Cris Lobo: trabalho autoral com raízes em um som encorpado

Resenha - Força e Trabalho - Cris Lobo

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Giorgio Moraes
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


No começo da década de 80, um músico independente enfrentava imensas dificuldades para divulgar seu trabalho. Sem contar com a estrutura formal de uma gravadora era simplesmente impossível alcançar o grande público, afinal eram as gravadoras que faziam o artista tocar no rádio, apresentar-se em programas de TV e conseguir matérias em revistas especializadas. Quem viveu nessa época sabe bem do que falo.
5000 acessosPunk Rock: os 25 melhores discos segundo o site IGN5000 acessosJohnny Depp: a banda que poderia ter desbancado o Guns

O que ninguém poderia prever era que apenas 3 décadas depois a realidade mundial seria absolutamente diferente para um artista independente. Com o advento e popularização da Internet, divulgar um trabalho ficou simples. Graças a isso, a carioca CRIS LOBO pode exibir o bom "Força e Trabalho", CD com 5 faixas lançado em 2009. Apoiada por uma banda correta, a compositora de 32 anos apresenta um trabalho totalmente autoral (ela assina letras, músicas e arranjos) que mantém raízes em um som encorpado, preenchido por guitarras que lembram "Jagged Little Pill" - o visceral trabalho da canadense ALANIS MORISSETTE.

Outro destaque fica para a bonita capa, que mostra o desenho de duas pessoas trabalhando em um imenso campo de girassóis. Já o vocal de CRIS LOBO - ora cantado, ora falado - se mostra seguro e bem acima da média se comparado ao trabalho de outras bandas que também batalham no esquema de "independência ou morte". O CD abre com "Poder, Glória e Fama" - que trata das metamorfoses físicas e psicológicas a que muitos se submetem em busca de notoriedade. A moça transpira poesia em "Invenção", 2ª faixa do CD: "Mas pobre do criador que não conhece a sua obra; pobres instintos tratados como acaso; pobre de mim que me prendo a esta ilusão; pobre inventor que não conhece a sua invenção".

Lógico que há espaço para o refinamento dos arranjos e para a melhoria de algumas construções melódicas. Mas esse crescimento vem com o tempo e não deve acontecer por pressão: o amadurecimento real só é conseguido com força e trabalho!

Para conhecer mais:
http://www.myspace.com/crislobo

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Cris Lobo"

Punk RockPunk Rock
Site lista os discos mais representativos da história do estilo

Johnny DeppJohnny Depp
A banda que poderia ter desbancado o Guns

MegadethMegadeth
Dave Mustaine não está feliz com os improvisos de Kiko?

5000 acessosLayne Staley do Alice in Chains encontrado morto5000 acessosDuff McKagan: Anestesias não funcionam mais no baixista5000 acessosTop 10: dez roqueiros que se foram aos 27 anos de idade5000 acessosBlack e Death Metal: foto inspira criação de logotipos de bandas5000 acessosZakk Wylde: foto do arsenal de guitarras do músico5000 acessosJeff Hanneman: A experiência com cocaína do lendário guitarrista

Sobre Giorgio Moraes

Giorgio Moraes, 33 anos, é formado em Letras. Natural do Rio de Janeiro, ele reside a 20 anos em São Luis do Maranhão. Tem em seu currículo shows como Raimundos, Detonautas, Skank, e a histórica apresentação dos Stones em Copacabana, no ano de 2006. Escritor, atualmente divulga seu 1º Ebook de poesia.

Mais informações sobre Giorgio Moraes

Mais matérias de Giorgio Moraes no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online