Matérias Mais Lidas

imagemA fundamental diferença entre Paulo Ricardo e Schiavon que levou RPM ao fim

imagemSystem of a Down: por que Serj Tankian não joga mais nenhum vídeo game?

imagemRitchie Blackmore revela como o impactou a chegada de Jimi Hendrix na Inglaterra

imagemOzzy Osbourne é visto caminhando com dificuldade ao sair de estúdio

imagemOzzy Osbourne diz que está bem aos 73 anos, mas sabe que sua hora vai chegar

imagemKiko Loureiro defende surgimento de banda que seria "Greta Van Fleet do Iron Maiden"

imagemLars Ulrich diz que shows do Metallica na América do Sul foram incríveis

imagemO clássico dos Rolling Stones que levou mais de 30 anos para ser tocado ao vivo

imagemRobert Trujillo conta como uma abelha e "migué" quase causaram treta com James Hetfield

imagemOzzy Osbourne dá sua opinião sobre o streaming e dispara contra Spotify; "É uma piada"

imagemVocalista do Gwar diz que integrantes do Maiden são "um bando de velhas britânicas"

imagemO dia em que Priscila Fantin deu um tapa na cara de Paulo Ricardo

imagemFreddie Mercury revelou em 1985 como foi conciliar carreira solo e o Queen

imagemSe vira nos 30: Andre Matos tomou cano de produtor e fez milagre pra agradar fãs

imagemA visão de Arnaldo Antunes sobre sua timidez no período da adolescência


Stamp

Wig Wam: rock n' roll que não para um segundo

Resenha - Non Stop Rock n' Roll - Wig Wam

Por Felipe Kahan Bonato
Em 05/03/10

Nota: 9

Formado em 2001, na Noruega, o WIG WAM ganhou notoriedade ao representar seu país de origem no concurso musical Eurovision de 2005 (o qual foi vencido em 2006 pela banda finlandesa LORDI). Após 2 CDs bem recebidos pelos fãs japoneses e europeus, a banda lança em 2010 o seu terceiro album de estúdio, entitulado "Non Stop Rock n' Roll". E se a ideia era que o rock n' roll não parasse um segundo durante a audição de seu novo trabalho, pode-se dizer que os noruegueses atingiram o objetivo.

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal

Tendo com maior influência o KISS, a primeira faixa do álbum, "Do Ya Wanna Taste It", já começa mostrando o hard rock despojado e descompromissado típico da banda, com um refrão grudento, repetitivo e marcado pelos coros. Nesse sentido, também merece destaque "C'mon Everybody" destilando o lado mais festeiro do conjunto e a faixa bônus, "Gotta Get It On", que, como as anteriores, também funcionaria muito bem ao vivo até mesmo pelo solo de guitarra.

A grande evolução de "Non Stop Rock n' Roll" na carreira do Wig Wam talvez esteja no trabalho de guitarras e nos solos, como em "Walls Come Down", com o riff introdutório com um ar bem MOTLEY CRUE, "Man In The Moon" e na faixa-título, com uma introdução que remete ao GUNS N' ROSES, além do lado sombrio de "Still I'm Burning", que apresenta a boa performance do baterista Sporty e um hard rock mais moderno que talvez divida a opinião dos fãs mais ortodoxos. Outro grande momento do CD é o coral infantil adicionado em "Chasing The Rainbows". Merece destaque também a atuação equilibrada de Glam ao longo do disco, dosando bem os timbres.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

"Man In The Moon" é uma ótima balada, com passagens acústicas, coros e um solo simples, coeso e muito bonito, apesar do volume um pouco elevado do vocal principal. "From Here" é a outra balada do disco, ainda mais branda e romântica.

Em compensação, "Wild One" parece uma faixa regravada, que estava engavetada das composições dos discos anteriores da banda. Ligeiramente deslocada, poderia facilmente ser lançada nos outros CDs.

Com "Non Stop Rock n' Roll", o WIG WAM definitivamente consolida sua musicalidade nada séria, melódica, bem trabalhada e grudenta, mas as evoluções em relação aos álbuns anteriores são pequenas. Trata-se de mais do mesmo hard rock cativante e animado, apesar de ser um disco mais variado e que consegue reunir um pouco de todas as facetas da banda, que certamente pode evoluir ainda. Apesar disso, recomendado para os fãs, para quem quer conhecer a banda, ou apenas escutar um bom hard rock!

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Integrantes:
Glam (Åge Sten Nilsen): vocal
Teeny (Trond Holter): guitarra
Flash (Bernt Jansen): baixo
Sporty (Øystein Andersen): bateira

Faixas:
1 Do Ya Wanna Taste It
2 Walls Come Down
3 Wild One
4 C'mon Everybody
5 Man In The Moon
6 Still I'm Burning
7 All You Wanted
8 Non Stop Rock And Roll
9 From Here
10 Rocket Through My Heart
11 Chasing Rainbows
12 Gotta Get It On

Tempo Total: 44:10

Site oficial:
http://www.wigwam.no/News/index.en.html

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp


Sobre Felipe Kahan Bonato

Felipe Kahan Bonato: Nascido em 88, há mais de 10 anos - por enquanto - escuta praticamente qualquer subgênero de rock e metal, explorando principalmente bandas mais desconhecidas. Teve contato tardio com a guitarra, seu instrumento preferido, optando então em seguir a carreira de Engenheiro de Produção e em contribuir esporadicamente com resenhas no Whiplash.

Mais matérias de Felipe Kahan Bonato.