Uli Jon Roth: tão cinematográfico que transcende rótulos

Resenha - Under A Dark Sky - Uli Jon Roth

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar Correções  

8


Já se foram os tempos em que Uli Jon Roth era ‘apenas’ aquele virtuoso guitarrista hippie do Scorpions na década de 1970... Atualmente o homem está com seus 54 anos e se enveredou pelo lado da pintura e poesia, tendo seu refinado talento musical o empurrado para muito além do Rock´n´Roll. Seus inúmeros projetos resultaram em registros que incluem a música clássica, neoclássica, classic rock e elementos orquestrais extremamente dramáticos.

Com letras que praticamente pregam toda a força e santidade da Vida, não seria equivocado que seu novo álbum, "Under A Dark Sky", seja enquadrado em uma espécie de Ópera-Rock, cuja sonoridade é tão retrô que parece ter sido elaborada há uns 30 anos. Sob uma produção impecável, a audição fatalmente dará extrema vazão aos sentimentos de forma a evocar as mais variadas imagens enquanto a mente vagueia pela viagem musical de seu criador.

publicidade

Além da inconfundível inspiração de uma infinidade de guitarras conectadas a uma orquestra, a seleção de vocalistas também tem seus méritos, em especial pela participação de Mark Boals (Yngwie Malmsteen, Royal Hunt), que detona nas cinco faixas em que participa. Liz Vandall (Sahara) também faz bonito e, adicione aí uma multiplicidade de coros com tenores, barítonos, etc, que o impacto e grandiosidade desta obra será aumentado de forma considerável.

publicidade

Há muitas composições dignas de atenção. A bem inspirada em Hendrix, "The Magic Word", é uma das mais agradáveis; além do rock sinfônico melodioso de "Stay In The Light" e "Light & Shadows", com a dupla Vandall e Gwen Adams num ótimo momento. Mas a que melhor resume a idéia por trás do disco é a sobrecarregada "Tanz In Die Dammerung" (em português: Dança no Crepúsculo), suíte dividida em 12 partes recheadas de progressivo, música clássica e ópera bombástica reunidos em 18 minutos de audição nada monótona.

publicidade

"Under A Dark Sky" é algo tão cinematográfico que transcende qualquer rótulo ou gênero e, como tal, dividirá a opinião entre as gerações de ouvintes. O termo ‘Arte’ se aplica de forma tão completa e independente que vai à contramão do que o grande público provavelmente estará predisposto a consumir. Assim sendo, será compreensível se este disco vir a ficar encalhado nas prateleiras de algumas lojas. Mas e daí? Com certeza o Sr. Roth continuará sendo um ícone no meio musical…

publicidade

Músicos:
Uli Jon Roth - guitarras, baixo, teclados e voz nas faixas 6 e 9
Mark Boals - voz nas faixas 2, 3, 4, 6 e 10
Liz Vandall - voz em 3, 4, 6, 7, 9 e 10
Peter Ewald - voz em 1 e 10
Michael Flexig - voz na faixa 5
Akasha Dawn Roth - voz em 1 e 10
Gwen Adams - voz na faixa 9
Kerstin Domros - voz
Michael Ehre - bateria
Nippy Noya - percussão étnica
Chris Lowe - percussão orquestral

publicidade

Uli Jon Roth - Under A Dark Sky
(2008 / SPV Records - 2009 / Hellion Records – nacional)

01. S.O.S.
02. Tempus Fugit
03. Land Of Dawn
I - Techno Man
II - Land Of Dawn
III - Lion Wings
04. The Magic Word
05. Inquisition
06. Letter Of The Law
07. Stay In The Light
08. Benediction
09. Light & Shadows
10. Tanz In Die Dammerung
I - Destination Twilight
II - Morgenrot
III - Searchlights From Hell
IV - Seelenschmerz
V - Inside The Titanic
VI - Fama Errat
VII - Requiem For The Nations
VIII - Morituri
IX - Rex Tremendae
X - Star Peace
XI - Tanz In Die Dammerung
XII - Silence

publicidade

Homepage: www.ulijonroth.com e www.myspace.com/ulijonroth


Outras resenhas de Under A Dark Sky - Uli Jon Roth

Uli Jon Roth: mais uma vez um grande trabalho




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Night Demon: banda lança In Trance, EP com participação de Uli Jon Roth


Scorpions: Uli Jon Roth comenta por que saiu da banda nos anos 1970Scorpions
Uli Jon Roth comenta por que saiu da banda nos anos 1970

Joe Satriani: qual guitarrista mais o impressionou no G3?Joe Satriani
Qual guitarrista mais o impressionou no G3?


Dave Mustaine: Maroon 5 o deixou boquiabertoDave Mustaine
Maroon 5 o deixou boquiaberto

Kiss: Rock and roll é um trabalho para otários!Kiss
"Rock and roll é um trabalho para otários!"


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin