Heart: álbum feito com um coração que ainda bate forte

Resenha - Red Velvet Car - Heart

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar Correções  

8


'Led Zeppelin de saias' pode parecer uma expressão de mau-gosto, mas esta era a alcunha que o Heart conquistou por parte da imprensa, logo depois de liberar seus primeiros álbuns na segunda metade dos anos 1970. Natural de Seattle (EUA), as mentoras e irmãs Ann Wilson (voz) e Nancy (guitarra e voz) foram acumulando uma série de sucessos – alguém se lembra de "Barracuda" ou "If Looks Could Kill"? – pelas próximas duas décadas. A banda sempre foi talentosa, vendeu horrores e pode-se dizer que teve certa influência sobre vários grupos desde então.

Ok, certamente houve altos e baixos e muita rotatividade entre os músicos que acompanharam as irmãs, mas o Heart não só sobreviveu a essa arritmia, como também às tendências musicais, tendo feito uma série de apresentações nos últimos anos. E, ainda que não lance discos com a mesma constância dos áureos tempos, chegou a vez de "Red Velvet Car", seu 13º álbum de estúdio que agora se esquiva daquele Hard Rock de arena para dar lugar a um repertório bem mais intimista.

publicidade

A intenção por aqui procura dar maior ênfase à faceta Folk, tão bem aceita nos primórdios da trajetória do Heart, mas, naturalmente, de forma que o produto final se apresente mais atualizado. Assim, além do duo de vozes de Ann (expressiva e límpida) e Nancy (como sempre, meio crua) e alguns elementos elétricos típicos do Rock´n´Roll, "Red Velvet Car" segue recheado de instrumentos acústicos como violão, bandolim, banjo, violino, violoncelo, harpa e gaitas.

publicidade

Este pacote está longe de ser experimental, suas composições estão marcadas pela integridade, fluindo de forma bastante natural e com a elegância dos veteranos. A própria abertura, "There You Go", segue por caminhos nada barulhentos, mas com grande intensidade melódica; e a audição mostra faixas como a gostosa "Hey You" e "Safronia's Mark", marcadas pela diversidade de estilos sempre muito bem encaixados, além de a faixa-título mostrar uma bonita veia blues. O rock aparece com mais evidência nas bacanas "WTF" e "Death Valley", mas há muita coisa boa para ser desfrutada por aqui!

publicidade

Confesso que Ann e Nancy, agora com traços físicos tão mais maduros, mas não menos atraentes, superaram em muito as expectativas deste que vos escreve. E "Red Velvet Car" adquire ainda mais credibilidade pelo fato de estar repleto de canções que, aparentemente, não possuem muitas aspirações comerciais. Um disco bastante recomendável ao público que aprecia nada mais além de boa música, feita com um coração que bate forte, e assim, com um senso artístico mais evidente.

publicidade

Contato:
http://heart-music.com
http://www.myspace.com/heart

Formação:
Ann Wilson - voz, guitarra e flauta
Nancy Wilson - voz, guitarra, mandolin e gaita
Craig Bartock - guitarra
Ric Markmann e Kristian Attard - baixo
Debbie Shair - teclados
Ben Smith - bateria

publicidade

Heart - Red Velvet Car
(2010 / Sony Music Entertainment - importado)

01. There You Go
02. WTF
03. Red Velvet Car
04. Queen City
05. Hey You
06. Wheels
07. Safronia's Mark
08. Death Valley
09. Sunflower
10. Sand


Outras resenhas de Red Velvet Car - Heart

Heart: resistindo, e resistindo com muita categoria




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Malvada: Assista vídeo da clássica "Barracuda" do Heart


Heart: banda mostrou a Lzzy Hale que dava para fazer rock sendo mulherHeart
Banda mostrou a Lzzy Hale que dava para fazer rock sendo mulher

Grammy: artistas amados que nunca ganharam umGrammy
Artistas amados que nunca ganharam um


Jethro Tull: a fúria de Ian Anderson pra cima do Led ZeppelinJethro Tull
A fúria de Ian Anderson pra cima do Led Zeppelin

E-Farsas: Papa Francisco era fã do Black Sabbath?E-Farsas
Papa Francisco era fã do Black Sabbath?


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin