Maithungh: sexo, tortura, sedução, perversão, sadismo...

Resenha - Lust In The Kingdom Of God - Maithungh

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar Correções  

8


Concebido em 1998 na cidade de Porto Ferreira (SP), o Maithung passou por uma pausa que se estendeu por quase uma década. Mas agora os amigos de infância estão novamente reunidos e liberando seu primeiro disco, "Lust In The Kingdom Of God", onde o ‘sexo, tortura, sedução, perversão, histórias mórbidas, sadismo e obscenidades’ são o temas recorrentes.

Ainda que o Heavy Metal extremo seja o segmento que mais faça uso de elementos que visem chocar a sociedade, é inegável que a capa de "Lust In The Kingdom Of God" seja apelativa. Sua versão corrompida de ‘A Santa Ceia’, tendo à frente uma garota nua se masturbando com uma cruz invertida, até pode vir a levantar a questão de ser um pretexto para desviar as atenções sobre uma possível incapacidade em elaborar músicas convincentes.

publicidade

Pois bem, felizmente, essa suposição se mostra infundada assim que o disco começa a girar... Seu Death Metal segue uma linha mais tradicional e, mesmo bastante ríspido, possui arranjos bem trabalhados – em especial pelas batidas de Alexandre Machanocker, que acrescentam muito às composições. Com vocalizações oscilando entre o gutural e o mais rasgado, também se investe em boas melodias de guitarras e passagens cadenciadas, o que torna o repertório ainda mais interessante.

publicidade

Gravado em território brasileiro e masterizado na Alemanha por Andy Classen (Krisiun, Tankard), no conceituado estúdio Stage One, a audição não chega aos 35 minutos. Muito pouco, mas canções como "A.D", a faixa-título, "Fassade", "Marquis de Sade" e "The Return" mostram toda a força e maturidade da proposta do Maithung.

Finalizando, uma reflexão ao leitor mais conservador, que ainda está chocado com a temática de "Lust In The Kingdom Of God": lembre-se que, por trás dos muros de inúmeros templos, é uma antiga tradição que os considerados ‘mensageiros de Deus’ aliciem garotos. E a própria Igreja Católica contrata advogados para defender os padres denunciados por não controlar seus impulsos. Então, quem é o real profanador?

publicidade

Contato:
http://www.maithungh.com
http://www.myspace.com/maithunghdeath

Formação:
Helton Henrique - voz
Kleber Maximo - guitarra
Daniel Factor - guitarra
Arino Bacarin - baixo
Alexandre Machanocker - bateria

publicidade

Maithungh - Lust In The Kingdom Of God
(2009 / Free Mind Records – nacional)

01. Maithungh (instrumental)
02. A.D.
03. Lust In The Kingdom Of God
04. Fassade
05. Marquis de Sade
06. Sexual Penitence (intro)
07. Molestia
08. The Return
09. Hate Eternal
10. Legion




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Zakk Wylde: foto do arsenal de guitarras do músicoZakk Wylde
Foto do arsenal de guitarras do músico

Pink Floyd: The Wall é uma obra de arte conceitualPink Floyd
The Wall é uma obra de arte conceitual


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin