Wolves In The Throne Room: Black Metal de temática distinta

Resenha - Black Cascade - Wolves In The Throne Room

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 9


Ainda que praticamente desconhecido do público brasileiro, o Wolves In The Throne Room é um dos mais interessantes projetos que o underground dos Estados Unidos vem apresentando nos últimos anos, sendo que os álbuns "Diadem Of 12 Stars" (06) e "Two Hunters" (07) obtiveram tal repercussão que empurrou o nome do conjunto para além dos limites de seu país.

Separados no nascimento: Roger Waters e Richard Gere.Slipknot: Corey Taylor explica porque o mundo pop não suporta o Heavy Metal

O estilo é o Black Metal, mas a ideologia do Wolves In The Throne Room é devidamente distinta de muitas outras bandas do estilo. Seus músicos expressam respeito pela política de esquerda, ao ambientalismo radical e repudiam qualquer forma de opressão - à mulher, ao idoso, crianças e etnias menos favorecidas pela sociedade moderna. Ou seja, sua rebelião é bem mais abrangente do (por vezes) obtuso satanismo que virou uma verdadeira praga na cena da música extrema.

"Black Cascade" é o terceiro álbum do grupo e, assim como seus antecessores, possui apenas quatro longas composições. Superficialmente, toda a rispidez crua remete diretamente ao que o precursor Burzum fazia lá pela década de 1990, mas, analisando um pouco mais a fundo, a abordagem é muito mais rica do que as bandas norueguesas se prontificaram a elaborar.

E, apesar de as composições variarem entre os 10 e 14 minutos, seus músicos possuem um talento natural para o ofício, experimentando e tornando tudo fácil de digerir. O resultado é algo sinuosamente hipnótico, meditativo e intrincado, com linhas vocais inacessíveis, muitas camadas de teclados, riffs repetitivos e passagens acústicas.

Tudo permanece perfeitamente conectado e com tantos detalhes que somente muitas audições permitirão descobri-los adequadamente, tendo como destaque provavelmente unânime a assombrosa "Crystal Ammunition", com vocalizações femininas e passagens folclóricas que mostram a diversidade e capacidade de desenvolvimento melódico da banda.

Tudo por aqui honra o curioso rótulo de 'desajustados em uma era sem rumo certo' que o Wolves In The Throne Room ganhou em seu país. Mas, considerando que é impossível se ajustar adequadamente em uma época onde tudo está em rápida e constante mutação, então não há nada de errado em procurar não seguir o bando. E se esta é a verdadeira e romântica 'liberdade', "Black Cascade" a reflete em forma de caóticas ondas sonoras...

Formação:
Nathan Weaver - voz e guitarra
Will Lindsay - guitarra
Ross Sewage - baixo
Aaron Weaver - bateria

Wolves In The Throne Room - Black Cascade
(2009 / Southern Lord - importado)

01. Wanderer Above The Sea Of Fog
02. Ahrimanic Trance
03. Ex Cathedra
04. Crystal Ammunition

Homepage: www.wittr.com




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Wolves In The Throne Room"


Separados no nascimento: Roger Waters e Richard Gere.Separados no nascimento
Roger Waters e Richard Gere.

Slipknot: Corey Taylor explica porque o mundo pop não suporta o Heavy MetalSlipknot
Corey Taylor explica porque o mundo pop não suporta o Heavy Metal


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

adClioIL