e “Sweet Heart Of Rodeo” de 1968, outro disco fundamental na história do Rock considerando por muitos o pioneiro do então novíssimo estilo denominado Country Rock.

Depois de uma fase tão produtiva a crescente rixa entre os remanescentes dentro do grupo seria responsável pela substituição de alguns membros da formação original e por uma lamentável fase pouco inspirada que culminaria com o trágico fim do grupo em 1973. Mas, “os pássaros” a esta altura já haviam alçado voos longos e estremeceram as bases do Rock & Roll mundo afora.

Item básico em uma coleção de Rock.

5000 acessosQuer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Byrds"

Dinheiro não é tudo mas ajudaDinheiro não é tudo mas ajuda
5 Rock Stars que nasceram ricos

The BeatlesThe Beatles
As 10 canções mais (injustamente) subestimadas

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Byrds"

CES 2008CES 2008
Slash toca clássico do Guns N' Roses com Bill Gates

AerosmithAerosmith
Steven Tyler e três mulheres nuas no chuveiro

KissKiss
"Procure uma igreja evangélica para esclarecimento"

5000 acessosRoadrunner: os dez melhores vídeo-clipes da gravadora5000 acessosEm vídeo: A diferença entre ser músico e ser rockstar5000 acessosAs I Lay Dying: "90% das bandas gospel fingem fé pra vender mais"5000 acessosRolling Stone: leitores elegem Plant o melhor vocalista5000 acessosKiss: O segredo da maquiagem da banda4492 acessosMorbid Angel: David Vincent comenta novamente sobre sua saída da banda

Sobre Elias Rodigues Emidio

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online