Burnt By The Sun: vitoriosa em seu estilo caótico e moderno

Resenha - Heart Of Darkness - Burnt By The Sun

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar Correções  

8


O amigo leitor já parou para pensar em quantas bandas lançam excelentes trabalhos, mas, sejam lá quais forem os motivos, sua promissora carreira não dura muito? O Burnt By The Sun é um desses casos... Norte-americano natural de New Jersey, o grupo tomou forma em 1999 e rapidamente assinou com a Relapse Records para liberar dois álbuns – "Soundtrack To The Personal Revolution" (02) e "The Perfect Is The Enemy Of The Good" (03) – cuja mescla de Heavy Metal extremo e Hardcore, com letras engajadas, gerou grande repercussão entre público e crítica especializada.

Mas parece que a difícil vida das estradas não era algo que alguns de seus integrantes apreciassem, tanto que o Burnt By The Sun se dissolveu em 2004, onde posteriormente Dave Witte assumiu as baquetas do Municipal Waste e o vocalista Mike Olender iniciou sua jornada pelo ativismo político. De qualquer forma, o estrago já estava feito, pois haviam conquistado fãs fiéis que insistiam pelo retorno da banda, o que efetivamente acabou acontecendo já no ano seguinte.

publicidade

Mas foram tantos problemas tentando estabilizar a formação que "Heart Of Darkness" somente chegou ao mercado agora – e, quem diria, com os mesmos músicos do passado, além do acréscimo de um segundo guitarrista chamado Nick Hale. E como a coisa toda continuou em família, o repertório possui todas as particularidades que fizeram com que a banda se tornasse vitoriosa em seu estilo, tão caótico e moderno.

publicidade

Em um primeiro momento, todas as mudanças de ritmos podem até parecer aleatórias, mas certamente não o são. Tudo é muito preciso, com os elementos agressivos sendo explorados com um peso absurdo, mas com espaço para melodias bem sacadas, sendo grande a preocupação com o trabalho das guitarras, cujos riffs continuam inteligentes e marcantes. E, ainda que Mike Olender não seja o melhor vocalista do mundo, o homem honra seu posto com a saturação de seus gritos e sua convicção por mudanças sociais.

publicidade

O resultado é um disco inspiradíssimo, tendo na explosiva abertura "Inner Station" a maestria da banda em sua proposta. E a sequencia segue com uma incrível linearidade, como a cadência de "F-Unit", as melodias de "Goliath" ou a fúria exacerbada de "There Will Be Blood". É certo que o Burnt By The Sun teve as manhas de tornar tudo movimentado até o fim, com "The Wolves Are Running" encerrando a audição com chave de ouro e, talvez, se caracterizando por ser a última canção liberada pelo grupo.

publicidade

Isso porque "Heart Of Darkness" foi concebido para ser o derradeiro registro do Burnt By The Sun. Se esse anunciado se concretizar, certamente sua carreira se encerra de forma honrada, pois, mesmo não tendo o devido impacto em um cenário com tanto bons nomes se esforçando para garantir seu espaço, sua música certamente ainda se mantém relevante e totalmente anticomercial após todo esse tempo.

publicidade

Contato: www.myspace.com/burntbythesun

Formação:
Mike Olender - voz
John Adubato - guitarra
Nick Hale - guitarra
Ted Patterson - baixo
Dave Witte - bateria

Burnt By The Sun - Heart Of Darkness
(2009 / Relapse Records - importado)

01. Inner Station
02. Cardiff Giant
03. F-Unit
04. A Party to the Unsound Method
05. There Will Be Blood
06. Goliath
07. Rust
08. Beacon
09. The Great American Dream Machine
10. The Wolves Are Running

publicidade




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Ozzy Osbourne: Fim do Guns foi a maior tragédia do rockOzzy Osbourne
Fim do Guns foi a maior tragédia do rock

Freddie Mercury: veja a primeira foto do cantor no palco, ainda nos anos sessentaFreddie Mercury
Veja a primeira foto do cantor no palco, ainda nos anos sessenta


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin